Governo freta avião para trazer residentes retidos em Hubei


De acordo com o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus o governo da RAEM irá, amanhã (7 de Março), enviar um voo fretado até ao Aeroporto Internacional de Tianhe, em Wuhan na província de Hubei, onde está previsto trazer 59 residentes de Macau que se encontram retidos. As autoridades estão confiantes na sua capacidade e possuem medidas suficientes para responder às exigências dos eventuais riscos desta operação.

Após uma comunicação estreita com os diversos serviços envolvidos e avaliada a situação o governo decidiu que iria fretar um avião para trazer de Hubei os residentes de Macau. De acordo com as autoridades, antes de embarcarem, irão preencher um inquérito de avaliação como também terão de confirmar que não estiveram em contacto próximo com pessoas infectadas com COVID-19, nos últimos 14 dias, ou que não se deslocaram a nenhum hospital, assim como irão realizar vários exames médicos.

Os 59 residentes de Macau, integrados em 32 agregados familiares, nos quais se incluem 19 menores e dois idosos, deslocaram-se pelos seus próprios meios até ao aeroporto, nomeadamente, de Wuhan, Xiaogan, Xiaocheng, Huanggang, Xianning, Suizhou, Xiangyang, Enshi, Yichang, Huangshi, Shiyan e Jingzhou.

Estarão a bordo (1) um médico do Hospital Conde São Januário, (3) enfermeiros, (2) dois médicos do Centro de Controlo de Doenças Infecto-contagiosas, (6) seis profissionais dos Serviços de Saúde, (2) dois funcionários da Direcção dos Serviços de Turismo, (7) sete elementos de tripulação, incluindo, (2) dois pilotos da Air Macau, (4) quatro assistentes de bordo e (1) um engenheiro de aviação civil. Toda a operação teve em consideração minimizar o risco e proteger a segurança dos profissionais envolvidos.

O governo adoptou medidas de segurança adequadas no sentido de reduzir o risco, tanto dos passageiros, da tripulação como dos funcionários responsáveis pelas bagagens.

Cada residente receberá um kit que inclui uma máscara, um fato de protecção descartável, um par de luvas e fraldas. Todos os passageiros serão submetidos a exames médicos e distribuídos juntamente com os respectivos agregados familiares, nos seus lugares de classe económica, dentro do avião, de acordo com o grau de risco avaliado pelos profissionais de saúde presentes. Durante toda a viagem não será permitida a retirada das máscaras, comer e beber e ir à casa de banho.

Se alguns passageiros exibirem sintomas, após a chegada a Macau, serão transportados directamente do aeroporto para o hospital a fim de realizarem os devidos exames e o respectivo isolamento. Caso não apresentem sintomas serão transportados de imediato para o Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane para observação e isolamento, durante um período dos 14 dias, onde serão ainda sujeitos, três vezes, a testes do novo coronavírus, respectivamente, a primeira será realizada no dia 8 de Março, e as últimas duas nas 48 horas antes de terminar o isolamento, além disso, caso surjam quaisquer sintomas durante esse período, os testes serão realizados de imediato.

Tanto os elementos da tripulação, pessoal da área da saúde e os funcionários da Direcção dos Serviços de Turismo (DST) utilizam diferentes acessos de entrada e saída do avião e estarão equipados com a máscara N95, protector facial, óculos de protecção, fatos de protecção descartável à prova de água e luvas. Após a chegada a Wuhan, as assistentes de bordo permanecem na cabine, os pilotos e o engenheiro permanecem no Cockpit.

Regressados a Macau, a tripulação e os funcionários da DST serão transportados para o Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane onde serão submetidos a uma acção de desinfecção e transferidos em seguida para a Pousada Marina Infante a fim de cumprirem um isolamento de 14 dias.

O pessoal da área da saúde, que ocupará os assentos na classe executiva, após o regresso a Macau, serão igualmente transportados de imediato para o Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane para cumprir com a devida acção de desinfecção. Os mesmos estarão ainda sujeitos a vigilância médica, durante um período de 14 dias, não podendo reunir com outras pessoas sem o uso de máscara, em qualquer situação, sendo que se for considerado necessário poderão permanecer no Alojamento dos Trabalhadores de Emergência de Saúde Pública.

Os funcionários responsáveis pelo transporte das bagagens foram sujeitos a formação e a orientação por parte do pessoal dos Serviços de Saúde. À chegada as bagagens serão transportadas para o Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane.

De acordo com o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus o governo tem a responsabilidade de auxiliar os residentes de Macau, embora esta seja uma operação de risco, o que demonstra não só a confiança das autoridades como também a sua capacidade de resposta através das medidas tomadas para enfrentar a situação.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar