Governo da RAEM vai corresponder às altas expectativas do Governo Central e empenhar-se na cooperação com Guangdong para a construção conjunta de Hengqin


O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, afirmou, hoje (1 de Outubro), na recepção comemorativa do 72.º aniversário da Implantação da República Popular da China, que a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) tem sempre presente a sua missão e irá tirar pleno proveito das novas oportunidades e corresponder às altas expectativas do Governo Central e da sociedade. Focado na «linha principal», nos «posicionamentos estratégicos» e nas «principais funções», o Governo da RAEM irá implementar gradualmente as políticas e medidas de reforma e abertura na Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin e empenhar-se na cooperação com a província de Guangdong para a construção conjunta de Hengqin.

O Governo da RAEM realizou, esta manhã, às 09h30, no Complexo da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, uma recepção solene em comemoração do 72.º aniversário da Implantação da República Popular da China. Entre os convidados, de destacar a presença do vice-presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, Edmund Ho, do subdiretor do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Zhang Rongshun, do comissário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China na RAEM, Liu Xianfa, do subcomandante da Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês, Dai JinSong, do presidente da Assembleia Legislativa, Kou Hoi In, e do presidente do Tribunal de Última Instância, Sam Hou Fai. Ao evento, compareceram ainda membros do Conselho Executivo, deputados da VI Assembleia Legislativa, responsáveis dos serviços públicos, representantes de Macau na Assembleia Popular Nacional e na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês e outras personalidades dos diversos quadrantes sociais, num total de mais de 100 convidados.

No uso da palavra, o Chefe do Executivo relembrou que, nestes setenta e dois anos percorridos pela Nova China, o País avançou da pobreza e do atraso para a prosperidade. Sob a forte liderança do Partido Comunista Chinês, e com tenacidade e persistência, o povo de todo o país construiu uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos, resolveu a questão da pobreza absoluta e alcançou a primeira meta centenária, marchando, agora, a passos confiantes em direcção à segunda meta centenária.

O mesmo responsável reiterou que a pátria é o mais forte suporte da prosperidade e estabilidade de Macau e uma fonte inesgotável de força motriz do desenvolvimento de Macau. A AEM defenderá sempre o «conceito geral da segurança nacional», continuará a elevar a sua consciência de perigo e a reforçar, de forma abrangente, as suas acções de defesa da segurança nacional. Além disso, permanecerá sempre inabalável na salvaguarda da soberania, da segurança e dos interesses do desenvolvimento do país, aperfeiçoando constantemente o regime jurídico da defesa da segurança nacional e o respectivo mecanismo de implementação, ao mesmo tempo que executará firmemente o princípio fundamental «Macau governado por patriotas». Lembrou ainda que, no passado mês, realizaram-se com sucesso as eleições para a VII Assembleia Legislativa e o princípio «Macau governado por patriotas» foi, uma vez mais, consolidado e demonstrado.

Ho Iat Seng afirmou igualmente que este ano se assinala o início do «Décimo Quarto Plano Quinquenal Nacional» e o Governo da RAEM deu início, este ano, aos trabalhos de elaboração do seu 2.º Plano Quinquenal. Assim, o 2.º Plano Quinquenal visa articular-se com o plano quinquenal do país e, assente na realidade de Macau, define claramente os objectivos e as acções fundamentais para o desenvolvimento socioeconómico para os próximos cinco anos, em prol do desenvolvimento duradouro e sustentável de Macau.

Por outro lado, o Chefe do Executivo indicou que, com a promulgação pelo Governo Central do «Projecto Geral de Construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin» e a inauguração das Organizações Administrativas da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, nos dias 5 e 17 de Setembro, respectivamente, a construção da zona de cooperação entrou numa nova fase de implementação acelerada. Neste contexto, o Governo da RAEM irá ter sempre presente a sua missão, tirar pleno proveito das novas oportunidades e corresponder às altas expectativas do Governo Central e da sociedade. Focado na «linha principal», nos «posicionamentos estratégicos» e nas «principais funções», o Executivo local irá implementar gradualmente as políticas e medidas de reforma e abertura na Zona de Cooperação Aprofundada e envidar todos os esforços no desenvolvimento de novas indústrias que promovam a diversificação adequada da economia de Macau, na construção de um novo lar propício à vida quotidiana e profissional dos residentes de Macau, na construção de um novo sistema de integração com Macau aberto e de alto nível e no aperfeiçoamento constante do novo sistema de negociação, construção e administração conjuntas e compartilha de resultados entre Guangdong e Macau, e empenhar-se na cooperação com a província de Guangdong para a construção conjunta de Hengqin.

O Chefe do Executivo disse também que perante a volatilidade da pandemia e as situações imprevistas, com o forte apoio do Governo Central e dos governos da província de Guangdong e do município de Zhuhai, o Governo da RAEM e todos os residentes, em união de vontades, superaram as dificuldades. Aproveitou ainda a oportunidade para apelar novamente aos cidadãos para se submeterem à vacina com vista à criação de barreiras protectoras para a saúde de Macau. E garantiu que o governo vai continuar a acompanhar de perto a evolução da epidemia, a estudar e avaliar as questões económicas e outros problemas, a impulsionar activamente a revitalização económica e a recuperação ordenada do emprego e do quotidiano dos residentes.

O mesmo responsável afirmou igualmente que face às mudanças na conjuntura do desenvolvimento, a nível interno e externo, e às novas exigências que se colocam, Macau vai continuar a implementar firmemente os princípios «um país, dois sistemas» e «Macau governado pelas suas gentes» com alto grau de autonomia e, ao mesmo tempo, continuará a agarrar as oportunidades, a participar activamente nas grandes estratégias de desenvolvimento do país e a reforçar constantemente o seu papel enquanto ponto de intersecção e plataforma da dupla circulação económica nacional e internacional, contribuindo para a ampla abertura e modernização do país.

Antes da recepção, realizou-se, pelas 08h00, a cerimónia do içar das bandeiras em comemoração do 72.º aniversário da implantação da República Popular da China, na praça Flor de Lótus. A cerimónia contou com a presença do Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, dos responsáveis das instituições do Governo Central na RAEM, dos responsáveis dos órgãos legislativos e judiciais, e ainda dos membros do Conselho Executivo, deputados da Assembleia Legislativa, responsáveis dos serviços públicos, representantes de Macau na Assembleia Popular Nacional e na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, num total de cerca de 100 convidados.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar