Promoção da formação profissional “Trabalho Sim, Caridade Não”

Fiscalização do pessoal da DSAL durante as entrevistas e os testes de técnicas.

Devido ao impacto da epidemia em Macau, alguns residentes encontram-se com dificuldades de emprego, pelo que a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) irá promover o plano de formação profissional “Trabalho Sim, Caridade Não”, prestando serviços de orientação profissional, tendo como objectivo elevar as técnicas dos trabalhadores, a fim de adquirirem e dominarem aptidões profissionais mais actualizadas e em articulação com a colocação profissional, contribuindo assim para a ascensão profissional e mobilidade horizontal.

A DSAL garante a continuidade e prioridade do emprego aos residentes de Macau por vários meios, tendo prestado activamente aos trabalhadores diferentes serviços de apoio ao emprego, tais como colocação profissional, conjugação de emprego e entrevistas. Para os sectores obviamente mais afectados, como trabalhadores do sector da construção, guias turísticos e motoristas profissionais, a DSAL está a empenhar-se na prestação de apoio, esperando que possam integrar-se no mercado de trabalho o mais rápido possível e aliviar as pressões de sobrevivência.

204 trabalhadores da construção foram contratados com sucesso e estão a ser organizadas de forma gradual entrevistas para 171 motoristas profissionais

Entre 17 de Fevereiro e 2 de Março, a DSAL prestou apoio contínuo aos trabalhadores da área da construção, guias turísticos e motoristas profissionais para a conjugação de emprego e colocação profissional, tendo enviado pessoal para fiscalizar in loco no decurso das entrevistas e dos testes de técnicas.

Ao longo desse período, um total de 1 066 candidatos foram colocados, dos quais, 344 participaram nas entrevistas e 204 foram contratados com sucesso, sendo que 36 deles eram trabalhadores do sector da construção que efectuaram o registo de emprego por comparência na DSAL em 24 de Fevereiro. Os casos que não conseguiram a conjugação de emprego foi devido à falta de interesse por parte do candidato, impossibilidade de contacto, por estarem inaptos ou por insatisfação dos padrões de aptidão.

Além disso, dos 1 066 candidatos que foram colocados, 171 eram motoristas profissionais, que a DSAL tem encaminhado para empresas relevantes e está a organizar de forma gradual as entrevistas.

Aqueles que não foram contratados podem inscrever-se na formação com alvo definido para aumentar a oportunidade de serem contratados

Para os candidatos que não foram contratados devido a estarem inaptos ou por insatisfação dos padrões de aptidão durante a entrevista, a DSAL irá prestar para este grupo de pessoas formação com alvo definido, esperando que assim se permita elevar as suas técnicas num curto período, de modo a aumentar as oportunidades de serem contratados pelas empresas.

A DSAL empenha-se sempre em responder às solicitações dos trabalhadores prestando serviços de apoio, tendo dado assistência atempada a pessoas interessadas na procura ou mudança de emprego através da realização de conjugação de emprego ou entrevistas e tendo obtido resultados eficientes.

O Governo da Região Administrativa Especial de Macau atribui grande importância à situação de emprego dos residentes de Macau e à evolução do mercado de trabalho, continuando a prestar serviços de apoio aos residentes com necessidade de emprego, mantendo uma boa comunicação com as empresas, proporcionando conjugação de emprego adequada e equilibrada com a oferta e a procura de recursos humanos.

Para construir ou manter as relações de trabalho harmoniosas e estáveis, o esforço conjunto dos empregadores, trabalhadores e Governo é particularmente importante. Portanto, a DSAL apela a que, consoante a evolução do estado socioeconómico, as pessoas com dificuldades de emprego ajustem adequadamente o seu comportamento perante o trabalho como a preparação para a colocação profissional realizada pela DSAL, num esforço conjunto para suavizar as dificuldades de emprego.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar