Governo da RAEM atento às situações relacionadas com o uso do cartão de consumo electrónico – Mais um doente diagnosticado com o novo tipo de coronavírus com alta hospitalar

Mais um paciente diagnosticado com o novo tipo de coronavírus teve alta hospitalar

O Presidente da Comissão Executiva do Conselho de Consumidores, Wong Hon Neng divulgou na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que desde o lançamento do “Cartão de consumo electrónico” ( entre o dia 1 de Maio e hora de almoço de hoje), o Conselho de Consumidores recebeu 380 queixas apresentadas através do whatsapp e da linha aberta do serviço telefónico (8988 9315); dos quais, foram recebidos 295 casos apresentados através da linha no WhatsApp (6298 0886) e 80% deles envolveram supermercados. Este Conselho procedeu ao imediato acompanhamento e tratou 111 casos.

Dos casos de queixa apresentados, muitos desses com fotos transferidas de origem desconhecida, por isso, não podem ser acompanhados. Apela-se aos cidadãos, se quiserem apresentar a queixa, devem anotar as informações completas e suficientes para o acompanhamento, incluindo o local onde apresenta a queixa, a denominação da loja, o conteúdo de queixa e o recibo, etc. Simultaneamente, considerando que os cidadãos são sensíveis aos preços, o Conselho de Consumidores continuará a publicar as informações sobre o preço dos produtos à venda nos supermercados, as informações dos alimentos frescos e vivos à venda nos mercados, o preço de gasolina e as informações das lojas certificadas, através da página electrónica e aplicação móvel do “Posto de informações de preços dos produtos em Macau” e os cidadãos poderão obtê-las mediante esses meios.

Relativamente às queixas contra supermercados, podem ser provavelmente devido a mal-entendido entre os consumidores e supermercados, não podendo assim determinar a existência de violação ou não, mas este Conselho irá deslocar fiscais aos supermercados consoante a necessidade, de modo a emitir o aconselhamento imediato até a advertência. Até ao presente, a resposta dos supermercados foi positiva.

O Conselho dos Consumidores ajusta, sempre, o número de inspecção aleatória em conformidade com diferentes períodos e de forma flexível. Actualmente o número de inspecção aleatória foi alterado de duas (2) vezes por mês para uma (1) vez por semana. A par disso, serão adicionadas operações de inspecção irregulares, o que envolve um total de 44 supermercados situados em cada zona de Macau, e os produtos a serem inspeccionados são classificados em 6 tipos, com um total de 93 itens de produtos. De resto, o Presidente também referiu que, a Proposta de lei sobre a protecção dos direitos e interesses do consumidor está preste a iniciar a discussão técnica.

O Chefe do Departamento, Kong Son Cheong referiu que, recentemente, a Direcção dos Serviços de Economia e o Conselho dos Consumidores estão a atender às situações sobre o uso do cartão de consumo electrónico, de maneira a acompanhar as questões de preço onde o publico manifesta mais preocupação. Até ao presente, já foram acompanhados 19 casos que envolvem a questão de preço, muitos desses casos foram constatados que os funcionários do supermercado estiveram muito ocupados no trabalho, resultando em erros no trabalho de afixação de preço dos produtos. Por outro lado, uma vez que, no dia 1 de Maio, o preço foi alterado na sequência do ajustamento do preço de produtos preferenciais e a retomada do preço original. No dia 2 de Maio, a Direcção dos Serviços de Economia e o Conselho dos Consumidores reuniram com os comerciantes e todos eles manifestaram acompanhar todas as situações que possam ocorrer.

O Chefe do Departamento, Kong Son Cheong indicou que, a intenção original para o estabelecimento do cartão de consumo electrónico é recuperar a economia e aumentar o poder de compra dos cidadãos, reiterando que os comerciantes têm a responsabilidade de manter preços estáveis dos produtos para desempenharem bem o seu trabalho em articulação com o Governo, enfatizando que, a Direcção dos Serviços da Economia e o Conselho dos Consumidores continuam a manter o contacto próximo para atenderem a situação dos preços no mercado.

Antes do uso do cartão de consumo eletrónico, estes Serviços procederam à comunicação com os comerciantes e efectuaram 1.277 inspecções para lhes explicar a situação e o âmbito de uso das referidas máquinas. Nos primeiros dois dias, houve alguns problemas relacionados com a máquina, não se pode descartar que os trabalhadores das lojas estavam ocupados e não familiarizavam a manobra dessas máquinas, acreditando que, no futuro esse fenómeno será melhorado, passo a passo.

No que diz respeito ao aumento de preço dos produtos, quer ser um serviço público, quer ser um departamento de investigação, esses casos devem ser tratados de uma atitude justa. Nos últimos dois dias de inspecção, alguns preços estavam errados devido à alteração dos preços preferenciais pelos comerciantes e na realidade, houve alguns comerciantes ofereceram descontos.

Entre 1 de Maio a 2 de Maio, foram registadas 929 mil transações no valor de 125 milhões no montante total do uso do cartão de consumo electrónico. O valor médio em cada transação foi 135 patacas. Segundos as estatísticas em 2 de Maio, as transacções nos supermercados representaram 23%, nas refeições representaram 21%, e as restantes foram ocorridas em diversos sectores como pronto-a-vestir, electrodomésticos, produtos farmacêuticos e cosméticos, entre outros.

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, anunciou que já passaram vinte e cinco (25) dias desde que foi diagnosticado o último caso de COVID-19. Também, por trinta e seis (36) dias consecutivos que não é registado nenhum caso relacionado com casos importados.

No total a Região Administrativa Especial de Macau registou, até ao momento, quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos foram classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. O estado de saúde do caso grave melhorou. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais. Domingo, 3 de Maio, mais um (1) doente diagnosticado com Covid-19 recuperou e tive alta.

No total trinta e nove dos 45 doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, seis (6) doentes internados, todos com sintomas ligeiros, em boas condições, sem dificuldades respiratórias e não necessitam de oxigénio. Todos os indivíduos contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Dos seis (6) doentes internados, um (1) doente está a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Hospitalar Conde de São Januário e cinco (5) doentes na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Vinte e duas (22) pessoas curadas estão sujeitas a isolamento de recuperação durante 14 dias no Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane; não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. Nas últimas 24 horas, foram analisadas, pelo Laboratório de Saúde Pública, 1.122 amostras.

O Dr. Lo Iek Long também apresentou que o 39.o paciente que teve alta hospitalar é o 32.o paciente confirmado em Macau, sexo masculino, de 31 anos de idade, trabalhador não residente de Macau. No dia 17 de Março partiu de Manila com destino de Hong Kong depois apanhou o autocarro dourado para entrar em Macau através da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, a seguir, apanhou um táxi para casa, permanecendo em casa para ser submetido ao isolamento domiciliário. Negou sair durante o período de isolamento domiciliário. No dia 26 de Março, o doente foi sujeito ao teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de saliva e o resultado laboratorial deu positivo e foi internado na Urgência Especial do Centro Hospitalar Conde de São Januário. O novo teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea também deu positivo e a imagem do tórax mostrou pneumonia, sendo confirmada a pneumonia causada pelo COVID-19. Esteve internado por 39 dias, sujeito ao tratamento de suporte antiviral e sintomático. Agora a condição clínica é estável, sem febre, nem sintomas do tracto respiratório. Nos dias 30 de Abril e 2 de Maio, os testes de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea foram negativos, o exame de imagem do tórax é normal, daí tudo corresponder aos critérios de alta hospitalar, dada no dia 3 de Maio, Será sujeito a isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane para reabilitação por 14 dias. As despesas médicas no valor de MOP 16.000 serão pagas pelo doente após deixar o hospital.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 2 de Maio, houve mais três (3) indivíduos submetidos à observação médica, todos são residentes de Macau. Até ao dia 2 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.131 indivíduos. 74 indivíduos estão ainda em observação médica, 62 dos quais em hotéis designados, nove (9) emembarcações de pesca, três (3) em instalações dos Serviços de Saúde.

A Dr.ª Leong Iek Hou acrescentou que o “Código de Saúde de Macau” foi activado Domingo (dia 3). Das 9h00 às 16h00, o número total de utentes chegou a 90.000 e o número total de uso foi 176.000. A operação geral correu muito bem. Durante o processo, um pequeno número de pessoas não conseguiu passar na verificação de identidade. A Dr.ª Leong Iek Hou esclareceu que o sistema “Código de Saúde de Macau” exige o “registo de nome verdadeiro”, o motivo do erro pode ser o preenchimento errado das informações pessoais ee o sistema não pode verificá-las ou que o sistema falhou na comparação de dados. No entanto, os problemas relacionados do programa desse sistema foram corrigidos; Caso o residente não consiga entrar no sistema do Código de Saúde de Macau, poderá actualizar a página do seu telemóvel e fazer um novo login. Os Serviços de Saúde também continuarão a monitorizar a operação de todo o sistema e a fazer a sua actualização. Espera-se que o sistema relacionado funcione sem problemas. A Dr.ª Leong Iek Hou também disse que as informações básicas do sistema relevante são importadas e operadas pelos Serviços de Saúde e apenas estão limitadas e geridas por um departamento competente dos Serviços de Saúde. Ao exibir o código de saúde, as informações de identidade pessoal dos residentes não serão exibidas. Ao mesmo tempo, as informações constantes do sistema não serão compartilhadas com os demais departamentos ou organismos.

Além disso, a coordenadora afirmou que os Serviços de Saúde receberam hoje a notificação de uma clínica para funcionários de um casino, de que muitos trabalhadores apresentavam sintomas de febre e diarreia. A clínica solicitou aos trabalhadores deslocarem-se ao hospital para consulta médica, sendo que o Hospital Kiang Wu notificou os Serviços de Saúde que seis(6) trabalhadores são do casino Grand Lisboa, e da notificação do Serviço de Urgência, 2 são do Casino Oceanus. A consideração preliminar da causa do incidente aponta para intoxicação alimentar. Os Serviços de Saúde já entraram em contacto com a clínica para solicitar a lista de consultas médicas recentes e contactarão e acompanharão cada um dos casos.

O Chefe de Departamento, Dr. Wong Ka Ki, indicou que com relação às medidas de não aplicação de observações médicas de isolamento para os destinatários específicos desde as 06:00 da manhã do dia 3 de Maio, a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude está em estreita comunicação com escolas e serviços e concluiu o registo para os alunos transfronteiriços. Entre as informações registadas 10 estudantes do ensino secundário complementar são não residentes de Macau e devem deslocar-se entre Zhuhai e Macau após o reinício das aulas. Considerando que os estudantes do ensino secundário complementar regressam a Macau para voltarem a ter aulas em 4 de Maio, após a coordenação com os Serviços de Saúde, os estudantes serão isentos do exame médico de 6 a 8 horas após a chegada em Macau. O Chefe de Departamento também pediu aos alunos que fossem para a escola mais cedo apesar de ser organizado o horário diferente de pico de reinício de aulas, e que seguissem rigorosamente as directrizes dos Serviços de Saúde nomeadamente respeitar as medidas antiepidémicas pessoais, usar máscara, lavar as mãos com frequência, alertando os alunos transfronteiriços que voltam a ter aulas para prestar atenção ao levantamento dos documentos transfronteiriços necessários.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo.

O Chefe de Divisão da CPSP, Dr. Ma Chio Hong referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros. Ele também informou que, até às 17h00 de hoje (3 de Maio), o CPSP recebeu 64 denúncias de perda de cartão de consumo electrónico, das quais, 5 casos de apropriação ilegítima, 1 caso de furto e 1 caso de furto qualificado, sendo que o número de denuncias aumentou significativamente. O Chefe apelou os cidadãos que acharam os cartões de consumo electrónico para que os entreguem nas esquadras. Aqueles que usem os mesmos para consumo pessoal estão a violar a lei.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Presidente da Comissão Executiva do Conselho de Consumidores, Wong Hon Neng, o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe do Departamento do Licenciamento e da Inspecção, Kong Son Cheong, o Chefe do Departamento de Ensino da DSEJ, Wong Ka Ki, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Inês Chan, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Ma Chio Hong e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção e Doenças Infecciosas e Vigilância da Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar