Programa de testes de ácido nucleico destinado às zonas-chaves decorre domingo (17 de Outubro) | Objectivo retomar o quotidiano e a vida dos cidadãos

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

Na conferência de imprensa realizada este sábado, (dia 16 de Outubro) pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, o médico-adjunto, Dr. Tai Wa Hou afirmou que, por sete (7) dias consecutivos, não se registam novos casos confirmados.

No total foram registados 77 casos diagnosticados da COVID-19 em Macau, dos quais, sessenta e seis (66) tiveram alta hospitalar, sessenta (60) foram casos importados do exterior e dezassete (17) foram relacionados com casos importados e não foi registado qualquer caso de infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais.

No Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane estão actualmente internados onze (11) casos conexos, todos estes onze (11) doentes encontram-se em estado clínico considerado estável, sem febre, sem sintomas do tracto respiratório, com condições gerais favoráveis. Há ainda cinco (5) pessoas em isolamento do período de convalescença, dois (2) casos de recaída e vinte e nove (29) contactos próximos.

Até às 16h00 de 16 de Outubro, foram administradas 739.977 doses da vacina, num total de 417.135 pessoas vacinadas, das quais 91.695 com a primeira dose da vacina e 325.440 pessoas completaram as duas doses da vacina. Nas últimas 24 horas, foram registados nove (9) eventos adversos ligeiros; zero (0) eventos adversos graves, sendo seis (6) casos relativos à vacina inactivada da Sinopharm e três (3) casos relativos à vacina de BioNTech mRNA. Desde o início da vacinação até ao presente momento, houve 3.112 notificações de eventos adversos, incluindo 3.104 ligeiros, oito (8) graves. Quanto a testes de ácido nucleico, foram testadas em Macau 21.595 pessoas no dia 15 de Outubro.

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Tai Wa Hou e o Chefe do Departamento de Ensino da DSEDJ, Dr. Wong Ka Ki, fizeram uma apresentação sobre o programa de testes de ácido nucleico destinado às zonas-chaves que ira decorrer, domingo, 17 de Outubro (ver outro comunicado, https://www.gcs.gov.mo/detail/pt/N21JPMqld9?1 ). O Dr. Tai Wa Hou referiu que, após ampla pesquisa e julgamento, foi decidida a implementação deste programa, para realização de teste aprofundado nas zonas-chaves em torno do 72.º ao 75.º casos, com base na terceira testagem de ácido nucleico em massa.

O programa tem como objectivo eliminar a possibilidade de infecções potenciais e ocultas de forma mais rápida e completa na fase final do período de incubação do novo tipo de vírus e criar melhores condições em restauração total da produção normal e ordem de vida dos cidadãos, incluindo o reinício do trabalho, retomada das aulas, restauração de actividades de cultura, lazer e desportos, bem como das deslocações normais com regiões vizinhas, etc.

Relativamente à organização concreta do programa de testes de ácido nucleico destinado às zonas-chaves, o médico acrescentou que, as pessoas que têm de ser sujeitas a teste neste programa são aquelas que vivem nas zonas-chaves perto das áreas do código vermelho dos 72.º ao 75.º casos. De acordo com os endereços declarados no código de saúde, existem cerca de 50.000 pessoas, as quais podem fazer a marcação no sistema de testagem de ácido nucleico em massa a partir das 22h00 de hoje, sendo que as autoridades também enviam mensagens telemóveis para efeito de lembrança.

No caso das pessoas em questão não serem submetidas a teste a tempo, o seu código de saúde será convertido na cor amarela após 24 horas e até que o teste seja concluído. Quanto às pessoas que apanharam os referidos números de autocarro, o teste não é obrigatório, mas desde que as pessoas relevantes considerem que existe um risco, são bem-vindos fazer a marcação. Relativamente às preocupações de jornalistas com as medidas de passagem transfronteiriça, o médico-adjunto apontou que as autoridades continuam a comunicar com a Província de Cantão (Guangdong) e a lutar por facilitação das restrições em passagem transfronteiriça.

A Coordenadora, Dr.ª Leong Iek Hou, relatou que, nos últimos 4 dias, mais 185 pessoas provenientes das zonas de alto risco foram submetidas à observação médica, das quais, 64 são residentes de Macau e 121 não residentes de Macau. Até às 24h00 do dia 15 de Outubro (sexta-feira), o número acumulado de pessoas submetidas à observação médicas era de 52.041. Actualmente, há ainda 1.000 pessoas que se encontram submetidas a observação médica, das quais 999 pessoas em hotéis designados e 1 pessoa nas instalações dos Serviços de Saúde.

Em relação às perguntas levantadas pelos jornalistas sobre a participação das pessoas que vivem nas zonas periféricas do Bloco 3 do Edifício “The Bayview” de Macau para o programa de testes de ácido nucleico em zonas-chave, a coordenadora referiu que os destinatários deste programa de teste são moradores que vivem nas zonas periféricas das áreas do código vermelho estabelecidas por causa dos 72º a 75º casos, aliás, os 76.º e 77.º casos confirmados em Macau foram diagnosticados durante o período de observação médica, após o estudo e a analise, as pessoas envolvidas não têm risco de transmissão da comunidade, pelo que essas pessoas não estão abrangidas no programa de testes de ácido nucleico em zonas-chave.

Na conferência, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lam Tong Hou, reportou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados, o Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau.

Estiveram presentes na conferência de imprensa: o Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Dr. Tai Wa Hou, o Chefe do Departamento de Ensino da DSEDJ, Dr. Wong Ka Ki, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lam Tong Hou, o Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar