Serviços de Saúde: Prioridade de vacinação para quem não tenha imunidade contra a Rubéola mas resida com grávidas

Dado as situações epidémicas de Rubéola em regiões vizinhas, houve um aumento de casos recentes de Rubéola em Macau, mas a maioria dos casos registados possuem historial de viagem. Portanto, a transmissão em Macau é apenas limitada, não há uma transmissão generalizada.

Considerando a infecção de grávidas sem imunidade contra a Rubéola, é possível o recém-nascido vir sofrer de grave síndrome congénita da Rubóela (congenital rubella syndrome, CRS).

Neste sentido, os Serviços de Saúde lançaram uma nova medida para grávidas sem anticorpos contra a Rubéola, abrindo um novo canal de marcação que permitirá dar prioridade à inoculação da vacina tríplice (MMR) a quem viva com grávidas e não tenha imunidade. Os registados bem-sucedidos poderão receber uma avaliação e a vacinação rapidamente nos centros de saúde no dia 16 de Abril.

No início da década de 1990, a RAEM começou a administrar a vacina tríplice às crianças e, em 2001, também a vacina tríplice (MMR) a mulheres em idade fértil. Segundo informações disponíveis, as mulheres vacinas com a vacina tríplice podem ser consideradas como tendo imunidade contra a rubéola. De acordo com os dados de monitorização serológica da população de Macau, pelo menos 80% das grávidas têm imunidade contra a Rubéola.

As grávidas realização o exame pré-natal nos centros ou postos de saúde podem observar o teste de anticorpos contra a Rubéola no Boletim de Saúde de Grávidas, designado de Vírus de Rubéola–IgG/Anti-Rub-IgG. Se o teste for “positivo” ou “Pos.” , significa que está imune contra a Rubéola, ser for “Negative”, significa que não tem imunidade contra a Rubeóla.

Como as grávidas não podem ser vacinadas contra a Rubéola, os Serviços de Saúde criaram um novo canal de marcação, dando prioridade à inoculação da vacina tríplice (MMR) a quem resida com grávidas e não tenha imunidade, a fim de proteger grávidas que não estão imune. Cada grávida pode registar no máximo até duas pessoas com quem resida para vacinação prioritária.

O vacinado deve ter nascido em ou após 1970, não ter sido infectado com Rubéola, nem ter sido vacinado (incluindo empregados domésticos estrangeiros que nasceram em ou após 1970). Os interessados podem fazer uma prévia marcação Online na página electrónica dos Serviços de Saúde (https://www.ssm.gov.mo/mmrrs), telefonar ou dirigir-se aos centros de saúde. Após registo bem-sucedido, devem comparecer no centro de saúde para inscrição no dia marcado. A vacinação só pode ser dada após avaliação por pessoal médico para confirmação de que cumpre as condições para inoculação.

Além disso, os vacinados cuja marcação foi feita através do canal prioritário devem apresentar o Boletim de Saúde de Grávida e uma declaração assinada pela própria grávida a declarar que estes residem com ela. Os vacinados devem também exibir o documento de identidade, o documento comprovativo de trabalho (para empregados domésticos estrangeiros), o próprio Boletim Individual de Vacinações (conhecido com o livro de vacinas, se tiver) e o cartão de utente (conhecido como cartão dourado). A vacinação é gratuita para os residentes de Macau que cumpram as condições de vacinação, sendo o custo para os empregados domésticos estrangeiros de 50 patacas.

Tendo em conta que a situação actual da Rubéola em Macau é mais grave do que em anos anteriores e o elevado número de turistas de todo o mundo, os Serviços de Saúde recomendam que as grávidas evitem ir para áreas de maior prevalência de Rubéola e para locais lotados com má ventilação.

De forma a prevenir a infecção da rubéola, os Serviços de Saúde recomendam as seguintes medidas ao público:

  1. A inoculação da vacina tríplice (MMR) é a maneira mais eficaz de prevenir o vírus da Rubéola, mais de 95% dos vacinados podem produzir anticorpos.Os Serviços de Saúde apelam aos pais para o cumprimento do Programa de Vacinação, devendo os residentes com idades compreendidas entre um (1) e os 17 anos cumprir o Programa de Vacinação dos Serviços de Saúde. Após um (1) ano de idade e depois da primeira dose, deve ser administrada a 2.ª dose da vacina MMR.Os indivíduos residentes de Macau que ainda não tenham sido vacinados podem recorrer aos centros de saúde para administração da vacina gratuitamente.As mulheres em idade fértil que não tenham tido rubéola, ou não tenham sido vacinadas contra rubéola, devem deslocar-se ao Centro de Saúde para lhes ser administrada a vacina, sendo esta gratuita para os residentes de Macau.
  2. Dado que a vacina MMR é uma vacina viva, as mulheres grávidas não podem ser vacinadas, e as mulheres em idade fértil devem evitar engravidar durante três meses após a vacinação. Mulheres grávidas ou com intenção de engravidar sem imunidade contra Rubéola não são aconselhadas a viajar a zonas afectadas pela Rubéola;
  3. Não viajar com crianças que não tenham completa imunidade para viajar ao exterior ou para lugares lotados com visitantes;
  4. Determinadas pessoas devem ser vacinas quando necessário, em especial cuidadores de gestantes;
  5. Prestar atenção à cortesia do tracto respiratório, não tocar nos olhos, nariz e boca antes de lavar as mãos;
  6. Pessoas imuno-comprometidas devem evitar deslocar-se a locais lotados ou instituições médicas;
  7. Em caso de manifestação de sintomas suspeitos, usar máscara e recorrer a uma consulta médica.

Em caso de dúvidas, os residentes podem aceder à página electrónica dos Serviços de Saúde (http://www.ssm.gov.mo) ou ligar para a linha verde 2870 0800.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar