Inauguração da Exposição Conjunta “Sinfonia de Aguarelas” e “Colecção de Gravuras” do Instituto Politécnico de Macau

Foto em grupo na Inauguração da Exposição Conjunta "Sinfonia de Aguarelas" e "Colecção de Gravuras" do IPM

Recentemente, realizou-se a inauguração da Exposição Conjunta "Sinfonia de Aguarelas" e "Colecção de Gravuras" do Instituto Politécnico de Macau (IPM), na galeria do Edif. Investigação e Desenvolvimento no campus da Taipa do IPM. Foram expostas mais de 60 obras, de aguarela e de gravura, de professores e alunos do curso de licenciatura em artes visuais, com o objectivo de mostrar à sociedade os resultados pedagógicos brilhantes, incentivando a criatividade e o pensamento.

A cerimónia de inauguração da exposição foi presidida pela Presidente do Conselho de Administração do Fundo das Indústrias Culturais, Dra. Lam Wan Nei, o Presidente do IPM, Professor Doutor Im Sio Kei, a Chefe Substituta do Departamento de Museus do Instituto Cultural, Dra. Lam Weng Na, a Directora da Escola Superior de Artes do IPM, Professora Hsu Hsiu-Chu, e o Coordenador do curso de licenciatura em artes visuais, Doutor Chang Sow-Wei. Durante a cerimónia, os convidados, em conjunto com duas representantes dos alunos participantes, Mak Soi Wa e Lio Pou I, trasfegaram tintas de várias cores de uns copos para outros, acto alusivo ao colorido e à fusão de aguarela e gravura, desejando também o sucesso desta exposição e dando felicitações pela entrada em funcionamento da galeria do Edif. Investigação e Desenvolvimento no campus da Taipa do IPM.

Em seguida, os alunos participantes realizaram uma apresentação guiada de apreciação sobre a exposição e as obras. Em relação às ricas experiências de aprendizagem e ideias criativas maravilhosas, compartilhadas por alunos participantes, os convidados deram uma alta avaliação, elogiando e dizendo que, com a orientação profissional do corpo docente, os alunos conseguiram dominar bem vários meios artísticos, aproveitando técnicas criativas diversificadas para demonstrarem as suas ideias engenhosas.

As obras em exposição são diversificadas, com temas do quotidiano e de paisagens locais. Na impressão das obras de gravura “Memórias Série I” e “Paisagens de Macau - Jardim de Luís de Camões” foram usadas as placas de fotopolímero para mostrar a história que o autor quer apresentar, aproveitando as variáveis linhas claras e escuras, para a construção de um espaço estereográfico, expondo a beleza de diferentes paisagens de Macau. Para além disso, as duas obras de aguarela, "Luzes do anoitecer acesas" e "Orvalho doce", através da aguarela, demonstram, respectivamente, as luzes da prosperidade de Macau no momento do anoitecer e as cenas quotidianas, utilizando dois tipos diferentes de técnicas de aguarela, nomeadamente com o uso de linhas finas para destacar o claro e a boa junção entre as linhas espessas e as linhas finas de forma a concluir as pinturas. Tanto as gravuras como as aguarelas descrevem a sociedade de Macau, cenários de ruas, bem como da vida quotidiana, mostrando a vista exclusiva dos autores, orientando também os visitantes para fazerem uma viagem através das obras e terem em conjunto uma experiência especial.

A exposição realiza-se no campus da Taipa do IPM, dotado de um grande espaço, com salas de aula e estúdios profissionais bem equipados. Com este ambiente e melhores condições profissionais, é proporcionado aos alunos um espaço novo e amplo de ensino e criação, de forma a intensificar o intercâmbio entre diferentes cursos de artes e a elevar as competências dos alunos na criação e apreciação de artes, formando os talentos profissionais artísticos diversificados.

Esta exposição está aberta ao público, até 18 de Novembro, sendo bem-vinda a visita de todos os interessados.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar