Indivíduos elegíveis podem pedir isenção de entrada limitada em Macau no âmbito da prevenção da COVID-19 | 225 dias consecutivos sem casos locais

Conferência de imprensa regular realizada pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

O médico adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde São Januário (CHCSJ), Dr. Alvis Lo Iek Long, fez nota na conferencia de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que até ao dia 9 de Novembro, nunca houve uma transmissão comunitária da COVID-19 em Macau e por 225 dias consecutivos não são registados casos locais de transmissão da COVID-19 (incluindo indivíduos infectados assintomáticos). Já passaram 136 dias sem diagnóstico de casos importados. Macau diagnosticou, até à data, quarenta e seis (46) casos, dos quais, quarenta e quatro (44) são casos importados e só dois (2) são relativos a casos importados. Quarenta e seis (46) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde. Todos os doentes recuperados já concluíram o isolamento do período de convalescença, não há nenhum caso de contacto próximo em observação médica. Entre os dias 2 a 8 de Novembro (uma semana), foram testadas em Macau 69.944 pessoas.

Relativamente às perguntas levantadas pelos jornalistas sobre a circulação bidireccional entre Macau e Hong Kong, o médico adjunto da Direcção do CHCSJ salientou que a RAEHK está estudar a isenção de quarentena, destinada aos residentes de Hong Kong que estão na Província de Guangdong se estes regressarem aquele território. O Governo da RAEM tem mantido a comunicação com o Governo da RAEHK, para discutir a viabilidade referente aos residentes de Hong Kong que estão em Macau também poderem ser isentos de quarentena caso pretendam regressar a Hong Kong. Quanto à isenção de quarentena, de Hong Kong para Macau, isto só pode ser feita se a situação epidémica for semelhante nas duas regiões, porque a protecção de saúde da sociedade em Macau é a questão mais importante.
Em relação a participação da conferência internacional de oficiais da Hong Kong, o Lo Iek Long indicou que após a avaliação de risco detalhada, a natureza da participação está enquadrada no âmbito de uma missão oficial é, também, do âmbito do interesse público, daí que tenha sido dada a isenção de quarentena em observação médica, de acordo com as leis, e com uma organização especial no âmbito da prevenção epidémica. A gestão da delegação da RAEHK será realizada em circuito fechado, em cumprimento estreito das exigências solicitadas pelos Serviços de Saúde, e só participam em determinadas partes da conferência, sem participação em actividades comunitárias. A delegação de RAEHK participou recentemente em reuniões no Interior da China onde foram organizadas medidas antiepidémicas semelhantes.

A Dr.ª Leong Iek Hou Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde explicou que a delegação de Hong Kong, composta por cerca de 10 oficiais de Hong Kong irão permanecer em Macau por menos de 24 horas, tendo sido submetidos a um teste de ácido nucleico de novo tipo de coronavírus em Hong Kong um dia antes de entrada a Macau. Após a chegada ao posto fronteiriço de Macau, foram sujeitos imediatamente a outro teste de ácido nucleico, e só com os resultados negativos, poderão participar, de forma limitada, nas actividades em Macau, durante 24 horas, sendo todas as actividades em Macau são acompanhadas por uma unidade de acolhimento, cuja gestão será implementada por forma de circuito fechado e estritamente de acordo com os requisitos dos Serviços de Saúde.

Os oficiais de Hong Kong não irão participar nas actividades comunitárias. Durante a sua estadia em Macau, também irão cumprir medidas de prevenção epidémica, incluindo o uso de máscaras e manutenção da distância social, etc., sendo acreditado que os riscos são mínimos.

Em relação às actividades promocionais lançadas por centro comercial de grande dimensão e supermercado na semana passada, que atraíram uma multidão de pessoas, o Dr. Alvis Lo Iek Long explicou que os Serviços de Saúde emitiram um comunicado sobre a promoção deste centro comercial de grande dimensão. Quanto a esta matéria, o Dr. Lo Iek Long apontou que, desde o surto da pandemia, as autoridades de saúde têm alertado todas as instituições e cidadãos para a necessidade de cumprirem com as medidas de prevenção epidémica. Na semana passada, diversos cidadãos reclamaram contra a existência de multidões em vários locais e de acordo com essa situação foi emitido um comunicado de imprensa sobre aquela situação. Posteriormente, a organização, daqueles espaços, contactou as autoridades e explicaram que tinham sido tomadas, dentro da capacidade existem, várias medidas de prevenção epidémica para garantir a segurança dos cidadãos.

Relativamente às questões de observação médica, a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou indicou que 571 indivíduos foram submetidos a observação médica entre o dia 2 de Novembro e o dia 8 de Novembro. No total, até ao dia 8 de Novembro, foram enviados para a observação médica 17.749 indivíduos. Há, ainda, 1.056 indivíduos em observação médica, dos quais um (1) está nas instalações dos Serviços de Saúde e os restantes em hotéis designados.

A Dr.ª Leong Iek Hou tambem anunciou as formalidades para o pedido de isenção de entrada limitada em Macau no âmbito da prevenção da COVID-19 (ver o anexo “Pedido de isenção de entrada limitada em Macau no âmbito da prevenção da COVID-19-Formalidades”), sendo que estas medidas entram em vigor às 00h00 do dia 1 de Dezembro, mas será possível enviar, a partir de segunda-feira, 9 de novembro, requerimentos aos Serviços de Saúde.

A Dr.ª Leong Iek Hou salientou que se o requerente se encontrar numa zona de risco médio ou elevado nos 14 dias antes da entrada em Macau, após a aprovação, terá também de ser submetido a 14 dias de observação médica, mas se o requerente se encontrar no Interior da China 14 dias antes da entrada em Macau, bastará fornecer um relatório de teste de ácido nucleico válido por 7 dias, não necessitando de ser sujeito a 14 dias de observação médica.

Sobre a questão de um trabalhador de manipulação de alimentos congelados em Tianjin ter sido diagnosticado com COVID-19 após manusear alimentos importados da Alemanha, a Dr.ª Leong Iek Hou referiu que, de acordo com dados do Interior da China e dos países estrangeiros, os produtos alimentares, da cadeia de frio, podem provocar riscos de transmissão. Os Serviços de Saúde e o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) mantêm uma comunicação estreita e o IAM já intensificou a amostragem, teste e desinfeção de produtos alimentares importados da cadeia de frio. As autoridades acompanham de perto o desenvolvimento da epidemia em Tianjin e já exigiram que todos os funcionários envolvidos nos produtos alimentares de cadeia de frio fossem submetidos a testes de ácido nucleico a cada 7 dias, estando o trabalho relacionado a ser acompanhado.

O Chefe do Departamento de Solidariedade Social do IAS Choi Sio Un anunciou que, a partir do dia 11 de Novembro (quarta-feira), o IAS começará a retomar gradualmente as visitas aos lares dos idosos, atendendo às expectativas dos idosos internados e de seus familiares, bem como à necessidade de prevenção de epidemias nos lares.

A Chefe da divisão da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Lau Fong Chi reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados.

O chefe da Divisão de Divisão de Operações e Comunicações, Ma Chio Hong relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe do Departamento de Solidariedade Social do IAS Choi Sio Un, a Chefe da divisão da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Lau Fong Chi, o chefe da Divisão de Divisão de Operações e Comunicações, Ma Chio Hong, e a coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Leong Iek Hou.

NOTA: A conferência de imprensa prevista para 16 de Novembro (próxima 2.ª feira) não será realizada.

Ver galeria

Anexos



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar