Apelam-se os cidadãos para ficarem em Macau durante os feriados do Festival da Primavera | 288 dias consecutivos sem casos de COVID-19 em Macau

Conferência de imprensa regular realizada pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

O médico adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde São Januário (CHCSJ), Dr. Alvis Lo Iek Long, fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação que até ao dia 11 de Janeiro, nunca houve uma transmissão comunitária da COVID-19 em Macau e por 288 dias consecutivos não são registados casos locais de transmissão da COVID-19 (incluindo indivíduos infectados assintomáticos). Já passaram 199 dias sem diagnóstico de casos importados.

Macau diagnosticou, até à data, quarenta e seis (46) casos, dos quais, quarenta e quatro (44) são casos importados e dois (2) são relacionados com casos importados. Quarenta e seis (46) pessoas tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais. Todos os doentes recuperados concluíram o isolamento do período de convalescença, não há nenhum caso de contacto próximo em observação médica. Nos últimos sete (7) dias - 4 a 10 de Janeiro - foram testadas em Macau 90.017 pessoas.

Segunda-feira, 11 de Janeiro, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais exortou os trabalhadores não residentes provenientes do Interior da China a evitarem deslocações ao Interior da China durante o feriado do Ano Novo Lunar. Sobre esse anúncio, o Dr. Alvis Lo Iek Long afirmou que, em resposta ao apelo do Estado para que em todas as províncias e cidades reduzam-se o movimento de pessoas durante o período do Ano Novo Lunar, de modo a reduzir o risco da volta da epidemia, o Governo da RAEM também apelou aos residentes locais que permaneçam em Macau, o máximo possível, durante os feriados do Ano Novo Lunar para evitar viagens desnecessárias, após o estudo e análise abrangente.

O Dr. Alvis Lo Iek Long salientou que os resultados da luta contra a epidemia em Macau são um esforço conjunto dos cidadãos locais, esperando que os residentes continuem a persistir na prevenção. Sublinhou, ainda, que o apelo não é obrigatório, é apenas precaução, acrescendando que esse apelo não significa que a situação da epidemia em Macau tenha mudado.

A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais e asempresas de mediação e as associações de comércio também estão a discutir a implementação de medidas, mas a situação específica envolve o modo de trabalho de diferentes instituições, as férias de funcionários e o trabalho programado, etc., que devem ser coordenados pelos departamentos relevantes.

O Dr. Alvis Lo Iek Long também reiterou que se for uma viagem inevitável, os residentes devem prestar atenção às notícias da epidemia, devem evitar ir para áreas de alto e médio risco e devem reduzir a presença em locais de aglomeração de pessoas e devendo manter os bons hábitos de higiene pessoal e após o regresso para Macau, caso apareçam sintomas, devem recorrer a um médico e declarar o histórico de viagens com sinceridade.

Um jornalista manifestou preocupação com a possibilidade de actualização das medidas de quarentena em Macau durante o Ano Novo Lunar. O Dr. Alvis Lo Iek Long afirmou que a actualização das medidas de quarentena não se limita ao Ano Novo Lunar, mas baseia-se na mais recente situação epidémica e em evidências científicas objectivas para fazer as actualizações dinâmicas das medidas de quarentena, incluindo actualização das medidas da quarentena anterior, ou seja, o número de dias de observação médica para as pessoas provenientes de algumas áreas que queiram vir para Macau aumentou para 21 dias, não apenas para um feriado prolongado.

Sobre um anúncio publicado em Zhuhai que divulga que algumas pessoas que não constavam da lista de isenção de estudantes transfronteiriços do Governo da RAEM usaram os seus cartões de estudante para fazer gratuitamente os testes de ácido nucleico em Zhuhai. O Dr. Alvis Lo Iek Long respondeu que ele próprio notou esse anúncio e que as autoridades também contactaram com as agências de teste do Interior da China. A este propósito Dr. Alvis Lo referiu que, como noutras medidas políticas, há pessoas que procuram áreas cinzentas, com o objectivo de aproveitar para obter vantagens. As autoridades têm uma lista de isenções e os procedimentos de reembolso são tratados rigorosamente de acordo com os acordos de cooperação e regulamentos com os departamentos competentes do Interior da China. O Dr. Alvis Lo Iek Long acredita que os departamentos competentes farão o acompanhamento e investigação mais detalhada.

Finalmente, relativamente à preocupação levantada pelos jornalistas, sobre a capacidade de combate contra a epidemia em Macau ser ou não suficiente, o Dr. Lo Iek Long manifestou que, a autoridade de saúde durante as últimas duas rondas epidémicas obteve muitas experiências, por enquanto a actual situação, é suficiente para lidar com os doentes confirmados, além disso, a autoridade de saúde irá atender, de forma apertada, a evolução epidémica e as estatísticas científicas em todo o mundo. No ano passado, tendo as medidas de software e hardware vindo a ser fortalecidas, de forma persistente, no sentido de fazer bem a preparação.

Em termos de hardware, o número das camas hospitalares aumentou de 180 para 266, desde a preparação para responder a primeira ronda epidémica até ao momento. Foi ainda elaborado um plano de instalação, em caso de necessidade, de um Hospital de Campanha. Quanto ao pessoal, diferentes serviços também prepararam planos para fortalecer a formação de pessoal em diversos serviços (como por exemplo, a formação de controlo de infecção), de modo a responder a eventual situação de haver grande número de doentes.

Além disso, estão também a actualizar os planos de tratamento, melhorando, de forma contínua, a capacidade de teste de ácidos nucleicos e o depósito, em quantidade suficiente, de equipamentos de protecção individual. Acredita-se que, Macau tem agora preparação suficiente. A prevenção é melhor do que tratamento, em qualquer momento. Não queremos ter em Macau casos confirmados, seja como for, se estes aparecerem espera-se que possam ser controláveis. Desta maneira, as autoridades de saúde têm feito vários planos, incluindo planos de separação de zonas e níveis para responder eventuais situações da propagação de contágio na comunidade.

A Dr.ª Leong Iek Hou relatou que, entre os dias 4 e 10 de Janeiro de 2021 foram submetidos a observação médica 547 indivíduos, dos quais, 160 residentes de Macau e 387 não residentes de Macau. No total, até ao dia 10 Janeiro de 2021, foram enviados para a observação médica 23.526 indivíduos. Há, ainda 1.425 indivíduos em observação médica, nos hotéis designados.

Relativamente à preocupação levantada pelos jornalistas, de que Macau será seguir as actuais medidas de quarentena efectuadas no Interior da China. A Dr.ª Leong Iek Hou afirmou que, actualmente, os indivíduos que entram em Macau provenientes das áreas de alto risco serão submetidos, rigorosamente, à observação médica, incluindo, aqueles que vêm do exterior e Hong Kong precisam de aceitar a observação médica de isolamento, por um período de 21 dias, por outro lado, os que vêm de Taiwan ou alguns sítios de alto risco do Interior da China devem submeter à observação médica por 14 dias, logo, também é necessária a realização de auto-gestão da saúde, por um período de 7 dias. Estas medidas são basicamente iguais às do Interior da China. As autoridades de saúde de Macau estão atentas à evolução epidémica em diversos países ou regiões, e que não descartam a possibilidade de ajustar, em tempo oportuno, as medidas de quarentena e restrições à entrada de Macau.

Sobre as medidas preventivas nos casinos, alguns jornalistas revelaram que há opiniões de que o número de apostadores em cada banca viola os regulamentos. A Dr.ª Leong Iek Hou manifestou que, o Centro de Coordenação de Contingência já elaborou orientações e exigências expressas sobre as instruções preventivas contra a epidemia, em conformidade com a situação supramencionada, irá notificar o serviço competente para acompanhar.

A Chefe da divisão da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra.Lau Fong Chi reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados e frisou que o Hotel “Tesouro” foi desocupado no dia 10 de Janeiro. Por enquanto, está efectuar os trabalhos de limpeza e esterilizaçãoconforme as orientações dos Serviços de Saúde, após a conclusão, o mesmo deixará de ser usado como o hotel designado para observação médica.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Ma Chio Hong relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Alvis Lo Iek Long, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lau Fong Chi,, e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar