Balanço da “Operação Trovoada 2021” – Operação tripartida de combate à criminalidade

As autoridades policiais de Guangdong, Hong Kong e Macau realizaram em simultâneo a conferência de imprensa sobre o balanço da “Operação Trovoada 2021”.

Realizou-se, hoje (dia 6 de Setembro), pelas 10h00, em simultâneo com as autoridades policiais de Guangdong, Hong Kong e Macau, a conferência de imprensa sobre o balanço da “Operação Trovoada 2021”. A conferência em Macau teve lugar nos Serviços de Polícia Unitários (SPU) e foi presidida pelo Adjunto do Comandante-geral dos SPU, Vong Chi Hong, com a presença do Subdirector da Polícia Judiciária (PJ), Chan Kin Hong, Segundo-comandante do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), Leong Heng Hong e o Chefe de Departamento, substituto, dos Serviços de Alfândega (SA), José Pou.

A operação tripartida de combate à criminalidade, denominada “Operação Trovoada 2021”, foi realizada em duas fases, respectivamente de 6 de Junho a 11 de Julho e de 16 a 30 de Agosto. Da parte da RAEM, sob a coordenação dos SPU, os SA, o CPSP e a PJ realizaram, no âmbito dessa operação tripartida, 746 acções de fiscalização, tendo reforçado as inspecções e identificações nos casinos e zonas adjacentes, postos fronteiriços, principais vias públicas, zonas costeiras e marítimas, assim como desencadearam operações de combate destinadas a diversos crimes transfronteiriços, nomeadamente associações criminosas, crime relacionado com drogas, jogo ilícito, usura, troca ilegal de dinheiro, exploração de prostituição, tráfico de pessoas, burla informática, imigração clandestina, entre outros.

Para esta operação, foram mobilizados 9721 agentes policiais e alfandegários, 31086 indivíduos foram sujeitos a identificação e 2172 indivíduos foram conduzidos à Polícia para efeitos de averiguações, envolvendo um total de 443 casos.

Durante a operação, foram resolvidos 17 casos relacionados com drogas, envolvendo 24 indivíduos, tendo a polícia apreendido vários tipos de drogas, designadamente 631 gramas de ice, 1,13 gramas de cetamina, 7 folhas de canábis, entre outros, valorizando cerca de dois milhões de patacas. Além disso, foram descobertos 15 casos de usura, envolvendo 16 indivíduos, de entre os quais 2 casos estavam relacionados com crimes de sequestro. Quanto ao combate à imigração ilegal, foram descobertos 6 casos de auxílio à imigração clandestina, envolvendo 10 indivíduos.

Em relação aos crimes de burla, foram resolvidos 90 casos, envolvendo 104 indivíduos, de entre os quais, 31 casos estavam relacionados com crimes de “troca ilegal de dinheiro”, envolvendo 34 indivíduos. Ainda em relação a estes casos, 11 casos foram cometidos através de “notas destinadas ao treino de contagem manual de dinheiro”, envolvendo 12 indivíduos, tendo sido apreendido 1374 “notas destinadas ao treino de contagem manual de dinheiro” parecidas com notas de mil dólares de Hong Kong. Foram ainda descobertos 3 casos de burla informática através de aplicação social, envolvendo 5 indivíduos.

No âmbito desta Operação, 516 indivíduos foram encaminhados aos órgãos judiciários para efeitos de acusação por cometimento de crimes, dentro dos quais, 271 foram aplicadas medidas de coacção ou de condenação, nomeadamente prisão preventiva a 32 indivíduos

No decurso das duas fases da operação, 704 indivíduos não residentes foram encaminhados para o devido processo de repatriamento por cometimento de crimes, imigração ilegal, excesso de permanência, trabalho ilegal, troca ilegal de dinheiro, actividades que não se coadunavam com a qualidade de turista, entre outros. A par disso, foram ainda interceptados e detidos 13 indivíduos em cumprimento de mandados de detenção emitidos pelas autoridades judiciárias, dentro dos quais, 2 indivíduos foram entregues de imediato ao Estabelecimento Prisional para cumprimento da pena.

Fazendo um balanço, a “Operação Trovoada 2021” conseguiu atingir os resultados esperados, tendo contribuído para a manutenção da segurança das três regiões e a prevenção e combate à criminalidade transfronteiriça. Devido ao surto da epidemia, a sociedade de Macau e das regiões vizinhas têm sofrido alterações recentemente, o que traduz factores incertos para a sociedade e mudanças para a tendência da criminalidade. Face a essa situação, os SPU continuarão atentos à situação da segurança de Macau e das regiões vizinhas, através do bom funcionamento do mecanismo de ligação policial e da permuta de informações com as autoridades de Guangdong e de Hong Kong, ajustando devidamente o seu dispositivo operacional no sentido de assegurar a segurança e a estabilidade das três regiões.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar