Conferência temática “Integração de Medicina Tradicional no sistema de saúde e preservação de saúde”, organizada pela OMS, realizada hoje em Macau

Presença de muitos especialistas e peritos da área da saúde e da medicina tradicional na conferência “Integração de medicina tradicional no sistema de saúde e preservação de saúde”

Com o intuito de todos os países promoverem a integração da medicina tradicional no sistema de prestação dos serviços de cuidados de saúde e de protecção da saúde, teve lugar, hoje (6 de Novembro), em Macau, a conferência temática “Integração da medicina tradicional no sistema de saúde e nos serviços de preservação de saúde”, organizada pela Organização Mundial de Saúde (doravante designada por OMS), realizada e financiada pelos Serviços de Saúde, com a colaboração do Centro de Cooperação dos Medicamentos Tradicionais.

A cerimónia do início da conferência foi presidida pelo director dos Serviços de Saúde e contou com a participação de funcionários e consultores da OMS e 33 gestores, formuladores de políticas, especialistas e académicos da área da saúde e da área da medicina tradicional, provenientes de mais de 20 países e regiões.

A Directora do Centro de Cooperação dos Medicamentos Tradicionais da Organização Mundial de Saúde, Dr.aLi Yachan,aludiu no seu discurso que o Governo da RAEM sempre atribuiu grande importância à aplicação da medicina tradicional nos subsistemas dos Serviços de Saúde, tendo-a integrado no sistema de cuidados de saúde e de preservação de saúde e, ao mesmo tempo, procedido à gradual melhoria de leis e de diplomas legais relacionados com a medicina chinesa e à criação de um sistema de supervisão para os serviços médicos da medicina tradicional chinesa. Foram também introduzidas melhorias no regime de avaliação de registo de produtos farmacêuticos e ao desenvolvimento da formação de pessoal, e melhoradas constantemente a capacidade de atendimento e a cobertura da medicina tradicional chinesa, para garantir as necessidades médicas e a saúde do público.

O Centro de Cooperação dos Medicamentos Tradicionais da Organização Mundial de Saúde continuará a apoiar os trabalhos sobre o desenvolvimento e a integração da medicina tradicional promovidos pela OMS, a reforçar intercâmbios e a cooperação com outros países. Com a realização desta conferência, o Governo da RAEM estabeleceu uma plataforma internacional de intercâmbio e cooperação para especialistas e peritos de todos os países, a fim de intensificar a colaboração e intercâmbio na área da medicina tradicional, com todos os países, em especial os países que fazem parte do projecto “Uma Faixa, uma Roda”; e conjuntamente com os gestores de saúde e especialistas em medicina tradicional, prestar apoio à OMS na promoção da integração da medicina tradicional nos sistemas de saúde e nos serviços de saúde para atingir o objectivo de “Saúde para Todos” da OMS.

O funcionário responsável pelo projecto, Aditi Bana, e representante da OMS, aludiu no seu discurso que a integração da medicina tradicional no sistema de cuidados de saúde primários pode contribuir para alcançar a cobertura universal de saúde por todo o mundo e os objectivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

A conferência terá a duração de três dias, tendo administradores de saúde, formuladores de políticas e especialistas de supervisão de serviços do sector de medicina tradicional, provenientes dos Estados Membros da OMS e de diferentes regiões, abordado e discutido aprofundadamente a temática “Integração da Medicina Tradicional no Sistema de Saúde e no Preservação de Saúde”, incluindo o desenho, os elementos e as normas do modelo de integração, que permitirão aos países ter como referência e avaliação na sua integração da medicina tradicional no sistema de saúde e preservação de saúde, partilhar experiências, realizações e dificuldades enfrentadas. Através desta conferência, a OMS espera ajudar os países membros na integração adequada e oportuna da medicina tradicional no seu sistema de saúde e preservação de saúde.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar