Serviços de Saúde: Programa de Rastreio identifica 65 cancros colorretal – pessoas nascidas entre 1950 e 1964 devem marcar uma consulta o mais breve possível

No dia 18 de Novembro de 2016 os Serviços de Saúde lançaram o “Programa de Rastreio do Cancro Colorrectal” destinado a residentes que cumpram os requisitos e tenham entre 60 e 69 anos de idade. Até ao final do passado mês de Abril cerca de 12.000 residentes marcaram uma consulta para serem avaliados e 10.498 pessoas foram encaminhadas para o programa.

Os participantes foram sujeitos a um exame para verificação da existência ou não de sangue oculto nas fezes, tendo 1.472 indivíduos obtido um resultado positivo. De acordo com o estabelecido no “Programa do Rastreio do Cancro Colorectal”, estas pessoas foram encaminhadas para a realização de uma colonoscopia em organismos de saúde privados. Dos 1.167 indivíduos que fizeram a colonoscopia, 65 indivíduos foram diagnosticados com cancro colorretal. Na maioria dos casos foi detectada a existência de um carcinoma precoce. Em cerca de 800 indivíduos foram detectados pólipos benignos nas mucosas do intestino grosso.

As pessoas nascidas entre 1950 e 1964 e que não tenham, nos últimos dois anos, participado em nenhum rastreio, ou nos últimos cinco anos realizado uma colonoscopia podem increver-se numa consulta para verificar a elegibilidade de particpação no no “Programa do Rastreio do Cancro Colorectal

A partir de 10 de Maio de 2019, quinta-feira, os residentes de Macau que reúnam as condições abaixo indicadas podem fazer a marcação“Online”para realização do exame, através da página electrónica do rastreio do cancro colo-rectal (www.ssm.gov.mo/coloncancer) ou dirigir-se ao centro de saúde de residência para marcação de consulta nos serviços de aconselhamento. As informações sobre o Programa do Rastreio do Cancro Colo-Rectal estão disponíveis na página electrónica (www.ssm.gov.mo/coloncancer) ou podem ser obtidas através do número telefónico 6551 3653 durante o horário de expediente.

As condições para participação do programa são as seguintes:

1. Sejam titulares do BIR válido de Macau (permanente ou não permanente);

2. Os nascidos entre 1950 e 1964;

3. Não tenham realizado nenhuma colonoscopia nos últimos cinco (5) anos;

4. Não tenham realizado nenhum exame de sangue oculto nas fezes nos últimos dois (2) anos;

5. Não tenham sofrido ou sofrem de cancro colo-rectal.

COMO PREVENIR?

O cancro colorectal é uma das doenças mais comuns em Macau, está classificada entre as primeiras dez doenças oncológicas de maior incidência e a sua mortalidade ocupa o segundo lugar no ranking do território. Devido a factores como envelhecimento da população e a falta de uma alimentação equilibrada tem-se verificado um aumento contínuo de casos do cancro colo-rectal. Qualquer pessoa pode ser afectada pelo cancro colo-rectal, no entanto as pessoas acima dos 60 anos possuem maior risco de virem a sofrer deste tipo de cancro. Até os pólipos das mucosas do intestino grosso se transformarem em cancro, podem decorrer cerca de 10 anos, no entanto, a prática de um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada, exercício físico regular e realização periódica de exames pode prevenir a ocorrência do cancro colo-rectal.

Para prevenir o cancro colo-rectal, o mais importante é desenvolver hábitos de vida saudáveis, incluindo: 1) Comer alimentos ricos em fibras, frescos e naturais, tais como, cereais integrais, frutas e legumes, comer menos alimentos processados, como alimentos enlatados, salsichas, bacon, etc.; 2) Reduzir o consumo de carne vermelha, como porco, vaca, borrego, etc., devendo, os adultos, ingerir menos de 500 gramas de carne vermelha por semana; 3) Manter o peso corporal ideal e praticar mais exercício físico, um total de 150 minutos de exercício moderado por semana, isto é, pelo menos, trinta minutos de actividade física por dia, por exemplo: caminhar, fazer jogging ou dançar, etc.; 4) Não fumar, nem consumir álcool; 5) Submeter-se regularmente ao exame de sangue oculto nas fezes ou colonoscopia de acordo com recomendações de profissionais de saúde; 6) Recorrer ao médico o mais rápido possível ser for verificado sangue nas fezes ou alterações no hábito de defecação.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar