Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus apela à população para que não saia à rua e evite aglomeração de pessoas – Não foram confirmados novos casos

Centro de Coordenação apelou que os residentes evitem sair, não comprem quantidades exageradas de arroz, óleos e alimentos e devem preencher as informações verdadeiras no formulário de declaração de saúde

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou em conferência de imprensa, 5 de Fevereiro, a situação mais recente sobre o novo coronavírus nomeadamente as acções de acompanhamento do 8º ao 10 º caso confirmado.

O 8º e 9º casos confirmados são da mesma família, há 20 contactos próximos que estão no Centro Clínico de Saúde Pública para observação médica. 14 contacto de baixo risco foram instalados no hotel designado para a observação médica. 35 pessoas que têm algum nível de contacto com as pessoas infectadas vão efectuar autogestão de saúde em casa.

No 10º caso confirmado, há um total de 12 contactos próximos que necessitam de observação médica no Centro Clínico de Saúde Pública. Foi solicitado às 57 pessoas que ficaram na mesma zona de espera do Hospital Kiang Wu, com o paciente do 10º caso confirmado, que efectuem autogestão de saúde no domicílio. Todos os dias os Serviços de Saúde estão a acompanhar o estado das pessoas envolvidas, dando, se necessário, orientações médicas.

Durante a conferencia de imprensa o coordenador do centro de Controle de Doenças revelou que o Governo da RAEM foi notificado pelo Departamento de Saúde do Japão, da existência de duas pessoas, portadoras do passaporte da RAEM, que estão retidas num cruzeiro para observação médica, após 10 pessoas terem sido diagnosticados como casos confirmados o assunto foi encaminhado para o Gabinete de Gestão de Crises do Turismo

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus salienta que, actualmente, dado que os casos são principalmente de residentes de Hubei, ou, estas pessoas que tiveram o contacto com os pacientes desses casos, do ponto de vista epidemiológico, estas pessoas ainda serão consideradas como o ponto essencial de prevenção e controlo. Apela-se às pessoas que se deslocaram ao Interior da China para que façam autogestão de saúde.

O Governo da RAEM está, também, a monitorizar a epidemia do Interior da China, e adjustará as medidas de prevenção e controlo de acordo como o desenvolvimento da epidemia.

Vários departamentos do Governo da RAEM estão a realizar sistematicamente reuniões inter-departamentais e estão a reforçar a sensibilização em todos os serviços públicos. Amanhã de manhã, todos os equipamentos de comunicação e divulgação de Macau serão activados, para apelar à população o combate conjunto contra a epidemia. Serão emitidos apelos para que as pessoas não saiam de casa, evitem aglomerados de pessoas e prestem atenção à higiene pessoal.

Nas últimas 24 horas (até 15 horas do dia 5 de Fevereiro), não houve registo de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus.

Os 10 doentes confirmados estão nas enfermarias de isolamento do CHCSJ, são considerados casos ligeiros, 2 pacientes têm febre, dos quais, um necessita de Oxigênio de baixo fluxo.

O CHCSJ está a avaliar o estado clínico de todos os pacientes. Alguns são considerados a ser estavéis, depois de detecção e avaliação, caso os pacientes estejam em bom estado, podem ser considerados recuperados e terão alta.

Até as 14h00 do dia 5 de fevereiro, há 316 casos suspeitos (incluindo 10 casos confirmados) em Macau, em 275 casos foi excluída a infecção, 31 casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente, 46 casos de contacto próximo. Acredita-se que este número aumente com a investigação epidemiológica. Três (3) pessoas em vigilância tiveram alta após o isolamento. Há ainda em isolamento algumas pessoas que tiveram contacto próximo com os pacientes dos 1.º e 2.º casos e que estão quase a terminar o isolamento de 14 dias.

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus salienta que, dos contactos próximos actuais, não há nenhuma pessoa a ser eventualmente considerada como o caso confirmado.

Em resposta ao desenvolvimento da epidemia, o CHCSJ realizou reorganizou vários serviços na área da consulta médica, mas ainda mantém alguns serviços médicos necessários para fortalecer o apoio aos pacientes, incluindo os serviços de parto de maternidade e o fornecimento de medicamentos para pacientes com doenças crónicas, etc.,

A coordenação e a cooperação com o Hospital Kiang Wu foi fortalecida, incluindo o encaminhamento de alguns pacientes para o Hospital Kiang Wu sob condições de segurança, e alguns equipamentos da Equipa Internacional de Emergência Médica também foram enviadas ao Hospital KiangWu para criar uma área de triagem de casos suspeitos e ajudar no trabalho de triagem.

O CHCSJ também desempenhará o seu próprio trabalho de triagem para garantir que a epidemia não surge no Hospital. Para garantir a segurança da equipa médica da linha de frente, estão a ser adquiridos novos dispositivos de protecção pessoal.

O Alojamento dos Trabalhadores de Emergência de Saúde Pública foi aberto para uso de descanso da equipa médica da linha de frente, estando confiantes de que a equipa médica da linha de frente, com o equipamento adequado, não será infectada. Estão a ser prestados serviços de apoio psicológico, e ao mesmo tempo a Comissão de Controlo de Infecção também fortalecerá as inspecções, de forma a reduzir o risco da equipa médica da linha de frente, recolhendo as opiniões dos funcionários para melhoramento.

Quanto a segurança, funcionários de limpeza, foram estabelecidos contactos empresas de recrutamento de trabalhadores não residentes para que estas ajudem os trabalhadores a permanecer em Macau. Deste modo o trabalho logístico normal do Hospital pode ser mantido.

Relativamente às funcionárias grávidas da linha de frente estão a ser realizadas acções para que estas fiquem em casa. Espera-se que as instituições privadas também cooperem com essa política.

Relativamente ao método profilático de tratamento adoptado pelo Hospital é semelhante ao método adoptado na Tailândia. A condição de muitos pacientes confirmados ainda é estável, mostrando que o plano de tratamento médico é eficaz.

Em resposta ao desenvolvimento da epidemia, o Hospital está a melhorar continuamente a distribuição do trabalho interno. Embora tenha havido um pico nas consultas ontem, foi efectivamente canalizado após o aumento da mão-de-obra, neste momento, a pressão do Hospital não aumentou significativamente.

De acordo com as políticas do Governo da RAEM, recomenda-se que as clínicas privadas sejam fechadas conforme as suas próprias condições para reduzir a oportunidade de concentração de multidões. Espera-se que as grandes instituições médicas de Macau tenham capacidade suficiente para atender às necessidades dos cidadãos.

Ao mesmo tempo, os cidadãos são novamente instados a tentar evitar o uso de transporte público em caso de recurso à consulta médica por causa de indisposição. Os cidadãos podem usar a linha directa do hospital para eventuais situações e o hospital irá fornecer instruções adequadas.

Apela-se aos pais de bébés e de crianças para que as mantenham em casa. Não é adequado que estas possam usar mascaras de adulto.

Na conferência de imprensa foram ainda abordados os seguintes assuntos: a segurança da cidade, dados de entrada e saída de vários postos fronteiriços; medida do Programa de Auto-Estudo dos Alunos em casa, a situação dos ocupantes na Pousada Marina Infante, a situação de residentes de Macau que permanecem em Hubei, a situação de suspensão do funcionamento de estabelecimentos comerciais de acordo com o despacho, etc..

O Centro de Coordenação salientou ainda que os empregadores devem, se possível, fornecer alojamento aos seus trabalhadores de modo a reduzir as suas oportunidades de estes nadarem na rua e poderem ser infectados. Foi ainda efectuado um apelo para que os residentes não comprem grandes quantidades de arroz, óleos e alimentos. Foi ainda pedido que as pessoas quando entrem na fronteira preencham, de forma verdadeira o formulário de declaração de saúde, caso contrário, devem assumir as responsabilidades criminais.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: o Médico-Adjunto do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Lei Wai Seng, Coordenador do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr. Lam Chong, o Chefe do Departamento de Planeamento de Operações, Sr. Chio Song Un, o Chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos; Sr. Wong Kin Mou, e a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar