Vacinação contra a COVID-19 teve início | Governo apela aos residentes para que ajudem a criar uma barreira de imunidade colectiva

1. Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Drª. Ao Ieong U agradeceu no seu discurso o forte apoio e zelo do Estado e forte coordenação do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM

Com a chegada das primeiras 100.000 doses das vacinas inactivadas contra a COVID-19 produzidas pela Sinopharm Group (China National Biotech Group, Beijing Institute of Biological Products), o Governo da RAEM deu início à campanha de vacinação.

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus realizou hoje (dia 9) a cerimónia de lançamento da vacinação contra a COVID-19 na ala das consultas externas de 24 horas situada no rés-do-chão do Edifício do Serviço de Urgência do Centro Hospitalar Conde de São Januário.

O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, chefiou mais de 80 pessoas na primeira vaga de vacinação, nomeadamente, o Secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong, o Secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Ao Ieong U, o Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo Arrais do Rosário, o Procurador do Ministério Público, Ip Son Sang, o Comissário contra a Corrupção, Chan Tsz King, o Comandante-geral dos Serviços de Polícia Unitários, Leong Man Cheong, o Director-geral dos Serviços de Alfândega, Vong Man Chong, os Chefes dos Gabinetes de todos os Secretários, a Direcção dos Serviços de Saúde, os representantes do pessoal da linha de frente nas áreas médica, polícia, bombeiros, alfândega, aviação, transporte de carga e mercadoria, serviços sociais, educação e jogos.

No seu discurso, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong U, aludiu que há mais de um ano que Macau é afectado pela epidemia de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, com a cooperação concertada de vários departamentos públicos e com a elevada cooperação de todos os sectores da sociedade e residentes, a prevenção e controlo da epidemia alcançou progressivamente bons resultados. Actualmente Macau encontra-se num nível de baixo risco, mas a epidemia a nível global ainda não é clara. A vacinação é, actualmente, a forma mais eficaz para prevenir a epidemia de pneumonia causada pelo SARS-Cov-2. Portanto, o início de um programa de vacinação em Macau pode criar uma barreira imune social e fornecer uma maior protecção para o público.

Actualmente, a oferta de vacinas em todo o mundo é muito escassa. Com o lançamento das vacinas inactivadas contra a COVID-19 produzidas pela Sinopharm Group no mercado, a Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura acredita que estas vacinas possam fornecer um forte apoio na prevenção e controlo contínuos da epidemia. Com o forte apoio e zelo do Estado e através da coordenação mais forte do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado e do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na Região Administrativa Especial de Macau, o governo de Macau conseguiu alocar 500.000 doses da vacina inactivada contra a COVID-19 produzida pela Sinopharm Group, as primeiras 100.000 doses chegaram no dia 6 de Fevereiro e as restantes 400.000 doses chegarão progressivamente a de acordo com a procura pública pela vacinação. A Secretária, Elsie Ao Ieong U, agradeceu ao Grupo Sinopharm a dispensa de um número suficiente de vacinas e à Nam Kwong União Comercial e Industrial, Limitada, por ter rapidamente efectuado o transporte.

No início do plano de vacinação o Chefe do Executivo liderou os titulares dos principais cargos sendo esta uma acção demonstrativa, para o público, da confiança que o Governo da RAEM deposita na vacina. A Secretária, Elsie Ao Ieong U, espera que o público possa responder ao apelo do Governo para que se protejam a si próprios, protejam as suas famílias, protejam Macau e activamente participem na vacinação.

A Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura durante a cerimónia, confirmou, ainda, que o Governo da RAEM encomendou vacinas em quantidade suficiente para todos os residentes de Macau e criou uma página electrónica de informações sobre vacinação permitindo que os residentes entendam todos os pormenores associados à vacina.

Elsie Ao Ieong U enfatizou que a vacinação é baseada num acto voluntário e na escolha dos tipos de vacinas pelos próprios residentes de modo a que se construa uma barreira imunológica para a comunidade de Macau.

Nas respostas às perguntas apresentadas pelos jornalistas, o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, disse que, até às 21h00 de ontem (dia 8), cerca de 1.300 trabalhadores da linha de frente já marcado a vacinação contra a COVID-19 e com a aproximação do Ano Novo Lunar, alguns funcionários da linha de frente possam ter receios que alguma alimentação possa ter influência na vacina, vão optar por se vacinar mais tarde. O Dr. Lei Chin Ion soube que cerca de metade do pessoal da linha de frente está disposto a ser vacinado; O Director dos Serviços de Saúde afirmou, ainda, que se nem todos os profissionais da linha de frente se vacinarem na primeira fase também podem ser vacinados na segunda fase ou na terceira fase e isso não irá afectar o calendário de vacinação.

O Director dos Serviços de Saúde acrescentou, também, que actualmente a vacina contra a COVID-19 só pode ser fornecida pelos Serviços de Saúde, sendo os locais de vacinação o Centro Hospitalar Conde de São Januário, todos os centros de saúde e postos de saúde em Macau.

O Dr. Lei Chin Ion esclareceu que, embora o processo de vacinação seja muito rápido, é necessário disponibilizar aos residentes uma sala para descanso equipado com dispositivos médicos para avaliação clínica, assinatura do termo de consentimento informado e permanência de meia hora após a vacinação e equipamentos de primeiros socorros, daí que seja necessário ajustar os locais de vacinação e os respectivos dispositivos. Actualmente, os centros de saúde estão equipados com equipamento básico de primeiros socorros e os Serviços de Saúde já disponibilizaram formação intensiva de primeiros socorros para que os profissionais dos centros de saúde se familiarizem com as técnicas necessárias. Os Serviços de Saúde de acordo com as necessidades irão alargar a rede de locais de vacinação. O Director dos Serviços de Saúde, acredita, Dr que o aumento dos locais de vacinação pode responder à procura da vacina na segunda fase.

Actualmente, os Serviços de Saúde estão a analisar com o Hospital Kiang Wu e o Hospital da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau a possibilidade de estes disponibilizarem a vacina, mas ainda é necessário avaliar se o equipamento e o espaço são adequados.

Sobre o numero de pessoas que devem ser inoculadas para que Macau consiga uma imunidade colectiva, o Dr. Lei Chin Ion tomou como exemplo a vacinação contra influenza. A taxa de vacinação contra a gripe em Macau é de cerca de 25%, que já é uma taxa de vacinação elevada. Os alunos do jardim de infância, os alunos do ensino primário e secundário em Macau têm forte poder de transmissão e são fáceis de formar a aglomeração de pessoas. Depois de serem amplamente vacinados contra a gripe, a fonte de transmissão pode ser controlada, de modo a evitar a transmissão aos idosos em casa e alcançar uma boa barreira imunológica.

Relativamente à taxa de vacinação contra a COVID-19, actualmente ainda não há dados concretos, alguns especialistas apontam que só será produzida a eficácia quando a metade de população for vacinada. O Governo da RAEM está empenhando em concretizar o lema “todos que queiram ser vacinados, o maior número possível”. Após a administração da primeira dose de vacina dos residentes, os Serviços de Saúde também marcarão a inoculação da segunda dose de vacina e vão considerar o envio de um SMS antes da data prevista. O Governo da RAEM também tentará adquirir mais vacinas e acelerar os procedimentos de aquisição, para que possa dar todas as garantias à população. O Director dos Serviços de Saúde e o Médico Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Lei Wai Seng, apresentaram à comunicação social os equipamentos de primeiros socorros instalados na sala de vacinação e na sala de descanso.

A primeira fase de vacinação teve inicio a 9 de Fevereiro, com prioridade ao pessoal da linha de frente na luta antiepidémica e dos grupos com alto risco de exposição ocupacional (por exemplo, pessoal de aviação e transporte público, trabalhadores expostos a alimentos de cadeia de frio e alimentos frescos,e entre outros), e as pessoas que tenham necessidade inadiável de se deslocar às regiões de alto risco.

Até às 18h00 hoje (dia 9), foram vacinadas 509 pessoas com a primeira dose da vacina contra a COVID-19 . A segunda dose da vacina pode ser administrada 28 dias após a primeira dose.

Na segunda fase, a vacinação irá alargar-se a toda a população de Macau.

Até às 18h00 hoje (dia 9), 3.052 pessoas agendaram a vacinação. Prevê-se que a vacinação possa ser efectuada a partir do dia 22 de Fevereiro.

Quem necessite de ter o apoio para agendar a vacinação na Internet, pode deslocar-se aos oitos postos subordinados no Instituto da Acção Social.

Informações detalhadas sobre as vacinas, estão disponíveis na página electrónica (https://www.ssm.gov.mo/apps1/covid19vaccine/ch.aspx).

O sistema de marcação de vacina contra a COVID-19 está disponível em (https://eservice.ssm.gov.mo/covidvacbook) ou através da leitura do código de QR (vide. o anexo).

O Governo da RAEM apela à população que activamente se vacine contra a COVID‑19 activa, e crie uma barreira imunológica comunitária que impeça a propagação de doenças.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar