Realizada em Xangai a primeira reunião de cooperação com Macau

Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, discursa na 1.ª Reunião de Cooperação entre Xangai e Macau.

A primeira reunião de cooperação entre Xangai e Macau realizou-se, hoje (4 de Junho), naquela cidade do Interior da China, marcando a criação e activação formal do mecanismo de cooperação ao mais alto nível entre os dois territórios e da plataforma de diálogo, que constituem um novo ponto de partida importante para a colaboração entre as partes. Xangai e Macau envidarão mais esforços para alargar e aprofundar os intercâmbios e cooperação em várias áreas.

O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, e o presidente do município de Xangai, Gong Zheng, lideraram, respectivamente, as suas comitivas na reunião, na qual participaram ainda, proferindo discursos, o director-adjunto do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau junto do Conselho de Estado, Huang Liuquan, e o director-adjunto do Gabinete de Ligação do Governo Central na Região Administrativa Especial de Macau, Yao Jian.

Durante o seu discurso, o Chefe do Executivo disse que Xangai obteve resultados excelentes nas áreas comercial, financeira e fabril, merecendo também os campos da construção e gestão urbana uma aprendizagem por Macau. Acrescentou que Xangai e Macau têm mantido uma relação estreita, no entanto, nesta reunião é criado um mecanismo mais aperfeiçoado para o efeito, que permitirá o enriquecimento futuro dos conteúdos de colaboração e uma contínua expansão dos domínios de intercâmbio.

Ho Iat Seng salientou que Xangai e Macau têm perspectivas de cooperação muito amplas nas áreas financeira, da medicina tradicional chinesa e da inovação tecnológica. Actualmente, a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) está a envidar mais esforços para impulsionar o desenvolvimento do sector de serviços financeiros modernos, e, por isso, espera que as partes possam criar, conjuntamente, as condições favoráveis para esse efeito, nomeadamente com o reforço da formação de quadros qualificados da área financeira, o estímulo às instituições financeiras de Xangai para que estabeleçam empresas ou representações na RAEM, o incentivo às companhias da cidade para emitirem obrigações e procederem ao financiamento em Macau, impulsionando-se ainda mais o intercâmbio entre os dois lados neste sector.

O Chefe do Executivo adicionou que Xangai e Macau podem ainda reforçar a cooperação no impulso ao desenvolvimento da medicina tradicional chinesa de alta qualidade e sua promoção no estrangeiro, sendo Macau uma mais-valia enquanto ponte estratégica, ou seja, esses produtos e a sua técnica de produção podem entrar, através da RAEM, nos mercados dos Países da Língua Portuguesa e na União Europeia, bem como nos países abrangidos pela iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”. Entretanto, os quatro Laboratórios de Referência do Estado de Macau, designadamente para Investigação de Qualidade em Medicina Chinesa, em Circuitos Integrados em Muito Larga Escala Analógicos e Mistos, para a Ciência Lunar e Planetária e para Internet das Coisas da Cidade Inteligente, criam também vantagens próprias. Espera-se que as duas regiões, partindo das bases desenvolvidas, nos últimos anos no âmbito, da cooperação em policiamento inteligente, possam agora dar mais um passo para o aprofundamento da colaboração na área da inovação tecnológica e na construção de uma cidade inteligente.

Por sua vez, o presidente do município de Xangai, Gong Zheng, destacou, no seu discurso, que Xangai e Macau têm mantido uma cooperação e intercâmbio estreitos, especialmente nos últimos anos, nas áreas financeira, de exposição e convenções, cultura, turismo, intercâmbio de jovens, entre outras, com resultados frutíferos. Assim, acredita que colaboração entre as partes será ainda mais ampla no futuro.

Gong Zheng traçou ainda dois desejos para as duas regiões em matéria de cooperação: 1) avançar com a integração de serviços na nova conjuntura de desenvolvimento e em conjunto abordar formas de participação na iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, Integração do Delta do Rio Yangtze e cooperação na construção de Grande Baía - Guangdong, Hong Kong e Macau; 2) reforçar a cooperação para benefício mútuo, com empenho na concretização do “protocolo sobre o mecanismo de reunião da cooperação entre Xangai e Macau” e os acordos de cooperação em cinco áreas específicas, dando-se um impulso conjunto ao desenvolvimento sustentável da economia e estabilidade social. Por outro lado, Gong Zheng fez ainda uma breve apresentação sobre a actual situação de desenvolvimento da cidade e projectos para o futuro.

Na reunião, o vice-presidente do município, Zong Ming, e o secretário para a Economia e Finanças da RAEM, Lei Wai Nong também intervieram, fazendo um balanço da cooperação entre as duas regiões e traçando as perspectivas de futuro. Outros representantes das diferentes áreas também abordaram temas relativos à cooperação, nomeadamente nas áreas financeira, cultural e de turismo, de exposições e convenções, entre outras.

Depois de feito o balanço, Lei Wai Nong sugeriu que, no futuro, as partes devem reforçar a cooperação em três domínios: 1) conforme as necessidades de desenvolvimento do país, Xangai e Macau estabelecer um sólido mecanismo de cooperação entre as partes, que seja mais forte e dê um maior suporte ao desenvolvimento da colaboração entre dois territórios. 2) Promover constantemente, com pensamento inovador e pragmático, a cooperação em vários campos, consolidando e aprofundando os resultados da colaboração nas áreas financeira, de convenções e exposições, económica e comercial, da juventude, entre outras; igualmente, tendo em conta as necessidades da nova era, alargar ainda mais a colaboração nos domínios da educação, cultura e turismo, indústrias criativas, inovação tecnológica, construção da cidade inteligente, governança urbana, sector de medicina tradicional chinesa, saúde, protecção ambiental, entre outros, no sentido de facilitar a criação de negócios aos residentes de Macau e seu desenvolvimento em Xangai. 3) Criar conjuntamente projectos chave e analisar formas de envidar maiores esforços para impulsionar a cooperação no sector das convenções e exposições, com o desenvolvimento de projectos de renome internacional “duas regiões, uma exposição”, que possam contribuir para o reforço da ligação entre o Delta do Rio Yangtze e a Grande Baía, e para resultados eficazes neste âmbito; além disso, as partes podem intensificar a cooperação no sector financeiro, esperando que o governo municipal de Xangai apoie mais sociedades de locação financeira a investirem e desenvolverem-se em Macau, explorando um novo mercado, para que os resultados da colaboração entre as cidades possam ser mais evidentes.

No encontro, representantes de Xangai e Macau assinaram o acordo-quadro para o reforço da cooperação na área estratégica da nova economia digital e na área de cidade inteligente e de colaboração e intercâmbio de serviços de inovação e empreendedorismo de pequenas e médias empresas; a carta de intenções para a cooperação e intercâmbio nas áreas da cultura e turismo entre a administração municipal da cultura e turismo de Xangai e a RAEM; o acordo de cooperação na área do desporto entre Xangai e Macau; a carta de intenções para o estabelecimento de cooperação na indústria das convenções e exposições entre o conselho para a promoção do comércio internacional de Xangai e o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau; e o acordo-quadro para a cooperação e intercâmbio académicos entre o instituto para os estudos internacionais de Xangai e a Universidade de Macau.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar