item Introdução


A fim de promover plenamente o desenvolvimento do governo electrónico na RAEM e tendo em conta as exigências encontradas nas acções governativas bem como as necessidades do governo e da população, a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (adiante designada por SAFP) procedeu a uma revisão da situação de desenvolvimento do governo electrónico da RAEM, uma análise da tendência deste desenvolvimento a nível mundial e tendo como referência a experiência de outros países sobre esta matéria, e no pressuposto da necessidade de se articular completamente o desenvolvimento da administração pública com as orientações das acções governativas no futuro, apresenta o “Documento de Consulta sobre o do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015 - 2019” (adiante designado por documento de consulta), a qual foi submetida a uma consulta interna com a duração de 1 mês, entre 30 de Junho e 31 de Julho de 2015. Após ter recebido e analisado as opiniões e o plano do governo electrónico dos próximos 5 anos de cada serviço, o SAFP elaborou o “Planeamento Geral do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015” com base no documento de consulta, introduzindo alterações e ajustamentos conforme as informações recolhidas durante a consulta, que serve como uma orientação geral para o desenvolvimento gradual do governo electrónico da RAEM.

“Planeamento Geral do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015” abrange os objectivos, princípios e estratégias referentes ao desenvolvimento do governo electrónico da RAEM nos próximos cinco anos bem como os 6 trabalhos no âmbito do governo electrónico que serão desenvolvidos nos próximos cinco anos. Face às exigências das acções governativas e características específicas do desenvolvimento do governo electrónico, o planeamento tem como orientação a prestação de serviços e a colaboração, ou seja, ao desenvolver serviços que satisfaçam as necessidades das partes interessadas, promove-se também a colaboração entre os diversos serviços públicos, os prestadores e os utentes dos serviços. Em simultâneo, através do mecanismo de coordenação e colaboração, coordenar os diferentes recursos dos diferentes serviços a fim de implementar os diversos projectos, aproveitando o mecanismo de avaliação para impulsionar o melhoramento contínuo dos trabalhos.