Serviços de Saúde notificados de um caso de intoxicação por monóxido de carbono

QR Code

Os Serviços de Saúde foram notificados esta sexta-feira (8 de Fevereiro) para uma intoxicação por monóxido de carbono que ocorreu no dia 6 de Fevereiro, tendo procedido a uma investigação epidemiológica na fracção da ocorrência.

Os Serviços de Saúde apelam aos residentes para usarem os aparelhos de aquecimento correctamente, a fim de evitar as intoxicações por monóxido de carbono.

De acordo com a investigação, a fracção está localizada na Estrada da Areia Preta, tendo 2 crianças, residentes locais, com 5 e 6 anos, sido afectadas. Pelas 17:00 horas do dia 6 de Fevereiro, as duas crianças tomaram banho juntas, tendo sido encontradas inconscientes no chão 10 minutos depois. Os pais chamaram de imediato a polícia, tendo os bombeiros encaminhado as crianças para o CHCSJ para tratamento médico. Depois do teste laboratorial, a concentração de monóxido de carbono no sangue era respectivamente de 26,8% e 33,1%. Foi diagnosticado intoxicação por monóxido de carbono de nível moderado. Neste momento, as duas crianças encontram-se internadas e em estado de saúde estável.

Segundo informações disponibilizadas, a casa de banho está equipada com um esquentador de água a gás de petróleo que não está ligado a qualquer tubo de escape, daí o gás não poder sair quando se deu o incidente. A casa de banho só tem uma janela que não abre por completo, virada para um pátio, sem qualquer aparelho instalado para extracção do gás. Portanto, não havia qualquer ventilação quando a porta estava fechada.

Segundo o resultado do teste dos bombeiros, a concentração de monóxido de carbono era de 160PPM. Logo, suspeita-se que a intoxicação tenha sido provocada por gás residual num ambiente com má ventilação. O esquentador de água a gás em causa já foi desmontado pelo dono da fracção.

O monóxido de carbono é um gás carbonoso e produto da combustão incompleta. Após a inalação do monóxido de carbono, o mesmo combina-se com a hemoglobina no corpo humano e causa a perda da sua capacidade de transportar oxigénio, o que resulta na intoxicação por monóxido de carbono. Os sintomas leves são tontura, náusea, vómito e, os sintomas graves, são coma, e até morte. Os Serviços de Saúde salientam que todos os fogões de combustível devem ser utilizados em condição de boa ventilação, caso contrário, é facilmente provocar a intoxicação de monóxido de carbono.

Os Serviços de Saúde recomendam que os cidadãos devem prestar atenção às seguintes medidas da prevenção:

  1. Assegurar que o tubo de exaustão do esquentador deve ser instalado até ao exterior da casa, mantendo a existência em quantidade suficiente de ar fresco no interior do local destinado à instalação do aparelho;
  2. Seleccionar, instalar e utilizar correctamente o esquentador a gás:
    1. Escolher e usar equipamentos de água quente dotados de maior grau de segurança: a primeira escolha deve ser um esquentador do tipo compacto; a segunda escolha deve ser o esquentador do tipo chaminé; De um modo geral não devem ser usados esquentadores sem chaminé;
    2. Instalar o aparelho no lugar adequado: o esquentador destinado ao uso no exterior ou ao ar livre não deve ser instalado no interior da casa ou no terraço; o esquentador de tipo chaminé não deve ser instalado na casa de banho;
    3. Instalar correctamente: o esquentador deve ser instalado por pessoal técnico qualificado, especialmente o tubo de exaustão do aparelho deve ser devidamente instalado para o exterior da casa;
    4. Utilizar e reparar correctamente: deve ser garantido o desbloqueio entre o tubo de admissão e o tubo de exaustão e deve ser assegurada a ventilação na abertura; ao utilizar o esquentador de tipo não selado, a ventilação deve ser garantida em volta do respectivo aparelho. Quando o esquentador de tipo compacto seja instalado no terraço os residentes devem, também, evitar a acumulação de muitas roupas ou outros materiais no terraço ou devem prestar atenção ao pó acumulado nas janelas de tela, o qual pode afectar a boa ventilação, por outro lado, as janelas e as portas devem ser fechadas para evitar que o gás volte a entre em casa.
  3. Evitar as hipóteses da produção da intoxicação por monóxido de carbono:
    1. Em qualquer local sem ventilação, é proibido cozinhar com fogo aberto, ferver água, realizar churrasco, aquecimento ou iluminação, ou também não devem ser utilizados aparelhos a gás, os fogões, ou proceder à queima de carvão e lenha.
    2. No parque de estacionamento e no campo de manutenção de veículo sem ventilação, não se procedem a actuação permanente do motor do veículo e do gerador de combustível.
  4. Instalar um alarme detector de monóxido de carbono no lugar onde se encontre o risco da produção da intoxicação por monóxido de carbono.

Em caso de ocorrência de acidente ou em caso de intoxicação por monóxido de carbono, os cidadãos devem:

  1. Manter a calma;
  2. Sair rapidamente, dirigir-se ao local de boa ventilação (ou apoiar a pessoa intoxicada ao local de boa ventilação e ajudando-a a desapertar a roupa, permitindo que a pessoa, intoxicada, fica mais confortável);
  3. Recorrer o mais rápido possível ao médico ou à linha de emergência para o apoio.

As dicas para “Prevenção de Envenenamento por Monóxido de Carbono” podem ser consultadas ou descarregadas na página electrónica dos Serviços de Saúde à Coluna de informações à Informação sobre o registo e a prevenção de lesões à Instrução dos Serviços de Saúde, http://www.ssm.gov.mo/portal/InjureRegPrevent/ch/main.aspx

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar