Segundo lote de 400.000 doses da vacina inactivada da Sinopharm contra a COVID-19 chega a Macau

Camião chega à entrada da zona de inspecção de mercadorias no posto fronteiriço

Com o forte apoio do Governo Central, o segundo lote de 400.000 doses de vacinas inactivadas contra a COVID-19 produzidas pela Sinopharm Group (China National Biotech Group, Beijing Institute of Biological Products) chegaram à RAEM, domingo (dia 28 de Fevereiro), tendo a entrega sido testemunhada pelo Subdirector do Departamento de Publicidade e Cultura do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Dr. Wan Sucheng.

Os Serviços de Saúde através do Departamento de Assuntos Farmacêuticos efectuaram um procedimento de inspecção à importação de vacinas e uma cerimónia de recepção no Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau.

Este lote de vacinas foi transportado, via terrestre de Pequim até Macau, durante mais de 30 horas, um processo que teve total cooperação do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central e do Grupo Nam Kwong Company Limited além de outros serviços competentes.

Após a conclusão das formalidades de inspecção da importação pelo pessoal de fiscalização do Departamento dos Assuntos Farmacêuticos dos Serviços de Saúde, o Director Geral Adjunto do Grupo Nam Kwong, Dr. Cheong Pui In, entregou as vacinas inactivadas da Sinopharm contra a COVID-19 e o Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, assinou os documentos de recepção das vacinas, operação testemunhada pelo Subdirector do Departamento de Publicidade e Cultura do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Dr. Wan Sucheng.

O Director, Dr. Lei Chin Ion, durante as declarações aos órgãos de comunicação social, afirmou que, com as 100 mil doses de vacina que chegaram a Macau em Janeiro, em Macau já foram recebidas 600,425 doses de vacinas, número considerado suficiente para que pelo menos 300.000 residentes possam receber as duas (2) doses da vacina.

O Governo da RAEM encomendou 400 mil doses por cada um de três tipos de vacinas. Mais 100.000 doses para uso de emergência num total de 1,3 milhões de vacinas. Acrescem a este numero 200.000 doses de vacina encomendadas pelo Governo à Organização Mundial da Saúde âmbito do programa COVAX, ou seja, no total o Governo da RAEM encomendou 1,5 milhões doses. Dado que a Organização Mundial da Saúde tem dado prioridade aos países e regiões que se encontram em estado crítico da epidemia ou de pobreza, prevê-se que a chegada destas vacinas dependa da situação real na altura.

A este propósito, explicou o director dos Serviços de Saúde, recentemente a GAVI (Aliança Global para Vacinas e Imunização) contactou com as autoridades de Macau para fornecer cerca de 60.000 doses de vacinas, situação que coincidiu com a chegada das vacinas da Sinopharm e da Fosun/BioNtech. Para evitar desperdícios, as mesmas vacinas foram depois atribuídas pela GAVI a países ou regiões em necessidade.

No futuro, o Governo da RAEM irá adquirir mais vacinas, de acordo com as situações, assegurando que cada residente pode receber duas doses de vacina.

Em Março, irá chegar a Macau outro lote de cerca de 100.000 doses da vacina da Foson-BioNtech.

No caso dos residentes pretenderem administrar vacinas de um vírus vector (adenovírus), têm de esperar até segunda metade do ano para serem vacinados.

O Director, Dr. Lei Chin Ion afirmou, ainda, que tendo em conta que as vacinas estão a ser adquiridas de uma forma muito activa em todo o mundo, o Governo da RAEM está a envidar todos os esforços para garantir as encomendas e irá verificar, conforme as situações reais, se será possível satisfazer as exigências da população.

Relativamente à actual situação da marcação da Vacina contra a COVID-19, o Dr. Lei Chin Ion explicou que há que ter em conta, que actualmente não existe no território uma situação epidémica, mas mesmo assim os números de marcações são favoráveis. Mais de 30 mil pessoas já agendaram a vacina. Daqueles que já administraram a vacina só um pequeno número de pessoas é que teve, após a vacinação, reacções adversas ligeiras.

O Dr. Lei Chin Ion apela aos residentes para que se vacinem o mais rápido possível, para produzir imunidade o mais cedo possível, o que alem de proteger o individuo, protege a sua família e Macau.

Relativamente à questão da validade da vacina e um eventual desperdício o Dr. Lei chin ion deu como exemplo as vacinas da gripe. O uso anual de vacinas contra a gripe pelo governo da RAEM é de cerca de 70% das vacinas encomendadas.

No passado, houve um grande número de pessoas marcou a vacinação depois de terem ocorrido casos mortais, o que resultou de uma situação em que a procura superou a oferta. No actual contexto, apesar de não haver casos em Macau de COVID-19, neste momento, o número de vacinações agendadas temporariamente não é maior comparativamente com a gripe, é difícil estimar que a situação não se altere, o que pode causar um desperdício ou uma situação de falta de oferta.

Actualmente, as vacinas estão em muito grande procura em todo o mundo, para fins de seguro, o governo da RAEM fará mais reservas para evitar eventuais faltas ou escassez das vacinas a disponibilizar. As autoridades adquiriram vacinas suficientes para todos os residentes de Macau e não podem passar sem a ajuda e o apoio do Estado .

Sobre uma eventual descida do preço da realização do teste de ácido nucleico, o Director dos Serviços de Saúde afirmou que existem várias regiões do Interior da China que cobram taxas mais elevadas do que Macau e até cobram uma taxa para a consulta e teste ao mesmo tempo. As autoridades estão agora a negociar com as instituições de teste de terceiros, mas acreditam que há pouco espaço para redução da taxa do teste devido aos custos dos reagentes.

Até às 18:00 horas de domingo, 28 de Fevereiro de 2021, 32.050 indivíduos tinham agendado a vacinação contra a COVID-19 dos quais 14.426 já foram vacinados. A resposta está a ser satisfatória.

A cerimónia de recepção das vacinas contou com a presença do Assistente do Director Adjunto do Departamento de Publicidade e Cultura do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, Liu Rui, do Subdirector dos Serviços de Saúde, Eng.º Chan Weng Wa, do Chefe do Departamento dos Assuntos Farmacêuticos, Dr. Choi Peng Cheong e do Director de Prevenção e Controlo da Doença, Dr. Lam Chong, entre outros.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar