Serviços de Saúde realizam reunião antiepidémica com  representantes do sector de saúde privado

A reunião presidida pelo director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, Dra. Ung Pui Kun e Dr. Lam Chong

Na sexta-feira (dia 6 de Março), o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus realizou um encontro com representantes do sector de saúde privado sobre o trabalho antiepidémico onde foram apresentados esclarecimentos, a representantes de três (3) hospitais privados e de associações da área médica, sobre a actual situação epidémica, o trabalho antiepidémico, grupos mais vulneráveis e susceptíveis de serem infectados e grupos de alto risco, manifestações clínicas e também foram apresentadas recomendações emitidas pela Organização Mundial de Saúde, medidas padrão de protecção, procedimentos médicos para medidas de controlo de infecção, entre outros.

O director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion salientou que, devido à situação epidémica, não foi possível organizar um encontro de grande escala com sector de saúde, por isso, solicitou, a todos os representantes para que sejam uma ligação entre os seus membros, na transmissão das informações epidémicas.

Para fortalecer a comunicação, os Serviços de Saúde criaram um grupo na plataforma WeChat com representantes da medicina ocidental, dentistas e medicina chinesa, onde são recolhidas opiniões dos profissionais sobre medidas auxiliares, materiais de protecção, bem como orientações para a protecção nos estabelecimentos médicos privados, entre outras.

Nos dias que correm todos os sectores de Macau estão sob impacto e pressão económica, portanto, as medidas de apoio lançadas pelo Governo da RAEM dependem de várias considerações, cuidadosamente preparadas e algumas sugestões submetidas pelos Serviços de Saúde já foram consideradas e aceites pelo sector de saúde, incluindo uma emissão extra dos Vales de Saúde (MOP600), isenção de taxas relativa à renovação de licença de 2020 (profissionais de saúde e estabelecimentos de cuidados de saúde), assistência por Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas, entre outras.

Quanto ao pedido apresentado pelo sector sobre os materiais de protecção, tendo em vista as dificuldades globais na aquisição de máscaras e outros equipamentos de protecção, o Governo está a aguardar que o sector disponibilize a lista de fornecedores de materiais médicos a fim aliviar as dificuldades das compras ao sector. Houve uma sugestão apresentada pelo sector que os materiais antiepidémicos oferecidos pelas pessoas sociais ao Governo da RAEM sejam distribuídos pelas clínicas privadas. A esta solicitação o Serviço de Saúde salientou que esses materiais devem ser aproveitados de maneira uniforme e neste momento é fundamental assegurar os equipamentos de protecção suficientes para todo o pessoal médico da linha frente. O director também incentivou o sector a continuar o auto fortalecimento para lidar com o momento epidémico. Os Serviços de Saúde continuarão avaliar as opiniões colocadas pelo sector, no sentido de apoiar e tentar resolver as dificuldades, retomar os serviços de atendimento regular, de forma ordenada.

O Director Dr. Lei Chin Ion destacou, também, que o apelo emitido pelos Serviços de Saúde no dia 4 de Fevereiro, para suspender temporariamente os estabelecimentos médicos privados teve em consideração o facto de muitas clínicas privadas de Macau estarem instaladas em edifícios residenciais, sendo que muitos moradores manifestaram a preocupação com o risco de transmissão comunitária.

Já que a actual situação epidémica em Macau está estável e foi retomado o funcionamento de vários sectores, a fim de garantir que os estabelecimentos médicos funcionem normalmente e prestem serviços e que o ambiente de saúde local e as medidas de protecção para o pessoal médico atendam aos requisitos necessários, foram elaboradas “Recomendações para clínicas e policlínicas” e resposta às perguntas reflectidas por sector, também foram formuladas imediatamente “Recomendações para controlo da infecção em instituições médicas”, de forma a fortalecer e as medidas de tratamento da equipa médica, proteger a equipa médica e os pacientes e evitar o risco de infecções na comunidade. Os Serviços de Saúde lembram a todos os estabelecimentos médicos privados que sigam rigorosamente as directrizes e decidam fornecer serviços limitados ou operar normalmente, depois de levar em conta a natureza do negócio e avaliar os riscos.

Na reunião, os representantes do sector médico expressaram a sua gratidão e apoio ao trabalho de prevenção da epidemia do Governo da RAEM, consideraram que o Governo respondeu rapidamente, tomou decisões sábias, eficazes e antecipou cenários o que resultou na obtenção de bons resultados. Por outro lado, as instituições médicas públicas e privadas assumem as suas responsabilidades e fazem um bom trabalho em estabelecimentos médicos para responder à epidemia. Actualmente, os estabelecimentos médicos privados enfrentam principalmente dificuldades na compra de materiais de protecção e problemas financeiros e já que as clínicas privadas não estão incluídas no Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas, o sector espera que as autoridades os acompanhem e possa obter ajuda do Governo da RAEM para ter subsídios na compra de materiais antiepidémicos ou ajudar a criar com o sector bancário alguma Lina de crédito de apoio ao sector médico, como por exemplo a criação de um canal verde para ajudar o sector a solicitar empréstimos por pessoal especial. Além disso, os representantes do sector partilharam a experiência na distribuição e gerenciamento de materiais de protecção, nas medidas de prevenção e controlo durante as consultas médicas de diferentes serviços especializados e consideraram que as clínicas privadas devem fazer uma boa avaliação de risco durante a consulta, como um entendimento detalhado do histórico de viagens dos pacientes, que é de grande valor na transmissão comunitária.

Os Serviços de Saúde apelaram às instituições médicas privadas que enfrentam ou tenham de tratar doentes suspeitos têm de implementar de foram estrita as medidas de protecção padrão, e recomendam que todos os pacientes com febre ou infecções de tracto respiratório agudas sejam imediatamente encaminhados para o Centro Hospitalar Conde de São Januário. Todas as directrizes estão disponíveis na “Página Electrónica Especial Contra Epidemias” (https://www.ssm.gov.mo/apps1/PreventCOVID-19/pt.aspx#clg17047).

Estiveram presentes na reunião: o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, o responsável do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Lam Chog, o Coordenador do Gabinete Organizador para a Construção de Novas Instalações dos Serviços de Saúde, Dr. Chou Kuok Hei, a chefia funcional da UTLAP, Leong Pui San e o presidente de HIG, médico Pang Fong Kuong.

Estiveram também presentes os representantes do sector: a Directora da Administração do Hospital Kiang Wu, Dra. Ung Pui Kun, Vice-Director Dr. Chan Tai Ip, a Vice-Directora do Hospital da Universidade de Ciência e Tecnologia, Dra. Mo Yan, o Director do Hospital Yin Kui, Dr. Iong Ka Kun, o Presidente da Associação Geral do Sector de Medicina de Macau, Dr. Chan Iek Lap, a Presidente da Associação da Construção Conjunta de Um Bom Lar, Dra. Wong Kit Cheng, a Directora dos Serviços Médicos Operatórios da FAOM, subst.ª, Dra. Leong Iok Wa, a Presidente da Associação Chinesa dos Profissionais de Medicina de Macau, Dra. Lao Tong Nei, o Presidente do Conselho Executivo da Associação de Médicos de Macau, Dr. Lam Chit Cheng, o Presidente da Associação de Farmácia de Medicina Chinesa de Macau, Dr. Paulo do Lago Comandante, o Director da Associação dos Médicos de Medicina Tradicional Chinesa de Macau, Dr. Lao Chi Leong, o Presidente da Associação de Odontologia de Macau, Dr. Lao Iek Wan e o Presidente da Associação de Estomatologia de Macau, Dr. Wong Chong Kit.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar