Epidemia global é grave.  Apela-se aos residentes para não viajar excepto se for mesmo necessário

Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou a situação pandémica e apela à população para não relaxar e não viajar a menos que seja necessário.

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, afirmou hoje em conferência de imprensa que a Organização Mundial de Saúde anunciou, durante a madrugada em Macau, que o novo tipo de coronavírus passou a ser uma pandemia. Isto mostra que a doença é grave e difícil de controlar. Tendo apresentado aos jornalistas o o grau de prevalência das doenças transmissíveis, os três critérios principais para a determinação da “pandemia global ” e a "doença pandémica" identificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O Dr. Lei Chin Ion referiu, ainda, que o número de casos a nível global aumentou acentuadamente nas últimas duas semanas, prevendo-se que nas próximas semanas possam aumentar o número de casos confirmados de doentes e casos mortais. Embora a epidemia no Interior da China esteja atenuada, a doença espalhou-se a nível mundial, com casos em 114 países. Coreia do Sul, Itália e Irão adicionaram mais ou cerca de 10 mil novos casos em menos de um mês, a epidemia é também grave em vários países da Europa, por isso, as pessoas devem preparar-se para o pior, devem estar preparados para combater as doenças infeciosas.

O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, referiu que foram registados 10 casos em Macau entre finais de Janeiro e início de Fevereiro. Desde então, a situação epidémica foi controlada e, não houve novos casos confirmados nos últimos 37 dias. No entanto, em termos de pandemia e de epidemias tão graves nas regiões vizinhas, as ameaças a Macau são também muito graves. O Governo já decidiu que as pessoas que estiveram na Coreia do Sul, Itália, Irão, Alemanha, França, Espanha ou Japão, 14 dias antes de entrada, independentemente de serem residentes de Macau, devem receber 14 dias de observação médica no local designado, a pedido das autoridades de saúde. A partir do meio-dia de hoje, as pessoas que estiveram na Noruega nos 14 dias anteriores à entrada devem ser submetidas a exames médicos, enquanto as de outros países europeus devem tomar as medidas adequadas de acordo com o desenvolvimento da epidemia. O Governo da RAEM vai dar o seu melhor para conter e detectar todos os casos, mas além dos países mencionados está a verificar-se que a situação epidémica nas regiões vizinhas como Singapura, Malásia e Hong Kong, entre outros, está a tornar-se cada vez mais grave.

Está ainda a verificar-se que alguns residentes do Interior da China que estiveram a visitar outros países ou regiões, após o regresso foi-lhes diagnosticado a doença. Em Macau, não está excluída a ocorrência de novos casos importados ou até casos locais. Apela-se aos residentes para que não relaxem, e recomenda-se à população para qye suspenda viagens não essenciais a qualquer local, incluindo a deslocação a países com poucos casos relatados.

O Governo da RAEM vai tomar uma série de medidas de prevenção e tratamento de doenças transmissíveis, incluindo detecção, teste, tratamento, isolamento, rastreamento, para tornar o trabalho, ainda mais meticuloso e rigoroso, ao mesmo tempo, exigindo ainda a colaboração dos residentes, fazendo a declaração de saúde, prestar atenção à higiene pessoal.

O Director Lei Chin Ion salientou que a inclusão de determinados países ou regiões na lista de regiões de alta incidência exige uma análise abrangente. Não se pode ponderar apenas o número de casos confirmados, mas também deve ser considerada a população nacional e regional, a taxa de aumento de casos confirmados e as medidas locais de prevenção de epidemias, etc., não são ponderados aspectos políticos e económicos. Actualmente, estão a acompanhar de perto as informações mais recentes dos Estados Unidos da América e de Portugal, no entanto, o número actual de casos confirmados em Portugal não é muito elevado, mas não se exclui a possibilidade de integração na lista dos locais de alta incidência epidémica. O surto de doenças transmissíveis é difícil de prever e os Serviços de Saúde irão fiscalizar e acompanhar de perto a evolução da epidemia nessas regiões ou países, elaborando as respectivas medidas e anunciando atempadamente.

Com a realização de todas as medidas, a colaboração dos residentes é a mais importante, apela-se, mais uma vez, aos cidadãos para combatam, também a epidemia, não relaxem, persistam até ao final, evitem aglomeração, reduzam a saída, lembre-se de lavar as mãos, usar máscara e fazer bem a declaração de saúde sem esconder nada. O mesmo responsável apontou que o fornecimento global de máscaras é escasso e todas as máscaras são difíceis de encontrar, pelo que apela à população que valorize o uso da máscara.

O médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long anunciou que, nas últimas 24 horas, não foi registado em Macau qualquer novo caso confirmado pela infecção por Novo Tipo de Coronavírus (COVID-19). Actualmente, não há doentes internados na enfermaria de isolamento do CHSCJ. Nas últimas 24 horas, na Urgência Especial do CHCSJ foram registados dezassete (17) casos suspeitos que foram submetidos a exames, onze (11) deles já foram excluídos, e os restantes seis (6) casos estão com resultado pendente. Vinte e um (21) casos analisados no Hospital Kiang Wu foram submetidos à análise laboratorial, dos quais dezassete (17) foram excluídos e quatro (4) estão com resultado pendente. Foram analisadas pelo Laboratório de Saúde Pública 138 amostras. Foram avaliados 17 casos com baixo risco, nos Serviços de Urgência do CHCSJ e do Hospital Kiang Wu que foram enviados para análises.

Até às 14H00 do dia 12 de Março, tinham sido registados 2.140 casos suspeitos (incluindo os 10 casos confirmados). Em 2.118 casos foi excluída a infecção. Há doze (12) casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente. Foram acompanhados clinicamente 76 pessoas consideradas como casos de contacto próximo e 74 pessoas concluíram o isolamento preventivo.

Actualmente, 65 pessoas estão em isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane, incluindo 24 homens e 41 mulheres, dos quais, três (3) que estão em período de convalescença, com estado estável.

O 10.º caso confirmado e recuperado de Macau já completou a observação clínica hoje às 17:00 e pode voltar para casa onde irá realizar auto-gestão de saúde no domicílio.

57 residentes de Macau retirados de Hubei, sem febre, nem quaisquer sintomas do trato respiratório.

Três (3) indivíduos de alto risco, dois residentes de Macau, que recentemente estiveram em Espanha e um residente que regressou a Macau vindo da Sérvia e tendo feita escala em Paris, o resultado dos seus primeiros testes de ácido nucleico foram negativos, após 48 horas, serão submetidos ao novo exame de ácido nucleico. Dois residentes, casal, de Macau que chegaram do Egipto, através de Hong Kong no mesmo voo com o doente confirmado de Hong Kong vão ficar em observação médica durante 14 dias. O primeiro teste de ácido nucleico destas duas pessoas foi negativo, actualmente não há sintomas de febre e de tracto respiratório.

A Coordenadora do Centro de Controlo de Doenças de Macau, Dr.ª Leong Iek Hou reportou que, nas últimas 24 horas, deram entrada na RAEM mais indivíduos que necessitam de receber 14 dias de observação médica dado terem estado em regiões de alta incidência 14 dias antes da entrada em Macau. Sete (7) pessoas regressaram a Macau e foram submetidos a observação médica, dos quais quatro (4) residentes de Macau regressaram do Japão, três (3) residentes de Macau regressaram de França, destes últimos dois (2) estiveram na França e na Alemanha.

Desde a implementação desta medida, entre o meio-dia do dia 26 de Fevereiro e a manhã do dia 12 de Março, 92 pessoas estão em observação médica, entre deles, 77 são residentes de Macau, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes da nacionalidade sul-coreana, quatro (4) turistas ou trabalhadores não residentes da nacionalidade italiana, um (1) trabalhador não residente da nacionalidade filipina, um (1) turista do Japão, quarto (4) turistas do Interior da China, um (1) turista de Hong Kong. N

56 residentes de Macau escolheram efectuar a observação no domicílio e 26 estão em local designado.

Dra. Leong Iek Hou anunciou que, o 6.º plano de fornecimento de máscaras irá começar sexta-feira, 13 de Março, e os procedimentos são iguais aos do 5º plano. O Governo garantiu o fornecimento suficiente de máscaras, os residentes devem evitar a aquisisão nos primeiros dois dias, de modo a evitar a espera por longo tempo.

O Chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da DSEJ, Wong Kin Mou manifestou que, conforme o estudo de situação epidemiológica do presente e o plano da avaliação de risco, as escolas do ensino não-superior podem retomar as aulas até ao dia 20 de Abril, e salientou que a autoridade não exclui o ajustamento do dia de regresso das aulas, em resposta aos desenvolvimentos de situação epidemiológica global e avaliação de casos.

A DSEJ está ainda a avaliar se arranja ou não estudantes dos diferentes níveis ou fases educativas para regressar às aulas em várias etapas, tendo considerado a capacidade de auto-gestão de crianças. Apela-se aos professores e estudantes que estão no Interior da China para que regressem a Macau o mais rápido possível, fazem as medidas de auto-gestão de saúde e preparação de regresso às aulas, de modo a reduzir os riscos.

O Wong Kin Mou ainda advertiu os pais, de que devem reforçar o ensino das crianças a atenção de higiene pessoal. Anteriormente, foram filmados os vídeos educativos para as crianças mais novas, para salientar a importância de uso de máscaras e de lavar as mãos com frequência, espera-se que, através de ensino, as crianças possam conhecer os meios de reforço de higiene pessoal, fazendo as pessoas de várias idades bater a epidemia conjuntamente.

O Chefe Wong Kin Mou salientou, no presente, o“Programa para assegurar fornecimento de máscaras” é implementado para a população de Macau, incluindo os estudantes, por isso, os estudantes devem usar as máscaras quando vão às escolas e têm as aulas. Em Janeiro, a DSEJ disponibilizou verbas para as escolas, informando as escolas para adquirirem máscaras, líquido de limpeza, entre outros, para em situações de necessidade. Antes das férias do Ano novo chinês, as escolas compraram quantidade suficientes para ter em reserva. Depois do regresso às aulas, caso os estudantes necessitam de substituir as máscaras, devido aos vários motivos durante as aulas, pode usar as máscaras de reserva. Ao mesmo tempo, há muitos residentes e organizações de Macau fornecem às escolas de Macau, máscaras, gel de mãos desinfectante com álcool, líquido de limpeza e equipamentos de medição de temperatura corporal, e entre outros.

A Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Inês Chan referiu que 279 de trabalhadores não residentes, 27 de residentes de Macau e pessoas de outras nacionalidades, foram submetidas a isolamento no Hotel “Pousada Marina Infante”.

Ontem, foi registada uma (1) queixa apresentada por pessoas que ficam isoladas no Hotel “Pousada Marina Infante”, a qual referiu-se que houve pessoa da sala próxima isolada fumou de porta aberta, e após de aconselhamento dos funcionários, foi resolvida a situação e não houve mais queixas. Neste momento estão ainda na província em Hubei 123 residentes de Macau e os seus familiares acompanhados, este número aumenta e reduz conforme exclusão dos familiares não-residente de Macau acompanhados cujos familiares que já voltaram a Macau através do primeiro avião fretado, o cancelamento de apoio pedido pelo ajudante e saída da província em Hubei mediante a auto-condução.

Em reposta às medidas controlo dos cidadãos que cheguem provenientes da Noruega o Gabinete de Gestão de Crises do Turismo enviou 7 mensagens a telemóveis de Macau que estão registados na rede na Noruega, de modo a notificar os seus detentores das medidas de entrada à Macau.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, relatou a situação geral sobre a segurança de sociedade, a ordem nos postos de venda de máscaras e a entrada e saída em Macau, etc...

Nos termos da Lei de prevenção, controlo e tratamento de doenças transmissíveis e respectivas orientações, desde 11 de Março, até à meia-noite, os visitantes provenientes das áreas de alta incidência foram transferidos pela CPSP a dois postos temporários, no Fórum de Macau e no Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, 2.502 e 1.677 visitantes, respectivamente, para serem submetidos a exames médicos.

196 visitantes recusaram exames e optaram por regressar ao Interior da China.

Nenhum residente de Macau foi encaminhado para exames médicos devido a deslocações diárias frequentes e anormais entre Macau e o Interior da China.

O número de entrada e saída a Macau do dia 11 de Março foi 77.000, sendo o primeiro declínio desde o dia 1 de Março.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, o médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da DSEJ, Wong Kin Mou, a chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dra. Inês Chan, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong e a coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da doença, Dra. Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar