Governo apela à sociedade para que se una no combate à epidemia – Não há novos casos confirmados hoje

Apelo a toda a sociedade para combater a epidemia

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, explicou segunda feira, 2 de Março de 2020, na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus o que pretendeu dizer durante a explicação da operação que está a ser planeada para transportar desde Hubei, os residentes que lá se encontram e as manifestações de apoio ao Governo e pelas preocupações com os colegas da linha de frente, referindo que irá considerar seriamente as opiniões de todas as partes.

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, explicou, ainda, que quando mencionou que o Governo sentiu muita pressão ao tomar decisões, quis dizer que a responsabilidade do Governo em cuidar dos residentes e por esta operação acatar um elevado nível de dificuldade provoca uma "pressão". No entanto, acredita que desde que o Governo preveja o pior plano e formule uma operação muito detalhada será possível reduzir ao mínimo os impactos possíveis. O Dr. Lei Chin Ion, enfatizou que o Governo está preocupado com os apelos dos residentes de Macau em Wuhan e está a avaliar todas as possibilidades mais adequadas. Salientou que em determinadas alturas, tendo em conta a situação epidémica, seria mais apropriado escolher o isolamento e o tratamento in loco. No entanto, à medida que a situação epidémica se altera, após uma avaliação, a situação actual possui condições mais adequadas, incluindo: 1) a situação epidémica em Macau tornou-se relativamente estável, e não há registos de novos casos, sendo que até ao momento, a primeira onda de transmissão foi ultrapassada e já decorreram quase dois ciclos de período de incubação; 2) a situação em Wuhan tornou-se ligeiramente estável e o número de novos casos é agora muito reduzido.

Aliás, isso possibilita que o governo local possa ajudar a operação, pois o trabalho local de prevenção da epidemia é menos intenso e há a possibilidade de reduzir o risco de infecção dos residentes de Macau em Wuhan durante a deslocação ao aeroporto.

Relativamente às opiniões que o Governou decidiu realizar a operação após a pressão dos jornalistas, o Dr. Lei Chin Ion, afirmou que a sociedade deve entender que uma das responsabilidades dos jornalistas é monitorizar a actividade governativa pelo que espera que a sociedade não pressione os jornalistas por estes cumprirem os seus deveres profissionais. As autoridades estão atentas e abertas a todas as sugestões de modo a melhorar todos os trabalhos preventivos. Outros comentários sugerem que o Governo deve fazer bom uso dos recursos. Se essas pessoas não têm residência em Macau, não devem ser transportados para Macau por não morarem cá. O Director indicou que os Serviços de Saúde vão fazer um trabalho prévio de comunicação mais detalhado e completo, agradecendo às pessoas que demonstraram preocupação com a equipa da linha de frente, defendendo que actualmente mais de 1.000 profissionais de saúde se voluntariaram para participar nas operações, pelo que o Director sentiu muito emocionado e orgulhoso perante este espírito destemido. Algumas defendem a afirmação de "Todos em Macau assumem o risco", um desejo que podia ser replicado por todos. Quando alguém se encontra numa situação delicada espera que o Governo tenha uma responsabilidade e mecanismos viáveis que protejam os cidadãos, e isso diminui a ansiedade dos cidadãos. O Director espera que a sociedade analise racionalmente a situação, enfatizando que esta batalha ainda não terminou e que os cidadãos devem confiar no Governo e devem, todos, colaborar nas medidas contra o cornavírus.

O Dr. Lei Chion Ion salientou, a propósito desta operação que os residentes de Macau que estão em Hubei vão ter que responder a um questionário de avaliação de saúde elaborado pelos Serviços de Saúde, onde entre as questões estarão situações como, por exemplo, se visitaram hospitais locais, entraram em contacto com pacientes confirmados nos últimos 14 dias, e se manifestam sintomas como febre, tosse, dor de garganta, fraqueza geral, dor muscular, diarreia etc., Após a recolha destes questionários os Serviços de Saúde irão avaliar se os residentes são adequados para embarcar.

Também, no dia em que o avião fretado chegar a Hubei, a equipa médica irá instalar pontos de exames no aeroporto para realizar exames físicos e depois determinar se eles as pessoas estão em condições sanitárias para embarcar no avião. Relativamente à necessidade ou não da equipa médica realizar um isolamento após regresso o director dos Serviços de Saúde mencionou que a equipa médica de Macau irá ter cuidados redobrados e terá tom medidas de autoprotecção ao tratar directamente os pacientes com COVID-19, pelo que considera que os profissionais de saúde não necessitam de receber medidas de isolamento. No entanto, para garantir a segurança da equipa médica e de suas famílias. Os Serviços de Saúde antes da partida vão disponibilizar alojamento para a equipa médica e eles podem optar por ficar ou não. Alguns profissionais de saúde confiam nas suas próprias operações e optam por voltar para casa como de costume. Se os residentes forem infectados com COVID-19, por exemplo na viagem até ao aeroporto, mas não adoeceram quando entraram no avião, e apenas adoeceram em Macau, para cuidar da equipa não médica nesse vôo e das suas famílias, os Serviços de Saúde irão providenciar observação médica por 14 dias numa unidade de alojamento. O O Dr. Lei Chion Ion explicou que tendo em conta que o período de incubação geralmente varia de 3 a 7 dias os residentes de Macau que viajarem de Hubei e que não apresentam sintomas, se os mesmos ainda não apresentarem sintomas apos 14 dias de observação médica, é suficiente para confirmar que não estão infectados. A menos que exista uma base científica no futuro para indicar que o período de incubação da doença é superior a 14 dias. Aí as autoridades irão estudar se se deve prolongar o período de observação.

No entanto, se houver registo de alguns residentes infectados estes serão enviados à enfermaria de isolamento do Serviço de Urgência do Centro Hospitalar Conde de São Januário para tratamento de isolamento e o pessoal de acompanhamento será considerado de contacto próximo e enviado ao Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane para receber observação em isolamento.

O director dos Serviços de Saúde também explicou que para as autoridades considerarem a definição de uma área de alta incidência, além do número de casos específicos na região, devem considerar a taxa de aumento de casos e a possibilidade de encontrar a fonte e contactos próximos dos casos. Como exemplo, nos Estados Unidos há muitos casos em que a fonte e os contactos próximos não puderam ser encontrados, isso significa que existe um certo risco de transmissão da comunidade e o risco de surtos da comunidade é muito alto.

Em Hong Kong, embora o número de casos continue a aumentar, em todos os casos foi possível encontrar a fonte de contágio e contactos próximos, pelo que o risco de um surto na comunidade é relativamente baixo. Até ao momento, as autoridades não adicionaram nenhum país à actual lista de regiões com alta incidência.

Sobre as mascaras o director dos Serviços de Saúde anunciou, ainda, que, o 5.º plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau terá inicio terça-feira, 3 de Março, sendo que as respectivas organizações são idênticas aos planos anteriores, incluindo o facto de cada pessoa poder comprar 10 máscaras e os titulares de BIR de crianças poderem comprar até 5 máscaras infantis.

Relativamente aos pontos de venda foi anunciado que três locais de venda, não estarão abertos nesta ronda, nomeadamente locais de venda da Federação das Associações dos Operários de Macau, incluindo Centro de serviços do Associação Geral dos Operários de Macau em Edifício do Logo Taipa, Complexo de Serviços para a Família e Comunidade do Fai Chi Kei da Federação das Associações dos Operários de Macau e Centro para o desenvolvimento de carreiras da Federação das Associações dos Operários de Macau.

A efectuar a venda de máscaras durante o 5.º plano de fornecimento estarão disponíveis 84 locais de venda. O número de máscaras disponíveis permite servir todas as necessidades da população. Não há necessidade dos residentes efectuarem filas de espera, aguardarem longas horas pela abertura das farmácias ou correrem para os pontos de venda. Como os centros de saúde dos Serviços de Saúde estão já a funcionar de modo normal e daí não haver uma maior mobilização de funcionários para auxiliar na venda de máscaras poderão ocorrer períodos mais longos de espera.

O Dr. Lei Chin Ion agradeceu o apoio dado pela Secretaria para os Assuntos Sociais e Cultura, a equipa da Secretaria para a Economia e Finanças, e todas as pessoas e instituições que têm colaborado na venda de máscaras.

A Coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou, relatou que, nas últimas 24 horas, não foram registados casos confirmados da infecção pelo COVID-19 em Macau. Os dois (2) doentes confirmados que ainda estão na enfermaria de isolamento do CHCSJ são considerados casos ligeiros sem febre nem dificuldades respiratórias significativas. Até às 14 horas do dia 2 de Março, tinham sido registados 1.848 casos suspeitos (incluindo os 10 casos confirmados). Em 1.827 casos foi excluída a infecção. Há 11 casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente. Foram acompanhados clinicamente 74 pessoas consideradas como casos de contacto próximo e 71 delas concluíram o isolamento preventivo. Nas últimas 24 horas foram analisadas pelo Laboratório de Saúde Pública 111 amostras. Relativamente aos indivíduos que visitaram a Coreia do Sul, Itália e Irão nos 14 dias antes de entrar em Macau e necessitam de receber 14 dias de observação médica, nas últimas 24 horas foram acrescentados 12 residentes de Macau, 10 dos quais estiveram na Coreia do Sul e 2 dos quais estiveram na Itália.

Desde a implementação desta medida, entre o meio-dia do dia 26 de Fevereiro e de manhã do dia 2 de Março, 49 pessoas necessitam de observação médica, entre deles, 33 residentes de Macau escolheram a observação no domicilio e 16 pessoas estão sob a observação em locais designados. Sobre o objetivo do sistema de declaração de saúde a Dr.ª Leong Iek Hou explicou que o mesmo se destina ao saber o estado de saúde dos cidadãos, antes de entrar em determinados lugares, e ao alertar o público para que preste atenção à prevenção de epidemia.

No início do programa deste sistema, as autoridades pensaram que era mais ideal se o sistema tivesse a função de “rastreio e acompanhamento”, mas devia considerar que, esta função relevante fosse alcançada, todos os estabelecimentos deviam ser equipados os aparelhos de digitalização. Isto podia levar a tempo mais lento para os cidadãos a entrar, causando aglomeração e inconveniência ao público. Além disso, a autoridade também considerou outras alternativas para alcançar a meta de acompanhamento, por exemplo, infelizmente, se houver o caso confirmado no centro de saúde, a autoridade pode obter as informações de contactos próximos através da lista de espera na consulta médica; os contatos próximos serão definidos não pelas pessoas que estiveram no mesmo local e no mesmo período mas por outros factores. Portanto, o sistema de declaração de saúde não foi projectado com função de “rastreio” (tracking).

TURISMO

A Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, indicou que actualmente, há um total de 172 residentes de Macau e os seus acompanhantes familiares na Província de Hubei que entraram em contacto com a autoridade, 47 dos quais (das 26 famílias) manifestaram a vontade de regressar a Macau, no 1.º voo fretado. O Gabinete de Gestão de Crises do Turismo (GGCT) ainda tem mantido a comunicando com outras pessoas que têm filhos, idosos ou pacientes com doenças prolongadas e estão mais perto de Wuhan, a fim de saber qual a vontade destas pessoas. As 47 pessoas mencionadas manifestaram vontade de regresso a Macau, mas devem aguardar as várias avaliações, antes de embarcar no avião. As autoridades já fizeram a avaliação preliminar das informações dos residentes que pretendem regressar a Macau, incluindo 47 pessoas portadoras de BIR de Macau, algumas delas com menos de 18 anos de idade que devem ter acompanhantes familiares adultos, e outras também devem ter tutores em Macau.

As condições das 47 pessoas referidas para embarcar no avião são basicamente correspondentes à avaliação pela DST. Entre as 47 pessoas, há crianças menores de 3 anos de idade e uma criança que foi alvo de atenção particular por alguns meios de comunicação social.

Há 97 pessoas sujeitas a isolamento na Pousada Marina Infante Hotel, sendo 84 trabalhadores não residentes, onze (11) residentes de Macau e duas (2) pessoas da Coreia do Sul.

O Gabinete de Gestão de Crises do Turismo (GGCT) recebeu no total o registo de 33 pessoas que se encontram na Coreia do Sul que pretendem regressar a Macau através de Hong Kong. Entre 26 de Fevereiro e 2 de Março, 26 pessoas já regressaram a Macau e posteriormente irão chegar 7 residentes. Segundo a organização de companhia aérea, qualquer residente de Macau que comprou o voo da Coreia do Sul para regressar a Hong Kong deve ligar a linha verde +853 2833 3000 para efectuar o registo.

Durante a epidemia, até ao momento, todos os casos de pedido de apoio recebidos pelo GGCT são principalmente relacionados com os residentes de Macau em Hubei e na Coreia do Sul; outros casos são casos individuais, como os residentes de Macau que visitaram o Vietname e as Filipinas telefonaram o GGCT para saber as informações epidémicas e como regressar a Macau, bem como os residentes que estavam na Província de Jiangxi e regressaram a Macau em veículo próprio. Esses casos já foram resolvidos.

EDUCAÇÃO

O chefe da Divisão de Extensão Educativa da DSEJ, Dr. Wong Chi Iong, em resposta do desenvolvimento recente do COVID-19 em Macau, considerou que há vários sectores reiniciaram o trabalho e daí os pais necessitarem de se ausentar de casa, contudo há situações que estão em idade escolar e necessitam de cuidados devido à ausência dos pais n, bem como é necessário ter em conta educação adicional necessária, portanto, após a discussão com os serviços relevantes, todos os centros de explicação e instituições de educação contínua irão reiniciar, mas com serviços limitados em 2 de Março, sob o cumprimento em rigor das orientações respectivas emitidas pelos Serviços de Saúde.

A fim de garantir o estudo de alunos num ambiente saudável e seguro, bem como bem preparar o sector de educação, a DSEJ desde 28 de Fevereiro está reuniur com centros de explicação, várias associações e sectores no âmbito da educação contínua, respectivamente tendo esclarecido em detalhes as observações relacionadas com a limpeza e desinfecção durante o reinício dos serviços limitados.

A DSEJ também forneceu os materiais anti-epidemia oferecidos pela comunidade aos 1.000 centros de explicação e às instituições de educação contínua, incluindo 37.500 máscaras e 7.000 unidades de gel de álcool para lavagem as mãos para o sector efectuar um trabalho anti-epidemia. No dia 1 de Março, enviou o pessoal para saber a preparação de reinício de trabalho em centros de explicação e instituições de educação contínua. Segundo a observação in-loco, todas as instituições já prepararam desinfecção e limpeza, bem como medidas e materiais anti-epidemia correspondentes aos critérios de limpeza ambiental.

Durante o reinício de serviços limitados em instituições relevantes, toda a gente deve usar máscaras, sujeitar a medição de temperatura e preencher a declaração pessoal de saúde. A DSEJ continuará a prestar atenção à situação dos centros de explicação e instituições de educação contínua, bem como tem mantido uma boa comunicação com o sector, em tempo hábil, a fim de alcançar a prevenção para a segurança de estudantes. Finalmente, manifestou o agradecimento à colaboração de apoio dados pelo sector.

Corpo de Polícia de Segurança Pública

O chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai, relatou a situação geral sobre a entrada e saída, tendo acrescentado que nos termos da Lei de prevenção, controlo e tratamento de doenças transmissíveis e respectivas orientações, desde o dia 1 de Março, até à meia-noite, os visitantes provenientes das áreas de alta incidência foram transferidos aos dois postos temporários, no Campo dos Operários da Associação Geral dos Operários de Macau e no Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, 1.390 e 1.559 visitantes, respectivamente, para serem submetidos a exames médicos. 263 visitantes recusaram os exames e optaram por regressar ao Interior da China. Dois (2) residentes de Macau foram encaminhados para exames médicos devido a deslocações frequentes e anormais diárias entre Macau e o Interior da China. Todos os serviços públicos reiniciaram o trabalho regular e o tráfego é normal, durante o horário de trabalho de manhã, quer as pessoas, quer os carros, de forma ordenada; apela-se novamente ao público que deve persistir e evitar a concentração de pessoas, nem se reunir, lavar as mãos sempre, usar máscaras, preencher a declaração de saúde e reduzir a saída de Macau.

Estiveram presentes na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus: o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai, o chefe da Divisão de Extensão Educativa da DSEJ, Dr. Wong Chi Iong e a Coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar