Escolas do ensino não superior retomam aulas até 20 de Abril – Centro de Coordenação de Contingência apela ao preenchimento com verdade da declaração da saúde

Centro de Coordenação de Contingência apresentou plano de regresso às aulas das escolas do ensino não superior

O Subdirector da DSEJ, Dr. Kong Chi Meng apresentou na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus realizada, terça-feira, 10 de Março, uma proposta preliminar sobre o reinício das aulas nas escolas do ensino não superior. O Dr. Kong Chi Meng salientou que dada situação epidemiológica do novo tipo de coronavírus em Macau, que diminuiu desde meados de Fevereiro, não havendo novos casos locais há 35 dias consecutivos e os 10 casos confirmados já tiveram alta hospitalar, a par disso, na província de Cantão (Guangdong) há apenas casos esporádicos, casos importados do exterior, e nas cidades de Zhuhai e de Zhongshan não são registados novos casos há mais de 20 dias consecutivos.

Com a actual situação epidemiológica estável, espera-se que as escolas do ensino superior retomem as aulas até ao dia 20 de Abril, e a data específica do reinício das aulas será decidida e anunciada no final de Março, contudo, não será excluída a possibilidade de a data de reinício das aulas ser ajustada em resposta à evolução da situação epidemiológica e às opiniões dos Serviços de Saúde. O Subdirector salientou que a saúde de estudantes é a prioridade máxima a ter em consideração.

Por outro lado, tendo em conta que os estudantes do 3.º ano do ensino secundário complementar necessitam de uma melhor orientação escolar para graduar para universidade, atendendo a que a situação epidemiológica é diminuta e estável nos últimos dias e atendendo ao número limitado destes estudantes, em conformidade com as orientações dos Serviços de Saúde, pretende-se que, no final de Março, os estudantes do 3.º ano do ensino secundário complementar possam, por sua vontade, regressar à escola mais cedo, para efectuar trabalhos preparativos necessários para a universidade, devendo os mesmos cumprir as orientações dos serviços de saúde competentes, tais como a monitorização da temperatura corporal, o uso de máscaras, a manutenção da distância entre os estudantes e a desinfecção das salas de aula, etc..

As autoridades apelam ainda, para além dos docentes e estudantes transfronteiriços que residem habitualmente nas cidades de Zhuhai e de Zhongshan, aos docentes e estudantes que se encontrem no exterior de Macau para regressarem ao Território com a maior brevidade possível, no sentido de fazer bem os trabalhos preparativos.

O mesmo responsável reiterou que, após o reinício das aulas, as escolas não precisam de seguir o original andamento/ritmo de ensino e que se centram principalmente na revisão de conhecimentos antigos, não podendo efectuar testes ou exames nas primeiras duas semanas de ensino após o regresso para que os estudantes se adaptem, de novo, à vida escolar. Além disso, dado que a situação epidemiológica é um factor de força maior, as autoridades não vão obrigar as escolas a compensar os tempos lectivos, mas as escolas podem, conforme necessário, prolongar os dias lectivos até 30 de Julho.

O Subdirector referiu ainda que as autoridades fornecerão às escolas 160 mil máscaras, doadas pela sociedade, como um backup, para evitar a falta de protecção dos estudantes devido a danos ou contaminação das máscaras. Antes da reabertura das aulas, as autoridades também ajudarão as escolas na instalação do equipamento de detecção, tais como a medição da temperatura, bem como na limpeza e desinfecção. Durante a conferência de imprensa o responsável da DSEJ ainda abordou procedimentos relacionadas com o registo central para acesso escolar das crianças ao ensino infantil, e normas de regresso à escola, entre outras.

Serviços de Saúde

O Coordenador do Centro Clínico de Saúde Pública, Dr. U Sio On anunciouque, nas últimas 24 horas, não foi registado em Macau qualquer novo caso confirmado pela infecção por Novo Tipo de Coronavírus (COVID-19). Actualmente, não há mais doentes internados na enfermaria de isolamento do CHSCJ. Nas últimas 24 horas, na Urgência Especial do CHCSJ foram registados nove (9) casos suspeitos que foram submetidos a exames. Todos casos já foram excluídos. 27 casos analisados no Hospital Kiang Wu foram submetidos à análise laboratorial, dos quais 19 foram excluídos e oito (8) estão com resultado pendente. Foram analisadas pelo Laboratório de Saúde Pública 132 amostras. Foram avaliados 47 casos com febre ou sintomas de tracto respiratório, considerados de baixo risco, nos Serviços de Urgência do CHCSJ e do Hospital Kiang Wu que necessitam de ser enviados para analises. Até às 14 horas do dia 10 de Março, tinham sido registados 2.079 casos suspeitos (incluindo os 10 casos confirmados). Em 2.061 casos foi excluída a infecção. Há oito (8) casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente. Foram acompanhados clinicamente 74 pessoas consideradas como casos de contacto próximo e todas concluíram o isolamento preventivo.

Actualmente, 60 pessoas estão em isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane, incluindo três (3) que estão em período de convalescença e os 57 residentes de Macau retirados de Hubei, dos quais 21 são do sexo masculino e 39 do sexo feminino e 14 pessoas com menos de 14 anos de idade. Todas as pessoas estão em boas condições, sem tosse, febre, nem pneumonia ou sintomas relacionados. Há uma mulher de 39 anos de idade, isolada no Centro Clínico, que manifestou dores no pescoço, tendo sido tratada por um médico.

O Centro Hospitalar Conde de São Januário enviou um Otorrinolaringologista para efectuar um exame a um bebé que foi diagnosticado com seio pré-auricular congénito, tendo sido marcadas Consultas Externas de Pediatria e de Otorrinolaringologia para acompanhamento. As sete pessoas com doenças crónicas continuam a tomar medicamentos, sendo as suas situações consideradas estáveis.

Na quarta-feira (11 de Março), o 10.º caso confirmado em Macau será submetido ao terceiro teste de ácido nucleico. Caso o resultado seja negativo, a observação médica de isolamento durante o período de convalescença pode terminar e que pode sair do Centro Clínico de Saúde Pública, começando o isolamento domiciliário durante 14 dias após o regresso para casa.

A Coordenadora do Centro de Controlo de Doenças de Macau, Dr.ª Leong Iek Hou afirmou que, os indivíduos necessitam de receber 14 dias de observação médica dado terem estado em regiões de alta incidência 14 dias antes da entrada em Macau, como a Coreia do Sul, Itália e Irão. Nas últimas 24 horas, três (3) pessoas que regressaram da Coreia do Sul a Macau foram submetidos a observação médica, dos quais dois (2) são residentes de Macau e um (1) visitante do Interior da China.

Desde a implementação desta medida, entre o meio-dia do dia 26 de Fevereiro e a manhã do dia 10 de Março, 74 pessoas estão em observação médica, entre deles, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes de nacionalidade sul-coreana, quatro (4) turistas do Interior da China, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes da nacionalidade italiana, um (1) turista de Hong Kong e 61 de residentes de Macau, destes últimos 47 escolheram efectuar a observação no domicílio e 25 estão em local designado.

Por outro lado, as autoridades de Macau receberam uma notificação do Centro de Prevenção e Controlo das doenças de Zhuhai que um visitante do Interior da China que tinha viajado para a Coreia do Sul regressou à cidade Shenyang no dia 3 de Março pelo aeroporto de Incheon da Coreia do Sul. Foi a Zhuhai no dia 5 de Março e entrou em Macau na noite do mesmo dia através do posto fronteiriço de Hengqin, mas esta pessoa não declarou na declaração de saúde que tinha estado na Coreia do Sul nos 14 dias anteriores à entrada no território. Por isso, as autoridades comunicaram a situação ao Corpo de Polícia de Segurança Pública, pelo que, neste momento, este visitante do Interior da China foi encaminhado no hotel designado para observação médica de isolamento.

O Centro de Coordenação de Contingência salienta e apela aos cidadãos e turistas devem declarar verdadeiramente na entrada de Macau, caso contrário, podem assumir a responsabilidade criminal. As autoridades têm contactos estreitos com os serviços de saúde do Interior da China e do exterior e há maneiras de efectuar a rastreabilidade do percurso e detectar declarações falsas no momento da entrada.

A Dr.ª Leong Iek Hou também referiu que, a prevenção e controlo de doenças transmissíveis não depende apenas de uma única região ou país para lidar com todos os problemas, após a SARS em 2003, Macau, o Interior da China e Hong Kong, entre outros, estabeleceram mecanismos conjuntos de prevenção e controlo com diferentes países através da Organização Mundial da Saúde. No passado, Macau, através deste mecanismo, também fez bons trabalhos na prevenção de doenças transmissíveis.

A Dr.ª Leong Iek Hou sublinhou que existe um mecanismo viável para a prevenção e controlo de doenças transmissíveis, reiterando que os cidadãos devem apresentar a sua declaração de forma honesta e verdadeirade modo a que as autoridades possam tomar medidas de isolamento o mais rápido possível.

Turismo

A Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Inês Chan referiu que neste momento estão ainda na província em Hubei 121 residentes de Macau e os seus familiares acompanhados.

257 pessoas foram submetidas a isolamento no Hotel “Pousada Marina Infante”, 232 de trabalhadores não residentes, 18 de residentes de Macau, 7 de turistas. A mesma disse ainda que, devido ao desenvolvimento da epidemia, muitos países e regiões têm vindo a ajustar as medidas de quarentena e de migração, e que a política de aplicação do governo local não vai comunicar com o Governo da RAEM com antecedência.

Relativamente aos países que têm decretado medidas paras os cidadãos que tenham estado em Macau a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo apelou aos cidadãos para verificarem, antes da deslocação, as últimas informações divulgadas na página electrónica oficial do governo local ou contactar as Embaixadas da China locais ou nas regiões vizinhas, para entender a situação relevante antes de viajar.

Corpo de Polícia de Segurança Pública

Por fim, Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, relatou a situação geral sobre a segurança de sociedade, a ordem nos postos de venda de máscaras e a entrada e saída em Macau, etc...

Nos termos da Lei de prevenção, controlo e tratamento de doenças transmissíveis e respectivas orientações, desde 9 de Março, até à meia-noite, os visitantes provenientes das áreas de alta incidência foram transferidos pela CPSP a dois postos temporários, no Fórum de Macau e no Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, 2.579 e 1.564 visitantes, respectivamente, para serem submetidos a exames médicos. 231 visitantes recusaram exames e optaram por regressar ao Interior da China. Nenhum residente de Macau foi encaminhado para exames médicos devido a deslocações diárias frequentes e anormais entre Macau e o Interior da China.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong referiu que após a recepção da denúncia pelos Serviços de Saúde, foi efectuada uma investigação de acordo com a lei e encaminhada para o Ministério Público para acompanhamento. Revelou que a pessoa envolvida é titular do Passaporte da RPC, o período de permanência termina no dia 13 de Março. Actualmente, este individuo foi enviado para observação médica no hotel designado, o prazo de permanência será acompanhado pelos Serviços de Migração do Corpo de Polícia de Segurança Pública, de acordo com a situação real. Além disso, nos termos da lei de Macau, será cobrada uma taxa de observação médica.

Estiveram presentes na conferencia de imprensa o Subdirector da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Kong Chi Meng, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, a Coordenadora do Núcleo de prevenção e doenças infecciosas do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, o Coordenador do Centro Clínico de Saúde Pública, Dr. U Sio On.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar