Exposição Internacional de Importação da China ajuda à internacionalização das empresas de Macau

Foto de grupo da delegação empresarial de Macau

Teve lugar, este ano, a terceira edição da "Exposição Internacional de Importação da China". Algumas empresas de Macau estreantes na exposição afirmaram que os resultados do evento superaram as suas expectativas e que resultaram em acordos de cooperação. Outras empresas que haviam participado em edições anteriores afirmaram que a epidemia provocada pelo novo tipo de coronavírus promoveu em grande medida o desenvolvimento dos serviços online, pelo que esperavam conseguir ampliar o espaço de negócio deste sector através deste evento.

A delegação organizada pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) e composta por mais de 70 empresários de Macau tem planeado o seu regresso ao território no dia 7 de Novembro, após o encerramento da 3ª Exposição Internacional de Importação da China. Durante os quatro dias desta visita, além de participar nas actividades da exposição, a delegação visitou ainda a Corporação de Fomento da Zona de Desenvolvimento de Novas Tecnologias Caohejing, assim como as empresas SenseTime, DeepBlue e Ctrip.

Participantes na Exposição: Resultados superaram expectativas

O IPIM estabeleceu dois pavilhões, respectivamente na “Zona de Exposição de Produtos Alimentares e Agrícolas” e na “Zona de Exposição do Comércio de Serviços”, sendo que a delegação empresarial conta, no total, com mais de 40 empresas envolvidas em produtos alimentares e bebidas fabricados em Macau, na distribuição de produtos alimentares e bebidas dos países de língua portuguesa, na contabilidade e nos serviços de tradução. O Sr. Chan, presidente da Macau Fa Chau, Ltd. e estreante na exposição, afirmou que os resultados da mesma superaram, de um modo geral, as suas expectativas: nos primeiros dois dias de evento, conseguiu assinar um protocolo de cooperação e no agenciamento com uma empresa oriunda da cidade de Dazhou, na província de Sichuan. Além disso, uma empresa da cidade de Haining manifestou também a sua intenção de servir como representante dos seus produtos, e uma empresa da província de Guangxi levou duas caixas dos seus produtos de volta à sua sede por expresso com o objectivo de estudar a viabilidade de uma cooperação futura entre as duas empresas. Já o Sr. Cheong, empresário de Macau, proprietário da fábrica de processamento de alimentos 7 Stars e também estreante na exposição, afirmou que os resultados dos dois dias decorridos haviam superado as suas expectativas. Os cafés produzidos pela sua empresa foram alvo da atenção de seis ou sete hotéis e restaurantes, um dos quais possui já uma cadeia de restauração de sessenta lojas. Caso as duas partes cheguem a um acordo de cooperação, a sua empresa é capaz de vender mais uma tonelada de café por mês, aumentando em 20-30% o seu actual volume de negócios. O Sr. Si, outro empresário de Macau e administrador da Projoint International Limited, admitiu também ser esta a sua primeira participação na Exposição Internacional de Importação da China. Os vinhos provenientes dos países lusófonos representados pela sua empresa foram apreciados por muitos empresários participantes no evento, no primeiro dia do qual foram encomendadas 12 caixas. Bastantes outros revendedores participantes também revelaram interesse nos seus produtos e procuraram saber mais informações, pelo que as expectativas para o evento foram, sem dúvida, cumpridas.

A Companhia de Equipamentos Master Limitada, tendo participado nas três edições da exposição, uniu, pela primeira vez, esforços com uma outra empresa de Macau, a Axon, para a participação nesta edição. Em relação ao aumento da presença da empresa no evento, o Sr. Pou, director de design da Axon, destacou que está particularmente focado na rápida evolução da procura por serviços online derivada da epidemia causada pelo novo tipo de coronavírus e que, portanto, a sua participação na exposição permitirá que mais empresários fiquem a conhecer os serviços online da sua empresa. Durante os dois dias de exposição decorridos até à data, duas pastelarias e padarias de souvenirs haviam já manifestado, por iniciativa própria, o seu desejo de colaborar com a sua empresa.

Participantes na Exposição: Número de encomendas aumentou em relação ao ano passado

A Sra. Lao, directora da Quinta da Marmeleira II - Sociedade Agrícola, Importação e Exportação Lda., uma empresa de Macau que participa na exposição pelo segundo ano consecutivo, mostrou-se bastante satisfeita com as encomendas e reservas dos dois dias do evento, que não foram afectadas pela epidemia e aumentaram 15% face ao ano passado, superarando as suas expectativas. Além do mais, beneficiou de serviços providenciados pelo IPIM na exposição, como as sessões de bolsas de contacto e o Portal de Informação, que permitiram aos clientes conhecer e compreender mais profundamente a sua empresa.

Por sua vez, o Sr. Choi, representante do Departamento de Serviços da Baker Tilly Macau Sociedade de Auditores, que participou em todas as três edições da exposição, afirmou que, nos dois dias da exposição decorridos até à data, cinco ou seis empresários e membros de gabinetes de consultoria baseados em Xangai haviam procurado obter mais informações, nomeadamente em relação à indústria financeira de Macau. O Sr. Choi manifestou também a sua esperança de que a Exposição Internacional de Importação da China permitisse a empresários de todo o mundo compreender melhor os serviços da sua empresa, enquanto que fosse melhor promovido o ambiente de negócios de Macau.

Há ainda que referir o pavilhão do IPIM na "Zona de Exposição de Produtos Alimentares e Agrícolas" organizou também actividades de degustação e sessões de bolsas de contacto.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar