Compartilhar a oportunidade da Grande Baía e dinamizar a cooperação do Pan-Delta do Rio das Pérolas a um novo patamar

Reunião Conjunta das Lideranças Executivas de 2019, no âmbito da Cooperação Regional do Pan-delta do Rio das Pérolas, realizada em Nanning de Guangxi.

O secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, afirmou, hoje (6 de Setembro), na Reunião Conjunta das Lideranças Executivas de 2019, no contexto da Cooperação Regional do Pan-Delta do Rio das Pérolas, realizada em Nanning da província de Guangxi, que o governo de Macau vai continuar a partilhar as oportunidades oriundas da construção da Grande Baía, através da inovação institucional e do desenvolvimento coordenado para que a cooperação regional do Pan-Delta do Rio das Pérolas seja cada vez mais frutíferos e alcançe um novo patamar.

Na Reunião Lionel Leong proferiu uma intervenção intitulada: “Promover o desenvolvimento integrado do sector de serviços modernizados (logística, ciência e tecnologia, educação, cultura, saúde e turismo) do Pan-Delta do Rio das Pérolas e da Grande Baía de Guangdong, Hong Kong e Macau.”

O secretário indicou que com o forte apoio do Governo Central e das províncias-irmãs, a RAEM procura acelerar com empenho o seu desenvolvimento sócio-económico assim como melhorar o bem-estar da população, para além de maximizar as próprias vantagens e a competitividade através da cooperação regional. Macau tem focado sempre as tarefas nos dois posicionamentos indicados pelo Governo Central, designadamente, o reforço contínuo das suas funções como “Centro Mundial de Turismo e Lazer” e “Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa”, articulando com a implementação do Plano de Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, dando grande importância à cooperação com as cidades integradas na Grande Baía e com as províncias-irmãs do Pan-Delta do Rio das Pérolas no sentido de articular o desenvolvimento de Macau ao crescimento nacional.

Acresentou que Macau vai continuar a promover a cooperação turística com as províncias-irmãs do Pan Delta do Rio das Pérolas, construindo uma base na área da formação turística destinada a servir a Grande Baía e o Pan Delta do Rio das Pérolas, bem como, combinar os recursos turísticos para enriquecer os itinerários «multi-destinos» e desenvolver novos produtos turísticos e itinerários no âmbito de “ Uma Faixa, Uma Rota”, e explorando activamente novos métodos de cooperação regional. Além disso, tendo em conta a sugestão de assinar de novo um protocolo de cooperação de defesa dos direitos de consumidores, no contexto do Pan Delta do Rio das Pérolas, Macau está disponível para servir como plataforma entre as entidades envolvidas do Pan-Delta do Rio da Pérolas e de Portugal, para tratar dos conflitos dos residentes do Pan-Delta que se deslocam ao estrangeiro.

Disse ainda que Macau atribue grande importância ao seu papel de plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e promove com as províncias-irmãs do Pan-Delta do Rio das Pérolas, a expansão do mercado nos países de língua portuguesa nos domínios da economia, comércio, convenções e exposições e medicina tradicional chinesa. Ao mesmo tempo, com a realização de grandes eventos no sector das convenções e exposições em Macau, edifica uma plataforma de cooperação entre as províncias do Pan-Delta do Rio das Pérolas e os países do percurso da “Uma Faixa, Uma Rota” e os países lusófonos nas áreas de proteção ambiental, infra-estruturas e da indústria financeira,entre outras.

O secretário relembrou que o “Plano de Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”, publicado em Fevereiro do corrente ano, requer claramente de Macau a criação de uma “Base de intercâmbio e cooperação que, tendo a cultura chinesa como a predominante, promova a coexistência de diversas culturas”. Deste modo, com base no multiculturalismo harmonioso e inclusivo de Macau e do intercâmbio e da coexistência de culturas do Oriente e do Ocidente, Macau deve aproveitar as suas vantagnes de manter uma estreita ligação com os países de língua portuguesa, do Sudeste Asiático, da União Europeia e com as organizações internacionais e o vasto número de chineses ultramarinos, para maximizar o seu papel único na promoção do intercâmbio cultural entre o Oriente e o Ocidente e do conhecimento entre as civilizações, tal como, promover a cultura chinesa em conjunto com as províncias do Pan Delta do Rio das Pérolas detentoras de uma herança cultural preciosa.

A criação de um centro internacional de inovação tecnológica também faz parte das prioridades estratégicas da construção da Grande Baía. Lionel Leong indicou que, para além de participar activamente na construção do centro internacional de inovação tecnológica, Macau vai aproveitar as suas próprias vantagens, especialmente os quatro laboratórios de referência do Estado, o Parque Industrial de Medicina Tradicional Chinesa no âmbito da cooperação entre Guangdong-Macau e o porto franco, a fim de promover conjuntamente com as províncias-irmãs do Pan-Delta a cooperação e inovação tecnológica, designadamente, na vertente de uma cidade inteligente, mega-dados e da medicina tradicional chinesa, no sentido de elevar a eficiência da cooperação nos campos da ciência e tecnologia.

Durante o evento, os responsáveis das Regiões Administrativas Especiais e das províncias da Pan-delta do Rio das Pérolas assinaram ainda a acta da Reunião Conjunta das Lideranças Executivas de 2019.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar