Índice de preços no consumidor (IPC) referente a Fevereiro de 2020


O IPC Geral de Fevereiro de 2020 atingiu 103,56, isto é, +2,33% em termos anuais, este acréscimo diminuiu 0,65 pontos percentuais, face ao de Janeiro de 2020 (+2,98%). O crescimento homólogo em Fevereiro foi impulsionado, principalmente, pelo aumento dos preços: das refeições adquiridas fora de casa; da carne de porco fresca; da gasolina e do gás de petróleo liquefeito, bem como pela ascensão das rendas de casa, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Entre as várias secções de bens e serviços, os índices de preços das secções dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e da educação registaram os acréscimos mais significativos, ou seja, +6,08% e +5,14%, respectivamente, face a Fevereiro de 2019, porém, os índices de preços das secções das comunicações, da recreação e cultura, bem como do vestuário e calçado baixaram 8,80%, 5,91% e 5,16%, respectivamente. O IPC-A (103,68) e o IPC-B (103,41) aumentaram 2,42% e 2,24%, respectivamente, em termos anuais.

Em Fevereiro deste ano o IPC Geral cresceu ligeiramente 0,04%, em termos mensais. O índice de preços da secção dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas subiu 1,23%, em termos mensais, devido essencialmente ao acréscimo dos preços: dos produtos hortícolas; da carne de porco fresca; do peixe fresco; dos produtos do mar frescos e das refeições adquiridas fora de casa. O índice de preços da secção da habitação e combustíveis aumentou 0,20%, em termos mensais, graças ao crescimento dos preços do gás de petróleo liquefeito e da electricidade. Por seu turno, os índices de preços das secções da recreação e cultura (-4,21%, em termos mensais) e dos transportes (-1,60%) baixaram, em virtude do decréscimo dos preços dos pacotes turísticos e dos bilhetes de avião. O IPC-A aumentou 0,13% em termos mensais, contudo, o IPC-B diminuiu 0,09%.

O IPC Geral médio dos 12 meses terminados no mês de referência, em relação aos 12 meses imediatamente anteriores, subiu 2,71%, observando-se os maiores crescimentos nos índices de preços das secções da educação (+5,52%), dos transportes (+4,81%) e dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (+4,30%). O IPC-A e o IPC-B, ambos índices médios, aumentaram 2,66% e 3,24%, respectivamente, face ao período anterior.

Nos dois primeiros meses do corrente ano o IPC Geral médio cresceu 2,65%, em relação ao mesmo período do ano transacto. O IPC-A e o IPC-B, ambos índices médios, subiram 2,71% e 2,59%, respectivamente, face ao idêntico período do ano precedente.

O IPC Geral permite conhecer a influência da variação de preços na generalidade dos agregados familiares de Macau. O IPC-A corresponde a cerca de 50% dos agregados familiares, que têm uma despesa média mensal compreendida entre 12.000 e 35.999 Patacas e o IPC-B corresponde a cerca de 30% dos agregados familiares, que têm uma despesa média mensal compreendida entre 36.000 e 62.999 Patacas.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar