Macau regista 35 dias consecutivos sem casos de COVID-19 / Mais um doente diagnosticado com o novo tipo de coronavírus com alta hospitalar

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus do dia 13 de Maio.

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que já passaram trinta e cinco (35) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por quarenta e seis (46) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais

No total quarenta e três (43) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, dois (2) doentes internados, que são considerados casos ligeiros, encontrando-se em estado estável, sem dificuldades respiratórias, não necessitando de oxigénio.Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Os dois (2) doentes internados estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Doze (12) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas.

O número total de testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus realizados em Macau, no dia 12 de Maio, foi de 3.825.

Quarta-feira, 13 de Maio, mais um (1) doente diagnosticado com Covid-19 recuperou e teve alta. É o 23.o paciente confirmado em Macau, sexo masculino, 12 anos de idade, residente de Macau e estudante no Reino Unido. No dia 20 de Março partiu de Londres do Reino Unido e chegou a Hong Kong. Chegou a Macau através do autocarro exclusivo do Gabinete de Gestão de Crises do Turismo pela Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, a seguir, foi encaminhado para a observação médica no Resort Grande Coloane. No dia 22 de Março, o doente apresentou sintomas de febre e tosse e foi enviado para a Urgência Especial do Centro Hospitalar Conde de São Januário. O teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus realizado através de zaragatoa nasofaríngea deu positivo, sendo confirmada a pneumonia causada pelo COVID-19. No dia 23 de Março foi internado na enfermaria de isolamento e sujeito ao tratamento de suporte antiviral e sintomático. Esteve internado por 52 dias, actualmente, o estado clínico do paciente é estável, sem febre, nem sintomas do tracto respiratório e a imagem do tórax não revela pneumonia. Nos dias 10 e 12 de Maio, os seus testes de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea foram negativos, daí corresponder aos critérios de alta hospitalar, dada no dia 13 de Maio. O paciente será sujeito a isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública, no alto de Coloane para convalescença por um período de 14 dias.

Em resposta às perguntas levantadas pelos jornalistas sobre a necessidade do alargamento do grupo de pessoas que se submetam ao teste de ácido nucleico, o médico Lo Iek Long manifestou que, actualmente, o teste de ácido nucleico de COVID-19 é considerado uma medida complementar essencial para prevenir a epidemia. Em geral, Macau tem capacidade para efectuar, diariamente, 6.000 testes de ácido nucleico, aproximadamente 1% da população, sendo uma proporção relativamente alta. No futuro, será acrescentada, passo a passo, a capacidade de realização de testes de ácido nucleico. No que diz respeito aos destinatários dos testes, neste momento há três (3) tipos de destinatários alvo. Sendo, o 1.o tipo, grupo de pessoas chave, incluindo os professores e funcionários nos ensinos primário e secundário, funcionários nas instalações sociais e pescadores, cujos trabalhos de despistagem já foram concluídos. O 2.o tipo, novos indivíduos internados em estabelecimento fechados ou concentrados, designadamente, hospitais, lares de idosos e prisões. Todos os doentes internados devem concluir em breve o teste de ácido nucleico, esta medida visa proteger os estabelecimentos de alto risco. O 3.o tipo, indivíduos com necessidades de passagem fronteiriças. Os Serviços de Saúde lançaram o programa do teste de ácido nucleico regular, cuja finalidade é realizar o teste de ácido nucleico para aqueles que tenham necessidade de passagem da fronteira.

O Dr. Lo Iek Long anunciou que, a partir da 00h00 horas do dia 14 de Maio, os indivíduos, titulares deSalvo-conduto duplo de Deslocação para Hong Kong e Macau com visto comercial, com visto de visita à família, com visto oficial ou passaporte do Interior da China, podem fazer uma marcação para teste de ácido nucleico através do sistema de marcação on-line do Centro de Coordenação de Contingência. A taxa relacionada é de 180 patacas, mas não há isenção do pagamento do primeiro teste.

Para garantir que os residentes de Macau possam ser sujeitos de forma prioritária aos testes, as vagas da marcação são limitadas e o sistema de marcação online actualizará dinamicamente as vagas da marcação para as diferentes categorias de pessoas, de acordo com o objectivo de usar no máximo de cada vaga para as pessoas necessitadas. A expansão dos serviços de teste de ácido nucleico de Macau não significa que a política de isolamento de Zhuhai tenha sido alterada. Qualquer pessoa que queira entrar em Zhuhai ainda precisa cumprir as medidas anti-epidémicas do Governo de Zhuhai e também deve verificar primeiro se está isento de observação médica por 14 dias em Zhuhai.

Se estiver isento de observação pode fazer uma marcação e realizar um teste de ácido nucleico do COVID-19 em Macau. O resultado do teste de ácido nucleico será apresentado na parte baixa do “Código de Saúde de Macau” e convertido em “Código de Saúde de Guangdong”. Se as três condições acima forem respeitadas, uma pessoa que entra em Zhuhai não precisa de efectuar 14 dias de isolamento.

A política de isentar o isolamento e os serviços de teste de ácido nucleico são duas coisas distintas: Realizar um teste de ácido nucleico não significa ficar isento de observação médica em isolamento.

Sobre a continuidade do plano de fornecimento de máscaras pelo Governo depende da situação epidémica de Macau e da situação que se verifique no mercado no fornecimento de máscaras no final deste mês. Após consideração, será anunciada a decisão.

No início da epidemia, o Governo da RAEM promoveu o plano da garantia do fornecimento de máscaras aos residentes, porque existia, naquele momento, uma insuficiência no mercado de Macau e com altos preços. A actual oferta de máscaras no mercado local tem gradualmente aumentado. O Dr. Lo Iek Long acrescentou que a continuação do plano de fornecimento de máscaras não pode ser identificada como necessidade, ou não de usar uma máscara. As recomendações de higiene pessoal promovidas pelos Serviços de Saúde baseiam-se principalmente na evolução da epidemia de Macau.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 12 de Maio, houve mais onze (11) indivíduos submetidos à observação médica, três (3) dos quais são residentes de Macau e oito (8) não residentes de Macau. Até ao dia 12 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.330 indivíduos, há 222 indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais, 208 em hotéis designados, treze (13) em embarcações de pesca e um (1) nas instalações dos Serviços de Saúde.

Em conformidade com as instruções actuais, tanto os professores como os estudantes em Macau precisam de usar máscaras, enquanto nas diversas regiões pode haver instruções de diferentes níveis consoante a sua evolução epidémica.

Os Serviços de Saúde continuam a avaliar tendo em referência das directrizes de cada região, com base no risco epidémico em Macau. Se houver quaisquer alterações no âmbito de medida, as referidas informações serão divulgadas, uniformizadamente, para as instituições escolares em Macau para efeito de implementação global, por isso, não é necessário existir qualquer tipo de preocupação sobre a hipótese de não haver máscaras dos estudantes que regressem do Interior da China para Macau.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo, e o número de utilizadores de autocarro dourado que liga Hong Kong e Macau após retomada das operações.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai, referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar