item Satisfazer as diversas necessidades das várias partes


No desenvolvimento do governo electrónico da RAEM, para além de defender a “boa governação à base da racionalização de quadros e simplificação administrativa” e “articular com o posicionamento do desenvolvimento de “um Centro” e “uma Plataforma”, ao promover a gestão interna e a electronização de serviços públicos, deverá satisfazer as diversas necessidades das várias partes, porque só desta forma se poderá contar com o apoio de todas as partes e garantir um desenvolvimento sustentável.

O governo electrónico da RAEM implica o envolvimento das seguintes partes: o público, as empresas, as associações, os trabalhadores da função pública, os serviços públicos e os decisores das políticas. Como as diversas partes interagem nas actividades diárias por exemplo através dos serviços electrónicos nas relações entre os decisores das políticas e os trabalhadores que executam as políticas, nas relações entre os serviços públicos, nas relações entre os serviços públicos e os cidadãos, por esse motivo, ponderando as necessidades dos utilizadores que recorrem ao governo electrónico, deve satisfazer não só as necessidades individuais ou comuns das partes, como também, assegurar a diversificação dos serviços designadamente para que os cidadãos, possam obter e utilizar de forma rápida e acessível os serviços públicos de qualidade, devendo na concepção de serviços electrónicos, ponderar, o princípio de “ter por base a população”, as características específicas dos diversos serviços como os serviços de contacto directo, por telefone, computador de mesa, quiosque automático, aplicações para os telemóveis e os meios sociais online, com o objectivo de facultar serviços electrónicos diversificados. Por outro lado, na promoção desses serviços, deve-se estar atento à análise de custos-eficácia, conhecendo correctamente o número de utilizadores que se pretende atingir, evitando um investimento excessivo em virtude de erro de cálculo das necessidades. É necessário também estabelecer mecanismos eficazes de consulta e comunicação a fim de continuar a recolher as opiniões e sugestões das partes interessadas, dos sectores profissionais e da população em geral, ajustando e optimizando oportunamente o Planeamento Geral para satisfazer concretamente as novas exigências das diversas partes.