10 postos de teste destinados aos indivíduos participantes do Programa de teste com alta frequência acrescentados a partir de 12 de Outubro e horário de Postos de teste Fórum de Macau e do Campo dos operários da Associação Geral dos Operários de Macau alargado até à meia-noite

Conferência de Imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

Na conferência de imprensa realizada está segunda-feira, (dia 11 de Outubro) pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, o médico-adjunto, Dr. Tai Wa Hou adiantou que hoje não foi registado novo caso, sendo que em total foram registados 77 casos diagnosticados da COVID-19 em Macau, dos quais, sessenta e quatro (64) tiveram alta hospitalar, sessenta (60) foram casos importados do exterior e dezassete (17) foram relacionados com casos importados e não foi registado qualquer caso de infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais.

No Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane estão actualmente internados doze (12) casos conexos, um (1) caso confirmado importado do exterior, todos estes treze (13) doentes encontram-se em estado clínico considerado estável, sem febre, sem sintomas do tracto respiratório, com condições gerais favoráveis. Há ainda três (3) pessoas em isolamento do período de convalescença, um (1) caso de recaída e vinte e nove (29) contactos próximos.

Até às 16h00 de 11 de Outubro, foram administradas 713.174 doses da vacina, num total de 397.199 pessoas vacinadas, das quais 48.948 com a primeira dose da vacina e 318.251 pessoas completaram as duas doses da vacina.Nas últimas 24 horas, foram registados dezoito (18) eventos adversos, dezoito (18) eventos adversos ligeiros; zero (0) eventos adversos graves, sendo treze (13) casos relativos à vacina inactivada da Sinopharm e cinco (5) casos relativos à vacina de BioNTech mRNA. Desde o início da vacinação até ao presente momento, houve 3.040 notificações de eventos adversos, incluindo 3.032 ligeiros, oito (8) graves. Quanto a testes de ácido nucleico, foram testadas em Macau 35.297 pessoas no dia 10 de Outubro.

Dr. Tai Wa Hou explicou que devido a falta de condições do Edifico de San Mei On, 780 pessoas foram transferidas para hotéis de observação medica numa operação interdepartamental que foi concluída após 17 horas de trabalho contínuo. Durante a despistagem, verificou-se que as informações não eram consistentes com as informações prestadas pelos moradores, nem os verdadeiros domicílios nem o número de habitantes em cada fracção.

Sobre a realização do programa de teste de ácido nucleico com alta frequência, destinado aos 3 sectores de profissão e 2 grupos étnicos, o Dr. Tai Wa Hou afirmou que estão registadas cerca de 22.000 pessoas. O 5 posto de testes dispõe de 35.000 vagas por dia.

A fim de facilitar o fluxo de pessoas, do dia 10 até ao dia 17 (domingo), o horário de atendimento nos postos de teste do Fórum de Macau e do Campo dos operários da Associação Geral dos Operários de Macau será alargado até à meia-noite, até que todo o programa esteja concluído. Acresce que do dia 12 (terça-feira) até ao dia 17, serão abertos 10 postos de teste, destinado aos grupos-chave, através de marcação especifica do programa de teste com alta frequência, incluindo: Grand Lisboa, Sands Macau, The Venetian Macao, Wynn Macau, Wynn Palace, Broadway Macau, StarWorld Hotel, MGM Macau, MGM Cotai e Studio City Macau. A marcação pode ser feita pelos interessados a partir de segunda-feira, dia 11.

O médico apelou para que o público efectue a marcação antes de recorrer ao teste de ácido nucleico, e comparecer na data e horas marcadas, sem necessidade de chegar muito cedo. Os portadores de Códigos Amarelos devem ser sujeitos ao teste de ácido nucleico nos prazos previstos, mas caso seja içado o sinal n.º 8 de tempestade tropical (tufão), a data do teste pode ser alterada, ou seja, pode ser adiada por um dia, mas o teste deve ser teste pode ser realizado após o sinal seja retirado. A menos que haja situação urgente de teste, a maioria dos postos de teste será suspensa, temporariamente. As pessoas sujeitas à alta frequência que não possam efectuar o teste na data prevista devido a condição individual podem ter compensação no dia seguinte, mas devem fazer fazem dois testes, consecutivamente, caso contrário o Código de Saúde será convertido para o código amarelo.

Os grupos-chave participantes neste programa de teste com alta frequência são baseados, principalmente, na investigação epidemiológica relativa à pandemia e a avaliação dos factos levou à consideração que existe um elevado risco de propagação do vírus entre estes grupos pelo que foram concentrados neste rastreio. Contudo, importa salvaguardar que estas pessoas não são consideradas de alto risco, não são suspeitas de infecção, nem são casos confirmados ou portadores do Código Amarelo, daí não exista, nem deve existir discriminação aos grupos-chave.

Relativamente à separação entre os grupos-chave e grupos gerais da população, o Dr. Tai Wai Hou explicou que, anteriormente, também houve alguns grupos chave que foram testados, como por exemplo as equipa médicas, os trabalhadores de cadeia do frio, o pessoal da alfândega, os trabalhadores da imigração, ente outros, que necessitam de fazer testes diários ou vários dias, sem qualquer discriminação e realização de teste, de forma separada.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou relatou que, no dia 10 de Outubro, mais 43 pessoas foram submetidas à observação médica, das quais, 6 são residentes de Macau e 37 não residentes de Macau. Até às 24h00 do dia 10 de Outubro (domingo), o número acumulado de pessoas submetidas à observação médicas era de 51.744. Actualmente, há ainda 1.040 pessoas que se encontram a ser submetidas a observação médica, das quais 1.037 pessoas em hotéis designados e 3 pessoas nas instalações dos Serviços de Saúde.

Relativamente aos portadores de cartões “Macau Pass” cuja função de pagamento foi suspensa, a médica explicou que estas pessoas são utentes que estiveram no mesmo autocarro em simultâneo com os doentes confirmados. Caso estas pessoas contactem as autoridades, o Centro de Coordenação de Contingência analisará se existe, de facto, um um percurso comum entre eles e os doentes dos casos confirmados. Em caso afirmativo, estas pessoas terão que efectuar observação médica ou medidas de quarentena correspondentes. Se os utentes de cartões “Macau Pass” tiverem cumprido as medidas pertinentes, a função de pagamento de cartões “Macau Pass” será desbloqueada de acordo com o procedimento.

Caso seja confirmado que não possuem um percurso comum com os doentes de caso confirmado, a lista será entregue à companhia de autocarros, por lotes para haja um desbloqueio de cartões “Macau Pass”. A coordenadora salientou que o procedimento administrativo de desbloqueio demora algum tempo, mesmo que o cartão Macau Pass seja desbloqueado, o titular de cartão ainda tem de o activar nas lojas da Macau Pass, S.A. para o utilizar. Os titulares de cartões cuja função de pagamento foi suspensa sem entrar em contacto com os Serviços de Saúde devem contactar as autoridades o mais rápido possível de forma a providenciar que eles sejam sujeitos às medidas de quarentena correspondentes.

Sobre a possibilidade de algumas pessoas terem sido submetidas a observação médica sem que tenham apanhado o mesmo autocarro com os doentes confirmados, a Coordenadora afirmou que apesar das tentativas dos Serviços de Saúde em obter informações sobre os dados destas pessoas não foi possível confirmar e acompanhar o caso por enquanto.

A Dr.ª Leong Iek Hou explicou que existem metodologias para verificar a coincidência dos itinerários de casos confirmados:

Primeiro, os trabalhadores telefonaram a cada residente na lista para saber as paragens onde os passageiros apanharam e desceram durante os percursos de autocarro com o objectivo de analisar se existe coincidência de itinerários com casos confirmados. Após a conclusão alcançada, o Centro irá contactar ao pessoal do CPSP para ajudar a enviar os interessados para o 2.º andar do Terminal Marítimo de Passageiros Pac On, ou eles dirigem-se pessoalmente ao Terminal para realizar os procedimentos de quarentena. À chegada ao Terminal, os trabalhadores verificam, de novo, se as pessoas possuem têm os mesmos itinerários com casos confirmados. Caso ainda existam duvidas os interessados podem reclamar para que detalhadamente sejam verificados os itinerários. A Dr.ª Leong Iek Hou instou os interessados a tomarem a iniciativa de contactar os Serviços de Saúde e fornecer seus nomes, para que os Serviços possam apreciar se há alguma lacuna no processo com objectivo de poder fazer o correspondente acompanhamento.

Relativamente a uma eventual imposição da “ordem de uso obrigatório de máscaras”, a médica referiu que a vigente Lei de Prevenção, Controlo e Tratamento de Doenças Transmissíveis não regula a “ordem de uso obrigatório de máscaras”, sendo que a mesma apenas pode ser implementada dependendo de consenso social e necessidade real.

Em resposta à data de reinício de funcionamento do entretenimento, a médica apontou que, a data de reinício de funcionamento de entretenimento será avaliada de forma dinâmica conforme a situação epidémica.

Na conferência, a Chefe do Departamento de Comunicação e Relações Externas, Dr.ª Lau Fong Chi reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados.O Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai relatou a situação social e a situação de entradas e saídas de Macau; Eles responderam às perguntas dos jornalistas.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: o Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Tai Wa Hou, a Chefe Departamento de Comunicação e Relações Externas, Dr.ª Lau Fong Chi, o Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar