Mais de 624 mil residentes já levantaram o cartão de consumo electrónico, representando cerca de 95% do número total das pessoas inscritas e verificou-se um efeito impulsionador com o montante total de consumo estimulado em 1,8 mil milhões a 2,4 mil milhões de patacas

Os serviços públicos prestaram assistência aos residentes na inscrição do cartão de consumo durante o período de inscrição do cartão de consumo da 1ª fase

O prazo de levantamento dos cartões de consumo electrónicos terminou em 17 de Julho, houve 624 mil residentes que já levantaram o cartão, representando cerca de 95% do número total das pessoas inscritas.

Os trabalhos realizados em todas as fases como no prazo de inscrição, levantamento e utilização do cartão de consumo foram executados de forma eficaz, tendo sido atingidos, basicamente, os objectivos da política esperados de “promover a procura interna e o consumo, assegurar a sobrevivência de empresas e o emprego dos trabalhadores, e aliviar as dificuldades enfrentadas pelos residentes”.

Mais de 1,78 mil milhões de patacas foram injectadas no mercado, sendo beneficiados vários sectores de actividade económica e diversas pequenas e médias empresas

Desde o início da utilização do cartão de consumo da 1.ª fase, em 1 de Maio, até 17 de Julho, o montante total de transacções fixou-se em cerca de 1,78 mil milhões de patacas, representando cerca de 95% do montante total dos cartões de consumo emitidos, tendo sido registadas cerca de 19,87 milhões de transacções. O montante médio de cada transacção é de 89 patacas. De acordo com as estimativas da equipa de investigação e estudo do Instituto de Formação Turística, o benefício global resultante da implementação da 1.ª fase do Plano de Subsídio de Consumo foi de cerca de 1,8 mil milhões de patacas a 2,4 mil milhões de patacas, o que produziu um efeito impulsionador.

De acordo com os dados, diversos sectores de actividade económica beneficiaram do cartão de consumo em graus variados, dos quais, os sectores da restauração e do comércio a retalho representam quase 24% e 71%, respectivamente, do montante total de transacções.Nos estabelecimentos comerciais onde se pode utilizar o cartão de consumo electrónico, calculados conforme o montante de transacções, cerca de 63% do subsídio de consumo foram colocados nas PME. De entre estes, os estabelecimentos com menos de 20 trabalhadores obtiveram cerca de 40% do montante total de transacções feitas através do cartão de consumo.

A ordem de inscrição e levantamento do cartão encontrou-se em boas condições, e a prolongação do prazo de levantamento facilita os residentes

A inscriçãoonlinepara o cartão de consumo electrónico da 1.ª fase decorreu entre 18 de Março e 8 de Abril. Para facilitar a inscrição do cartão por parte dos residentes, vários serviços públicos, bancos e associações prestaram serviços de apoio à inscrição, tendo o Instituto de Acção Social (IAS), por sua iniciativa, prestado apoio a alguns idosos e deficientes no tratamento das formalidades de inscrição. Durante o período de inscrição de 22 dias, foi registado um total de cerca de 658.000 residentes que já concluíram a inscrição.

No período de marcação prévia para levantamento do cartão, entre 14 a 30 de Abril, o Governo da RAEM, sob o grande apoio de vários bancos, disponibilizou 150 pontos atendimento para a distribuição do cartão de consumo, incluindo os instalados em serviços públicos e bancos. Durante este período, a ordem da movimentação de pessoasnos postos de atendimento encontrou-se em boas condições e o funcionamento, em geral, correu bem. A maioria da população colaborou activamente com o Governo no levantamento do cartão na data marcada. No período referido, foi registado um total de cerca de 576.000 residentes que já levantaram o cartão de consumo com sucesso.

Tendo em conta a evolução da epidemia da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, o Governo da RAEM prolongou o prazo de levantamento do cartão em causa até ao dia 17 de Julho, tendo disponibilizado 4 postos de atendimento de serviços para facilitar o levantamento do cartão por parte dos residentes. Durante o período prolongado de levantamento do cartão (de 1 de Maio a 17 de Julho), houve cerca de 48.000 residentes que levantaram os seus cartões.

O prazo de utilização do subsídio de consumo da 1.ª fase terminará no fim de Julho, e os pormenores da 2.ª fase do Plano de Subsídio de Consumo serão publicados

Até 17 de Julho, há 205.000 residentes que já utilizaram todo o subsídio de consumo da 1.ª fase no valor de 3000 patacas. Como o prazo de utilização do subsídio de consumo da 1.ª fase terminará em 31 de Julho, o Governo da RAEM apela aos residentes que já tenham levantado o cartão para o utilizarem o mais cedo possível. O saldo remanescente não utilizado no prazo fixado será reposto no cofre do Tesouro.

O Governo da RAEM está a empenhar-se em planear a 2.ª fase do Plano de Subsídio de Consumo, apelando aos cidadãos que se guardem bem o cartão de consumo e, em caso de extravio, façam aparticipação do facto junto do Corpode Polícia de Segurança Públicao mais rapidamente possível. Em relação aos residentes qualificados que nunca tenham levantado ou tenham perdido o cartão de consumo da 1.ª fase, não são afectados, por este facto, os seus requisitos para o levantamento do subsídio de consumo da 2.ª fase. Os pormenores da atribuição serão publicados em tempo oportuno.

Os trabalhos gerais correm bem, agradecendo, assim, o apoio e a colaboração dos residentes e de todas as partes envolvidas

A 1.ª fase do Plano de Subsídio de Consumo constitui uma medida especial lançada pela primeira vez pelo Governo da RAEM, o que visa promover a economia de Macau, estimular a procura interna, apoiar as empresas na exploração contínua de negócios, estabilizar o mercado de emprego e, ao mesmo tempo, atenuar a pressão económica dos residentes, pelo que o desenvolvimento ordenado do Plano é indissociável de esforço conjunto e colaboração activa de todas as partes envolvidas.

O Governo da RAEM agradece aos bancos, associações e colegas de vários serviços públicos pelo apoio prestado no decurso de implementação do Plano de Subsídio de Consumo, bem como à Macau Pass pela assunção de responsabilidade social e pelo apoio na produção e distribuição dos cartões de consumo, ainda aos residentes pela colaboração activa nos trabalhos do Governo nomeadamente no que diz respeito ao levantamento atempado do cartão e ao consumo ordenado.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar