Estatísticas das indústrias culturais referentes a 2020


Em 2020 existiam 2.483 organismos em actividade nas indústrias culturais de Macau, as quais abrangiam quatro áreas: “Design criativo”; “Exposições e espectáculos culturais”; “Colecção de obras artísticas” e “Mídia digital”, que aumentaram 28, face ao ano 2019. O pessoal ao serviço era composto por 11.862 indivíduos, isto é, -13,4%, em termos anuais e as despesas com pessoal alcançaram 2,11 mil milhões de Patacas, ou seja, -4,8%. As receitas dos serviços das indústrias culturais cifraram-se em 5,0 mil milhões de Patacas, menos 36,9%, em termos anuais. O valor acrescentado bruto (VAB), que reflecte contributo económico destas indústrias, fixou-se em 2,14 mil milhões de Patacas (-27,9%, em termos anuais), representando 1,1% do VAB de todos os ramos de actividade económica de Macau em 2020, ou seja, esta percentagem cresceu 0,4 pontos percentuais em relação à de 2019 (0,7%). A formação bruta de capital fixo das indústrias culturais atingiu 390 milhões de Patacas, menos 35,7%, em termos anuais, devido a alguns organismos terem vendido imóveis e adquirido menos equipamentos durante o ano de referência, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Na área “Design criativo” havia 1.377 organismos em actividade, menos 21, em relação a 2019. O pessoal ao serviço era de 3.895 indivíduos, isto é, -15,8%, em termos anuais e as despesas com pessoal equivaleram a 510 milhões de Patacas, ou seja, -20,0%. No ano em causa as receitas dos serviços e o VAB cifraram-se em 1,79 mil milhões de Patacas e em 620 milhões de Patacas, respectivamente, diminuindo 29,9% e 28,8%, respectivamente, em termos anuais. Destaca-se que as receitas dos serviços dos ramos do design de arquitectura (540 milhões de Patacas), da publicidade (520 milhões de Patacas) e do design especializado (400 milhões de Patacas) desceram 8,4%, 41,7% e 5,0%, respectivamente.

Na área “Exposições e espectáculos culturais” existiam 308 organismos em actividade, mais 27, relativamente a 2019. O pessoal ao serviço era composto por 2.627 indivíduos, isto é, -13,7%, em termos anuais e as despesas com pessoal alcançaram 490 milhões de Patacas, ou seja, +21,5%. Durante o ano em análise as receitas dos serviços cifraram-se em 510 milhões de Patacas (-64,5%, em termos anuais), 12,0% das quais resultaram da venda de bilhetes. O VAB da área “Exposições e espectáculos culturais” (150 milhões de Patacas) registou um decréscimo homólogo de 40,6%. Salienta-se que 210 organismos em actividade se dedicaram à produção de artes performativas (+17, em termos anuais) e tinham 1.863 pessoas ao serviço (-18,7%). As receitas dos serviços (290 milhões de Patacas) destes organismos representaram 55,9% do total das receitas dos serviços desta área e baixaram 76,5%, face a 2019, pelo que o VAB (13,10 milhões de Patacas) diminuiu 92,0%.

Na área “Colecção de obras artísticas” existiam 139 organismos em actividade, mais 1, em relação a 2019. O pessoal ao serviço era composto por 466 indivíduos, menos 12,4%, em termos anuais e as despesas com pessoal corresponderam a 28,83 milhões de Patacas, menos 23,0%. No ano de referência as receitas dos serviços (68,84 milhões de Patacas) e o VAB (20,63 milhões de Patacas) diminuíram 39,8% e 43,9%, respectivamente. A formação bruta de capital fixo situou-se em 3,96 milhões de Patacas, menos 40,3% em termos anuais. Destaca-se que 21 organismos em actividade se dedicaram à criação, venda e leilão de obras de arte, menos 2, face a 2019 e o pessoal ao serviço era de 67 indivíduos. No ano em causa as receitas dos serviços (11,94 milhões de Patacas) destes organismos diminuíram 30,6%. O VAB (1,87 milhões de Patacas) destes organismos e a formação bruta de capital fixo (1,60 milhões de Patacas) desceram 73,2% e 30,2%, respectivamente. Realça-se ainda que 118 organismos em actividade se dedicaram aos serviços de fotografia (+3, em termos anuais) e o pessoal ao serviço era composto por 399 indivíduos (-8,9%). Durante o ano em análise as receitas dos serviços (56,90 milhões de Patacas) destes organismos e o VAB (18,76 milhões de Patacas) diminuíram 41,4% e 37,1%, respectivamente. A formação bruta de capital fixo destes organismos correspondeu a 2,37 milhões de Patacas, menos 45,6%, em termos anuais.

Na área “Mídia digital” havia 659 organismos em actividade, mais 21, face a 2019. O pessoal ao serviço era composto por 4.874 indivíduos, menos 11,2%, em termos anuais e as despesas com pessoal (1,07 mil milhões de Patacas) diminuíram 5,0%. No ano de referência as receitas dos serviços (2,63 mil milhões de Patacas) e o VAB (1,35 mil milhões de Patacas) caíram 31,2% e 25,4%, respectivamente, em termos anuais. A formação bruta de capital fixo cifrou-se em 80,70 milhões de Patacas, menos 46,5%, em termos anuais. Refira-se que 398 organismos em actividade se dedicaram ao ramo da informação, mais 12, em termos anuais e que o pessoal ao serviço era composto por 2.105 indivíduos, menos 8,4%. Durante o ano em análise as receitas dos serviços (1,50 mil milhões de Patacas) destes organismos e o VAB (700 milhões de Patacas) diminuíram 32,7% e 27,2%, respectivamente, em termos anuais.

As Estatísticas das Indústrias Culturais são realizadas pelo “Grupo de Estatística e Indicadores da Avaliação das Indústrias”, subordinado ao Conselho para as Indústrias Culturais da RAEM, com base no quadro destas estatísticas definido nos termos do disposto no “Quadro da Política do Desenvolvimento das Indústrias Culturais 2014 - 2019” da RAEM. A Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) efectuou em 2020 diversos inquéritos específicos sobre as quatro áreas - “Design criativo”, “Exposições e espectáculos culturais”, “Colecção de obras artísticas” e “Mídia digital”, integrou os dados obtidos dos inquéritos da DSEC aos ramos de actividade económica conexos e realizou o cálculo, a fim de reflectir a contribuição das indústrias culturais para a economia de Macau.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar