Índice de Preços no Consumidor (IPC) referente a Outubro de 2021


O IPC Geral de Outubro de 2021 (102,84) aumentou 0,91%, face a Outubro de 2020. O crescimento foi impulsionado, principalmente, pela ascensão dos preços: da gasolina; das refeições adquiridas fora de casa; dos bilhetes de avião e do gás de petróleo liquefeito, bem como pelo aumento dos salários dos empregados domésticos. Contudo, a diminuição das rendas de casa e a redução dos preços da carne de porco compensaram parte do crescimento do índice de preços. De entre os índices de preços das secções de bens e serviços, os das secções dos transportes, assim como dos equipamentos e serviços domésticos subiram 7,66% e 4,46%, respectivamente, em termos anuais. Porém, os índices de preços das secções das comunicações, bem como do vestuário e calçado desceram 2,13% e 1,80%, respectivamente. O IPC-A (102,81) e o IPC-B (102,87) subiram 0,78% e 1,10%, respectivamente, em termos anuais, informam os Serviços de Estatística e Censos.

No mês em análise o IPC Geral cresceu, ligeiramente, 0,02%, face a Setembro de 2021. Os índices de preços das secções do vestuário e calçado, assim como das bebidas alcoólicas e tabaco aumentaram 0,91% e 0,67%, respectivamente, em termos mensais, devido ao lançamento do vestuário de Inverno e à subida dos preços das bebidas alcoólicas. O índice de preços da secção dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas ascendeu, tenuemente, 0,08%, em termos mensais, graças ao aumento dos preços dos produtos hortícolas e das refeições adquiridas fora de casa, apesar dos preços da carne de porco fresca terem diminuído. Por seu turno, o índice de preços da secção das comunicações desceu 0,89%, em termos mensais, em virtude da queda dos preços dos serviços de telecomunicações. O índice de preços da secção dos transportes diminuiu 0,50%, em termos mensais, dado que a redução dos preços dos bilhetes de avião compensou o impacto causado pelo crescimento dos preços da gasolina. O IPC-A e o IPC-B cresceram, ligeiramente, 0,02% e 0,03%, respectivamente, em termos mensais.

O IPC Geral médio dos 12 meses terminados no mês de referência, em relação aos 12 meses imediatamente anteriores (Novembro de 2019 a Outubro de 2020), baixou 0,30%. Salienta-se que os índices de preços das secções das comunicações (-7,32%) e da recreação e cultura (-7,17%) tiveram os maiores decréscimos. O IPC-A e o IPC-B, ambos índices médios, desceram 0,34% e 0,26%, respectivamente, face ao período anterior.

Nos dez primeiros meses do corrente ano, o IPC Geral médio decresceu 0,19%, em relação ao mesmo período do ano transacto. O IPC-A e o IPC-B, ambos índices médios, baixaram 0,24% e 0,12%, respectivamente, face ao idêntico período do ano precedente.

O IPC Geral permite conhecer a influência da variação de preços na generalidade dos agregados familiares de Macau. O IPC-A corresponde a cerca de 50% dos agregados familiares, que têm uma despesa média mensal compreendida entre 12.000 e 35.999 Patacas e o IPC-B corresponde a cerca de 30% dos agregados familiares, que têm uma despesa média mensal compreendida entre 36.000 e 62.999 Patacas.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar