Primeiro lote de 100.000 doses da vacina inactivada contra a COVID-19 de Sinopharm chega a Macau | Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Elsie Ao Ieong U e a Vice-Directora do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Dra. Yan Zhichan testemunharam chegada


Com o forte apoio do Governo Central, o primeiro lote de 100.000 doses de vacinas inactivadas contra a COVID-19 produzidas pela Sinopharm Group (China National Biotech Group, Beijing Institute of Biological Products) chegou hoje (dia 6) a Macau, tendo sido testemunhado pela Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Dra. Elsie Ao Ieong U e pela Vice-Directora do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Dra. Yan Zhichan. Os Serviços de Saúde através do Departamento de Assuntos Farmacêuticos efectuaram um procedimento de inspecção à importação de vacinas e uma cerimónia de recepção no Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau.

Este lote de vacinas foi transportado, via terrestre de Pequim até Macau, por mais de 30 horas, um processo que teve total cooperação do Gabinete de Ligação do Governo Central e do Grupo Nam Kwong Company Limited além de outros serviços competentes.

Após a conclusão das formalidades de inspecção da importação pelo pessoal de fiscalização do Departamento dos Assuntos Farmacêuticos dos Serviços de Saúde, o presidente do Conselho de Administração do Grupo Nam Kwong, Fu Jianguo, entregou as vacinas inactivadas da Sinopharm contra a COVID-19 e o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, assinou os documentos de recepção das vacinas.

A cerimónia contou ainda com a presença do Director e do Subdirector do Departamento de Publicidade e Cultura do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, Wan Sucheng e Yin Rutao, do Subdirector dos Serviços de Saúde, Eng.º Chan Weng Wa, do subdirector do Gabinete para os Assuntos Farmacêuticos, do Chefe do Departamento dos Assuntos Farmacêuticos, Dr. Choi Peng Cheong e do Director de Prevenção e Controlo da Doença, Dr. Lam Chong, entre outros

A vacina contra a COVID-19 da Sinopharm é uma vacina desenvolvida com a tecnologia tradicional de inactivação de vírus, os dados clínicos existentes mostram que tem boa segurança e eficácia.

Os Serviços de Saúde de Macau efectuaram uma revisão dos dados da análise intercalar da terceira fase do estudo clínico desta vacina que indicam que a protecção, de um modo geral, desta vacina é de 80% e a incidência de reacções adversas não é elevada, na sua maioria sintomas ligeiros sem reacções adversas graves no sistema nervoso ou casos mortais. Dado que esta vacina foi condicionalmente aprovada para comercialização pela Administração Nacional de Produtos Médicos e muitos países a nível mundial também já adoptaram esta vacina, foi confirmado que a eficácia de uso desta vacina é maior do que eventuais riscos, a importação desta vacina foi aprovada para uso em Macau.

O Governo da RAEM continuará empenhado na estratégia de “prevenir casos importados e evitar o ressurgimento interno”. Aliás no primeiro semestre de 2020 o Governo iniciou os processos de aquisição da vacina contra a COVID-19, com o objectivo de as disponibilizar o mais rápido possível aos residentes. O Governo de Macau além de participar no plano global de aquisição colectiva promovido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Aliança Global para Vacinas e Imunização (GAVI) para aquisição de algumas vacinas, também negociou e fez compras de reserva com diversas farmacêuticas que têm maior possibilidade de sucesso no mercado para obter, com a maior brevidade possível, vacinas eficazes e seguras. Neste âmbito os Serviços de Saúde procederam à recolha de dados de vacinas, preços estimados, quantidades de fornecimento, conclusão prevista dos testes clínicos de 3.ª fase e tempo de comercialização, entre outros. Após estes trabalhos foi decidido adquirir as vacinas inactivadas da Sinopharm, vacina de mRNA da Fosun-BioNTech e a vacina baseada em vector adenoviral da AstraZeneca. Estas três vacinas foram aprovadas para a utilização urgente ou comercializadas em determinadas condições em muitos países ou regiões, e deverão chegar de forma sucessiva a Macau durante o ano 2021. O Governo da RAEM garante que estas vacinas são colocadas ao dispor na base do princípio de segurança e eficácia e vacinação é voluntária e opcional. O plano de vacinação está pronto e os detalhes serão divulgados em breve.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar