Inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho referente a Dezembro de 2020


Em Dezembro de 2020 o volume de negócios de 27% dos proprietários entrevistados da restauração aumentou ou estabilizou, em termos anuais, tendo esta proporção descido cerca de 1 ponto percentual, face à de Novembro. Destaca-se que a proporção dos proprietários dos estabelecimentos de comidas e lojas de sopas de fitas e canjas (29%), que declararam aumentos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios, desceu 3 pontos percentuais, contudo, a proporção dos proprietários dos restaurantes chineses (20%) subiu 2 pontos percentuais. Por seu turno, 73% dos proprietários entrevistados da restauração manifestaram decréscimos homólogos no volume de negócios, tendo esta proporção subido 1 ponto percentual, face à de Novembro, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Quanto ao comércio a retalho, 31% dos retalhistas entrevistados declararam acréscimos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios de Dezembro de 2020, tendo esta proporção crescido 4 pontos percentuais, relativamente à de Novembro. Salienta-se que as proporções dos retalhistas de produtos cosméticos e de higiene (22%), bem como dos retalhistas de relógios e joalharia (39%), que manifestaram aumentos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios, subiram 11 e 6 pontos percentuais, respectivamente, porém, a proporção dos supermercados (56%) diminuiu 11 pontos percentuais. Por seu turno, 69% dos retalhistas entrevistados declararam diminuições homólogas no volume de negócios, tendo esta proporção descido 4 pontos percentuais, face à de Novembro.

Em relação às expectativas para o mês de Janeiro de 2021, 21% dos proprietários entrevistados da restauração anteviram acréscimos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios, tendo esta proporção aumentado 1 ponto percentual, face à prevista para Dezembro de 2020. Refira-se que as proporções dos proprietários dos estabelecimentos de comidas e lojas de sopas de fitas e canjas (33%), bem como dos proprietários dos restaurantes japoneses e coreanos (42%), que projectaram aumentos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios, aumentaram 11 e 5 pontos percentuais, respectivamente. Paralelamente, 96% dos proprietários dos restaurantes chineses anteviram diminuições homólogas no volume de negócios para Janeiro de 2021, tendo esta proporção subido 6 pontos percentuais, relativamente à prevista para Dezembro de 2020.

Quanto ao comércio a retalho, 41% dos retalhistas entrevistados previram acréscimos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios para Janeiro de 2021, tendo esta proporção crescido 12 pontos percentuais, comparativamente com a prevista para Dezembro de 2020. Salienta-se que as proporções dos retalhistas de mercadorias de armazéns e quinquilharias (36%), dos vendedores de automóveis (67%), dos retalhistas de relógios e joalharia (33%), assim como dos retalhistas de vestuário para adultos (35%), que anteviram aumentos homólogos ou estabilizações homólogas no volume de negócios, subiram 27, 11, 11 e 10 pontos percentuais, respectivamente, todavia, a proporção dos supermercados (56%) desceu 11 pontos percentuais.

Os destinatários do “Inquérito de Conjuntura à Restauração e ao Comércio a Retalho” foram seleccionados com base no volume de negócios. O actual inquérito abrange 188 amostras do ramo da restauração e 135 do ramo do comércio a retalho, correspondentes a cerca de 50% e 65% das respectivas receitas dos ramos em 2018. Os resultados do inquérito reflectem apenas a estimativa sobre a situação da conjuntura dos proprietários e retalhistas entrevistados, já que não foi realizada uma inferência global.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar