Reunião plenária do Conselho para os Assuntos Médicos com presença de 38 representantes de associações médicas e instituições académicas e estudantes

1) Dr. Lei Chin Ion presidiu a reunião plenária do Conselho para os Assuntos Médicos;

Decorreu quinta-feira, 27 de Junho, a reunião plenária do Conselho para os Assuntos Médicos presidida pelo Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, e onde foram abordados assuntos relativos aos exames de qualificação dos médicos da medicina tradicional chinesa sobre proposta da Lei “Regime Legal da Qualificação e Inscrição para o exercício da actividade dos Profissionais de Saúde”, incluindo a discussão e auscultação de opiniões. Foi ainda exposto o resultado da visita de jovens médicos da medicina tradiicinal chinesa de Macau às instituições de medicina tradicional chinesa na Grande Baía e o progresso sobre a admissão de académicos pelo Conselho da Qualidade de Membros da Academia Médica de Macau. A reunião contou com a presença de 38 representantes provenientes de 33 associações médicas e instituições académicas.

Para o Dr. Lei Chin Ion a visita realizada de 10 a 12 do mês de Junho permitiu ajudar os jovens médicos da medicina tradicional chineses a compreender as oportunidades de desenvolvimento na Grande Baía de Guangdong, Hong Kong e Macau. Os 34 jovens médicos visitaram instituições da medicina chinesa nas cidades Zhuhai, Guangzhou e Zhongshan nomeadamente, o Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação Guangdong-Macau, o Hospital de Medicina Tradicional Chinesa da Província de Cantão (Guangdong), a Academia de Medicina Tradicional Chinesa da Província de Guangdong, Kangmei Pharmaceutical Co., Ltd., o Hospital de Medicina Tradicional Chinesa da Cidade de Zhongshan, também fazendo intercâmbios com Xu Qingfeng, Subdirector da Comissão Nacional de Saúde de Guangdong e o Director da Administração de Medicina Tradicional Chinesa da Província de Cantão (Guangdong),, Xu Qingfen.

O Director da Administração de Medicina Tradicional Chinesa da Província de Cantão (Guangdong), Xu Qingfen encorajou os jovens médicos chineses, em Macau, a aproveitar as oportunidades de desenvolvimento da Grande Baía e manifestou também a sua disponibilidade para apoiar jovens médicos chineses em Macau e terá todo o prazer em proporcionar-lhes oportunidades para estudos e estágios necessários.

Através desta visita, os jovens médicos de medicina tradicional chinesa em Macau tiveram uma profunda compreensão da actual situação do desenvolvimento da medicina tradicional chinesa na Província de Cantão (Guangdong). Também foram convidadas três jovens médicas de medicina tradicional chinesa a relatar a experiencia da viagem.

O Dr. Lei Chin Ion pretende que haja mais oportunidades de interacção e intercâmbio de forma a ajudar jovens médicos de medicina tradicional chinesa a integrarem o desenvolvimento da Grande Baía para criar plataformas e condições.

A reunião do Conselho de Assuntos Médicos permitiu, ainda, analisar a linguagem a usar nos exames de qualificação profissional dos médicos da medicina tradicional chinesa. Os membros tiveram diferentes opiniões sobre o idioma do exame. Já que o idioma das quinze categorias das profissões constantes da proposta da lei é língua chinesa e portuguesa e perante a consideração de alguns candidatos com domínio de outras línguas por motivo de frequência de curso nos outros países, o idioma Inglês também deveria estar disponível no exame. No entanto, a medicina tradicional chinesa é originária da China, são muito profissionais os livros clássicos da medicina tradicional chinesa redigidos pela língua mais antiga, os meridanos energéticos e a fitoterapia chinesa e entre outros. Consideram-se que é difícil usar a língua portuguesa em operação prática, especialmente, a tradução dos termos técnicos profissionais ou dos nomes de medicamentos chineses é difícil de traduzir adequadamente, por isso, é considerado razoável usar a língua chinesa como a língua de exame. No entanto, algumas opiniões também indicaram que, uma vez que a língua oficial de Macau é o chinês e o português, se a língua portuguesa é excluída, esta não está em conformidade com a lei em vigor.

Finalmente, o consenso não foi alcançado e, portanto, a Secretaria do Conselho para os Assuntos Médicos resumirá as opiniões dos membros e irá submete-la à Assembleia Legislativa para servir da referência e realizar a discussão.

A Secretária-Geral, Leong Pui San, compartilhou e resumiu a actividade de visita dos jovens médicos da medicina tradicional chinesa de Macau às instituições de medicina tradicional chinesa na Grande Baía e introduziu a concepção preliminar do emprego e formação de jovens médicos de medicina tradicional chinesa de Macau na Grande Baía no futuro.

A Coordenadora da Academia Médica de Macau, Dr.a Lam Wan Leng, apresentou o progresso sobre a admissão de académicos pelo Conselho da Qualidade de Membros da Academia Médica de Macau.

Estiveram presentes nesta reunião, Chan Tai Ip, vice-Presidente do Conselho para os Assuntos Médicos, Lo Iek Long, Assessor do Gabinete do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura e demais membros: Chan Tai Ip,Kuok Cheong U, Chen Xin, Chan Kam Meng, Iong Weng Ian, Pun Chi Meng, U Kin Tong, Chan Weng Sai, Cheung Chun Wing, Cheung Hoi Sui, Fan Wong Iao Ha, Ho Son Fat,Ip Peng Kei, Kam Mei Kwan, Kong Su Kan, Kuok Chiu Fai, Kuok Cheong Nang, Kuok Chiu Fai, Lao Iek Wan, Lei Sut Leng, Lei Wai Seng, Lin Che Cheng, Linda Tran, Lo Chio Kam, Mário Alberto de Brito Lima Évora, Pa Ki Man, Paulo do Lago Comandante, Tin Kit Peng, Wong Cheng Wa, Wong Chon Kit, Yu Bun, Lei Sut Peng e Rui Pedro de Carvalho Peres do Amaral.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar