Chefe do Executivo e representantes da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau reúnem-se para debater opiniões sobre as LAG para o próximo ano

Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, tem encontro com representantes da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau para recolher sugestões e opiniões para as LAG 2021.

O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, e uma delegação chefiada pelo presidente do conselho executivo da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau, Stanley Au, tiveram, hoje (7 de Novembro), um encontro para debater as opiniões e sugestões sobre a elaboração das Linhas de Acção Governativa (LAG) para o ano financeiro de 2021.

O presidente do conselho executivo da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau, Stanley Au, sublinhou o impacto da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus na economia mundial, o qual levou a uma alteração significativa no quotidiano das pessoas. Alertou para o facto de que, nos próximos anos, as receitas do jogo dificilmente retomarão os níveis pré-pandemia. Sugeriu que Macau deve criar mais oportunidades de emprego, desenvolver as indústrias leves, culturais e turísticas e, ao mesmo tempo, atrair empresas com capacidade efectiva para a realização de conferências e exposições no território, bem como turistas de alta qualidade que incentivem o consumo e, consequentemente, as receitas gerais e do jogo.

Stanley Au acrescentou que o governo deve realizar mais projectos de infra-estruturas, reforçando a construção de habitação pública e da «classe sandwich», por forma a apoiar os jovens de Macau a adquirirem habitação própria e viverem em tranquilidade e trabalharem em paz, mantendo a estabilidade e a harmonia social.

Entretanto, vários membros da associação apresentaram nove sugestões, designadamente sobre o aperfeiçoamento da cidade inteligente, o apoio à reconversão das pequenas e médias empresas (PME) à era digital, a revitalização da economia nos bairros antigos, o aumento da eficiência da Administração Pública, a diversificação das indústrias, o desenvolvimento do planeamento urbano, a captação de quadros qualificados, a optimização do plano de emprego de jovens, a elaboração de políticas de terras e habitação, entre outros temas.

O Chefe do Executivo agradeceu as sugestões apresentadas e garantiu analisar, cuidadosamente, as opiniões, que servirão de referência para a elaboração do Relatório das LAG do próximo ano. Relativamente à diversificação das indústrias, o Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, disse que o foco será a promoção da indústria da medicina tradicional chinesa e ainda o sector financeiro. No que diz respeito ao sistema financeiro, adiantou que, no próximo ano, se irá fomentar o desenvolvimento do mercado de títulos.

Acrescentou ser preciso atrair indústrias que beneficiem a diversificação do desenvolvimento da economia de Macau, nomeadamente produtos da medicina tradicional chinesa. Recordou que a «Lei da actividade farmacêutica no âmbito da medicina tradicional chinesa e da inscrição de medicamentos tradicionais chineses» já foi entregue à apreciação da Assembleia Legislativa, aguardando-se a sua aprovação, dando-se assim mais um passo na garantia da qualidade, da segurança e no aumento da competitividade da exportação destes produtos.

O Chefe do Executivo concordou com a sugestão de se aumentar a realização de mais projectos de infra-estruturas, acrescentando que, durante o próximo ano, se irá reforçar o respectivo investimento, nomeadamente na construção de projectos de grande envergadura, com o objectivo de manter a estabilidade do mercado de emprego.

Entretanto, no que diz respeito às políticas de terras e habitação, Ho Iat Seng frisou, como governo responsável, a necessidade de garantir a estabilidade do mercado da oferta da habitação, sendo que a habitação pública só deve ser lançada em tempo adequado, para que o mercado do imobiliário se estabilize.

O Chefe do Executivo disse ser necessário abordar a organização de conferências e exposições, no sentido de haver uma concentração em eventos, desta área, de qualidade elevada e apelativos, explicando que Macau organizou várias edições do Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas, as quais atraíram muitos profissionais oriundos de vários países e regiões.

Por sua vez, o secretário para a Economia e Finanças, Lei Vai Long, também presente no encontro, salientou a importância das PME na economia de Macau e, perante a epidemia o governo e a população conseguiram manter, juntos, a estabilidade da economia local. Aproveitou a ocasião para agradecer o apoio das PME, sublinhando a importância da capacidade da sua sustentabilidade, pois só com a estabilidade estas empresas, é que é possível garantir o progresso de Macau.

Estiveram presentes no encontro, a chefe do Gabinete do Chefe do Executivo, Hoi Lai Fong, o assessor do Gabinete do Chefe do Executivo, Cheong Chok Man. A representar a Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau estiveram ainda os seguintes vice-presidentes: Wong Sio Wa, Si Tou Peng Guong, Che Fa, Ngai Sou, Ieong Lei Lei e Lau Meng Yan, entre outros membros da direcção.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar