DSAL continua a estar muito atenta e a prestar todo o apoio ao emprego dos trabalhadores residentes

A DSAL organizou a Feira do Emprego para Jovens

A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) continua a estar muito atenta à necessidade de emprego dos residentes e a prestar diversos serviços de apoio adequados, a fim de proporcionar todo o auxílio aos candidatos a emprego para se integrarem no mercado de trabalho.

Os habituais serviços de apoio ao emprego conjugado com o serviço de emparelhamento profissional especializado resultaram na contratação de mais de 2600 pessoas

Os habituais serviços de apoio ao emprego da DSAL serão realizados continua e empenhadamente. Desde Fevereiro até 18 de Setembro do corrente ano, a DSAL encaminhou 13 302 pessoas para entrevistas, tendo 2 609 pessoas sido contratadas com sucesso. Por outro lado, a DSAL realizou um total de 25 sessões de emparelhamento profissional destinadas aos trabalhadores de diferentes sectores (incluindo sessões especializadas para os trabalhadores da manutenção de instalações e para os trabalhadores da construção, entre outros), e um total de 937 pessoas concluiram a entrevista, das quais 610 foram contratadas com sucesso através do emparelhamento. Tendo em vista a garantia de oportunidades justas para os residentes, a DSAL enviou pessoal para supervisionar as entrevistas.

Lançamento do“Plano de experiência no local de trabalho” e realização da “Feira do emprego” para apoiar especialmente os recém-graduados do ensino superior no emprego

A DSAL está muito atenta à dificuldade de emprego dos recém-graduados do ensino superior, pelo que nos dias 29 e 30 de Agosto, organizou, em cooperação com a “Associação de Nova Juventude Chinesa de Macau” e a “Associação de Estudantes Chong Wa de Macau”, a “Feira do Emprego para Jovens’2020” que contou com a participação de mais de 4 200 pessoas e recolheu mais de 3 300 currículos, tendo 61 pessoas sido in loco preliminarmente contratadas. Os trabalhos de entrevista são realizados continuamente e a DSAL está a acompanhar estreitamente a situação do emprego. A DSAL encoraja os jovens a aprenderem técnicas profissionais e a ajustarem a sua mentalidade, adaptando-se às necessidades do mercado de trabalho.

Por outro lado, a DSAL lançou, em meados de Junho, o “Plano de experiência no local de trabalho” sob a modalidade “Vencer as dificuldades causadas pela epidemia e criar melhores perspectivas de trabalho” que contou com a inscrição de 1 618 pessoas, sendo que 1 350 preenchiam os requisitos para participarem neste Plano. Até 18 de Setembro, a um total de 722 pessoas já lhes foi programado o estágio ou foram contratadas. Este Plano visa permitir aos participantes a aplicação dos conhecimentos adquiridos, o reforço das relações humanas, a aprendizagem da teoria no local de trabalho e a criação de valores profissionais correctos, a fim de estarem melhor preparados para o futuro emprego. Os participantes iniciaram o estágio nos meses de Julho e Agosto, com a duração de 3 meses, e puderam os mesmos obter um subsídio de estágio.

Realização ordenada da “Formação Subsidiada” e organização mensal dos cursos conforme as necessidades

Após a conclusão com sucesso da primeira fase da “Formação Subsidiada” e consoante o ambiente económico e a situação do mercado de trabalho de Macau, a DSAL lançou, nos termos do Regulamento Administrativo n.° 33/2020, o “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade” e o “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas” destinados aos desempregados, aos recém-graduados do ensino superior, aos trabalhadores no activo e aos profissionais liberais, para aumentar as suas capacidades profissionais e simultaneamente atenuar a pressão, em termos financeiros, através da concessão de subsídios. Os Planos já estão a ser realizados ordenadamente.

As inscrições para a 1.ª ronda dos cursos do “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas” foram abertas entre 7 e 11 de Setembro, tendo 3 instituições académicas proporcionado um total de 78 cursos com 2 570 vagas. No período de inscrições acima referido, um total de 624 pessoas foram aprovadas na apreciação da candidatura, envolvendo 202 empresas e 191 profissionais liberais. As aulas da 1.ª ronda dos cursos iniciaram gradualmente em meados de Setembro, tendo sido organizado um total de 17 cursos com a participação de 421 pessoas. Os cursos abrangem as áreas de gestão de negócios, contabilidade financeira, línguas, tecnologias de informação, património cultural e turismo, comércio electrónico, design e gestão de saúde.

As inscrições para a 1.ª ronda dos cursos do “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade” foram abertas entre 14 e 18 de Setembro, tendo as entidades organizadoras proporcionado um total de 23 cursos com 818 vagas que abrangem as áreas da construção civil e manutenção de instalações,serviços de cuidados pessoais, vendas a retalho, industrias e comércio, hotelaria e restauração. No período de inscrições acima referido, um total de 1 623 pessoas inscreveram-se e as aulas da 1.ª ronda dos cursos iniciarão gradualmente em meados de Outubro, sendo actualmente precedido do trabalho de apreciação da candidatura dos indivíduos inscritos.

Consoante as necessidades do mercado, os cursos do “Plano de formação subsidiada orientada para a empregabilidade” e do “Plano de formação subsidiada orientada para o aumento das competências técnicas”, serão lançados mensalmente para os cidadãos elegíveis se inscreverem, prevendo-se que as inscrições sejam novamente abertas entre 7 e 13 de Outubro e entre 15 e 21 de Outubro.

Na primeira fase do Plano de “Formação Subsidiada”, foram organizados um total 96 turmas de formação. Neste momento, todos os cursos já foram concluídos e contaram com a participação de 1 721 cidadãos, tendo 1 550 concluído o curso. A DSAL fez o encaminhamento de 914 deles, dos quais 567 foram contratados pelas empresas.

Diminuição de 13 827 trabalhadores não residentes face ao final do ano transacto. Prioridade no acesso e na continuidade do emprego dos residentes.

A DSAL está sempre atenta à situação do mercado de trabalho e faz ajustamentos no momento oportuno, assegurando, em primeiro lugar, a prioridade no acesso e na continuidade do emprego dos residentes. Faz simultaneamente um ajustamento ao número de trabalhadores não residentes, sendo que, até finais de Agosto, havia um total de 182 711 trabalhadores não residentes, representando uma redução homóloga de 9 995 trabalhadores, o que significa uma diminuição de 13 827 trabalhadores não residentes quando comparado com os registados em 31 de Dezembro de 2019.

Ajustamento da mentalidade, adaptação ao mercado e desenvolvimento ao ritmo da evolução dos tempos

Na sequência do aumento do investimento em recursos com a realização de diversas obras públicas por parte do Governo da RAEM, os próximos anos ainda serão considerados como um período próspero para o sector da construção, e através da utilização de novas tecnologias e sistemas, o ambiente de trabalho desse sector será melhorado eficazmente. A DSAL apoia os profissionais do sector na aplicação de equipamentos e técnicas inovadoras e do sistema inteligente de gestão de estaleiros, como por exemplo a utilização e a operação de máquinas de estucagem, e também na formação de jovens, de modo a terem melhores oportunidades de desenvolvimento no sector. Por outro lado, também encoraja os jovens a aprenderem técnicas profissionais e a ajustarem a sua mentalidade, adaptando-se às necessidades do mercado de trabalho.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar