Residentes podem optar por comprar 30 máscaras infantis para as crianças de 3 a 4 anos a partir de sexta-feira – 165 dias consecutivos sem casos de COVID-19 em Macau

Conferência de imprensa regular realizada pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

O médico adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, fez nota que, até ao dia 10 de Setembro, não são registados na comunidade casos de transmissão da COVID-19 (incluindo indivíduos infectados assintomáticos) há 165 dias consecutivos. Já passaram 76 dias sem diagnóstico de casos importados. Macau diagnosticou, até à data, quarenta e seis (46) casos, dos quais, quarenta e quatro (44) são casos importados e só dois (2) são relativos a casos importados. Quarenta e seis (46) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais. Todos os doentes recuperados concluíram o isolamento do período de convalescença, não há nenhum caso de contacto próximo em observação médica. Do dia 7 ao dia 9 de Setembro, foram realizados 22.613 testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em Macau.

Na conferência de imprensa, o Dr. Lo Iek Long anunciou os pormenores sobre as medidas de optimização do fornecimento de máscaras para crianças dos 3 aos 4 anos, referindo que as novas máscaras infantis adquiridas gradualmente e após verificação confirmou-se que há máscaras infantis em numero suficiente para o 21.º Plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau; neste contexto, a partir da sexta-feira (dia 11 de Setembro), os residentes podem escolher comprar 30 máscaras infantis para as crianças de 3 a 4 anos, enquanto os residentes que já compraram 15 máscaras infantis e 15 máscaras para adultos, ou adquiriram 30 máscaras para adultos, no âmbito do 21.º Plano de fornecimento de máscaras, podem deslocar-se a um centro de saúde para mudar para máscaras infantis.

Em relação à pergunta de um jornalista sobre os requisitos de prevenção da epidemia para as celebrações do Dia Nacional, o Dr. Lo Iek Long disse que, em resposta à situação epidemiológica, todos os indivíduos presentes devem efectuar o teste de ácido nucleico, enfatizando que todas as medidas de prevenção da epidemia foram elaboradas com base na epidemia. Afirmou que, apesar da retoma gradual da normal passagem fronteiriça entre Macau e Interior da China, sobretudo, com a nova política de emissão de vistos individuais aos residentes do Interior da China para se deslocarem a Macau a partir do dia 23 de Setembro, as medidas antiepidémicas não devem, por isso, ser relaxadas. Tendo em consideração que as comemorações do Dia Nacional serão realizadas num recinto fechado e com significativo número de participantes, sendo inevitável que algumas pessoas removam suas máscaras e tenham contato próximo com outras durante a ocasião, portanto, a decisão da realização de testes foi tomada conforme a natureza e a escala da actividade.

O Dr. Lo Iek Long Sublinhou que todas as medidas anti-epidémicas promovidas pelo Governo da RAEM são baseadas em diversos factores e o Governo estabeleceu como princípio o privilégio da segurança e a prevenção da epidemia tendo, assim, colocado como primeira prioridade a estabilização da epidemia em Macau e a protecção da saúde dos residentes.

Relativamente à observação médica, a Coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dra. Leong Iek Hou referiu que mais de 185 indivíduos foram submetidos a observação médica entre os dias 7 e 9 de Setembro. No total, foram enviados para a observação médica 13.424 indivíduos até ao dia 9 de Setembro. Há, ainda 1.149 indivíduos em observação médica em hotéis designados.

Em resposta das perguntas levantadas pelos jornalistas, a Dra. Leong Iek Hou explicou que, por enquanto, os portadores do bilhete de identidade de residente da RAEHK, por serem considerados como residentes permanentes de Hong Kong, podem entrar em Macau, entretanto, após a sua entrada em Macau, necessitam de ser submetidos à observação médica por um período de 14 dias. Os residentes não permanentes de Hong Kong, mesmo que exibam o bilhete de identidade de residente não permanente de RAEHK não podem entrar em Macau, nessas situações são obrigados a ter um passaporte para entrada em Macau. Como está em vigor, detentores de passaportes estrangeiros não são, atualmente, autorizados a entrar em Macau.

No que diz respeito aos atletas que participam no Torneio de Barcos de Dragão, Taça de “Mid-Autumn” precisam de ser submetidos a um teste de ácido nucleico. A Dra. Leong Iek Hou manifestou que, tendo em conta que em algumas actividades ou competições, os participantes não podem usar máscaras, porque nas corridas de barcos-dragão haverá gotículas os membros da equipa vão gritar slogans juntos, etc. e uma vez que, durante o processo, os participantes têm, também, contacto próximo há risco de propagação. Perante isso, nas orientações divulgadas pelos Serviços de Saúde é claramente exigido que os participantes sejam submetidos a um exame.

Nas recentes corridas de barcos de dragão, todos os participantes, também, realizaram o exame.

Os actuais procedimentos estabelecidos pelos Serviços de Saúde para a realização de testes de ácido nucleico possibilitam um número de vagas bastante alargado. Os interessados podem efectuar a marcação do teste individualmente e não necessitam de apoio das entidades oficiais, nem de situações excepcionais.

A Chefe da divisão da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra.Lau Fong Chi reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados. Em relação à exposição de imagens de testemunho historial, no âmbito de prevenção epidémica e resultados antiepidémicos em 2020, que levantaram a preocupação pública. A Dra. Lau Fong Chi disse que, face a esse caso, a entidade organizadora removeu de imediato os conteúdos em causa, na sequência dos contactos das autoridades competentes. As autoridades dão grande importância a este caso, sendo que esta é uma exposição de imagens fotográficas pessoais, que tem a ver com a luta contra a epidemia. A DST, apenas cedeu o espaço e não patrocinou a exposição de fotografias. Por sua vez, ao requerer o estabelecimento, o requente só preencheu os dados básicos como denominação de actividade, entidade organizadora, natureza e tipo de actividade, data de organização, quantidade de painéis e o design do estabelecimento, entre outros.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros, respondendo-se ainda as referidas perguntas levantadas pelos jornalistas.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lau Fong Chi, e a Coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar