Chefe do Executivo na reunião plenária do Grupo de Líderes para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau (Tradução GCS)

Chefe do Executivo, Chui Sai On, participa na reunião do Grupo de Líderes para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, em Pequim.

O Chefe do Executivo, Chui Sai On, participou, hoje (6 de Novembro), na reunião plenária do Grupo de Líderes para Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, na Diaoyutai State Guesthouse, em Pequim, tendo sido presidida pelo vice-primeiro-ministro do Conselho de Estado, Han Zheng.

Ao discursar, esta tarde, na reunião plenária do Grupo de Líderes para Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, Chui Sai On garantiu que o Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) manterá a ligação e cooperação com as cidades irmãs que integram a Grande Baía, em prol de um desenvolvimento conjunto, como continuará a implementar e aperfeiçoar o princípio de «um país, dois sistema», com a finalidade de desempenhar as vantagens especificas de Macau, ultrapassar as questões que resultam da diferença de regimes, procurar uma melhor integração na cooperação da Grande Baía, inovar e impulsionar, de forma pragmática, os seus projectos.

O mesmo responsável lembrou que desde a divulgação das «Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau», o Governo da RAEM tem seguido as directrizes definidas nas reuniões do Grupo de Líderes para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, nomeadamente no que diz respeito à importância do reforço dos trabalhos de promoção e entendimento sobre as «Linhas Gerais», junto à sociedade, à concretização activa das tarefas e trabalhos definidos nos pontos mais relevantes das actividades do ano de 2019, no âmbito da Grande Baía, a fim de atingir resultados de forma faseada.

Chui Sai On afirmou que o Governo analisou as orientações e metas das «Linhas Gerais» e elaborou um anexo ao Plano Quinquenal de Desenvolvimento da RAEM, que vai articular de forma estreita as «Linhas Gerais» e o referido Plano Quinquenal, no sentido de estudar e lançar várias políticas e medidas para coordenar com a construção da Grande Baía, e concretizar os seus objectivos pré-definidos.

Ao mesmo tempo, o Chefe do Executivo frisou que o Governo está a consolidar a sensibilização sobre as «Linhas Gerais» e as características do desenvolvimento das respectivas cidades irmãs, a fim de incentivar e apoiar a população de Macau à integração na construção da Grande Baía. Acrescentou que, com o forte apoio do Governo Central e esforço conjunto de todas as cidades envolvidas, foram lançadas várias políticas e benefícios que que criam facilidades aos cidadãos de Macau em matéria de emprego, aprendizagem, empreendedorismo e outras áreas na China interior, injectando um novo dinamismo à participação de Macau nesta iniciativa nacional.

Garantiu que o Governo da RAEM está a acompanhar os trabalhos preparatórios relativos à mudança de governo, e prometeu comunicar e transmitir da melhor forma as directrizes destas reuniões, como continuar a impulsionar os vários trabalhos em andamento, com o objectivo de se concretizar a Grande Baía, celebrar o 20º aniversário do regresso de Macau à Pátria, e ainda de levar a população local a sentir que participa, obtém benefícios e bem-estar.

Na mesma ocasião, o Chefe do Executivo apresentou os vários trabalhos do Governo da RAEM, no âmbito da integração na construção da Grande Baía, nomeadamente a coordenação centralizada para acompanhar, de forma ordenada, os trabalhos cruciais anuais, a inovação do desenvolvimento da diversificação adequada da economia de Macau, a assunção do papel pioneiro de políticas inovadoras, bem como, a participação na construção do centro de inovação tecnológica internacional.

Desde a criação do Grupo de Líderes para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, o Governo Central lançou várias políticas e medidas favoráveis a Macau, no âmbito da construção da Grande Baía e que abrangem as áreas como tecnologia e inovação, apoio ao desenvolvimento do sector da medicina tradicional chinesa, facilitação à comunicação e incentivo ao empreendedorismo e emprego dos cidadãos de Hong Kong e Macau na China interior. Além disso, estas medidas também podem facilitar a participação dos residentes de Macau no desenvolvimento das cidades da Grande Baía, em vários sectores, especialmente no regime fiscal, no apoio aos jovens empreendedores, no desenvolvimento de inovação, ciência e tecnologia, no reforço da facilitação ao fluxo de pessoas e logístico.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar