O Governo da RAEM apela aos residentes para não viajar a menos que seja necessário Publicação do plano de reinício gradual das aulas do ensino não superior

O Governo apela aos estudantes universitários que se encontram no exterior para regressarem com segurança a Macau o mais breve possível

O médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, anunciou que, desde o dia 5 de Fevereiro, não foram registados novos casos confirmados por pelo menos 38 dias consecutivos, mantêm-se os 10 casos confirmados, tendo todos os doentes recuperado e tido alta hospitalar. Actualmente, não há doentes internados na enfermaria de isolamento do CHSCJ. Foram registados 2.189 casos suspeitos, dos quais 2.161 foi excluída infecção. Há dezoito (18) casos suspeitos cujo resultado do teste ainda está pendente. Nas últimas 24 horas, foram analisadas, pelo Laboratório de Saúde Pública, 211 amostras. Foram acompanhadas clinicamente 76 pessoas consideradas como casos de contacto próximo e 74 pessoas concluíram o isolamento preventivo. Nas últimas 24 horas, na Urgência Especial do CHCSJ foram registados dezoito (18) casos suspeitos que foram submetidos a exames, doze (12) dos quais já foram excluídos de infecção, e os restantes seis (6) casos estão com resultado pendente. Trinta e um (31) casos analisados no Hospital Kiang Wu foram submetidos à análise laboratorial, dos quais vinte e um (21) foram excluídos e dez (10) estão com resultado pendente. Foram avaliados 22 casos com baixo risco ou com sintomas do tracto respiratório nos Serviços de Urgência do CHCSJ e do Hospital Kiang Wu e enviados para análises, todos os resultados foram negativos. Actualmente, 63 pessoas estão em isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública, no Alto de Coloane, incluindo 57 residentes de Macau retirados de Hubei, dos quais, duas (2) pessoas estão em período de convalescença, duas (2) pessoas de contacto próximo e duas (2) de alto risco, apenas uma (1) pessoa com contacto próximo teve tosse ligeira, mas não teve febre. Dos 57 residentes de Macau que regressaram de Hubei, nenhum apresentou sintomas de febre nem do tracto respiratório, tendo sido submetidos esta manhã à segunda análise de ácido nucleico, sendo todos considerados negativos, prevê-se que realizem o terceiro teste de ácido nucleico na próxima quinta-feira. O mesmo responsável referiu que desde o início da implementação do plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau até ao presente momento, o Governo está empenhado em adquirir máscaras através de diversos meios, tendo já vendido mais de 29 milhões de máscaras. De acordo com a informação actualmente disponível, nenhuma empresa determinou a criação de uma linha de produção de máscara em Macau. Relativamente ao pedido atestado médico por turistas para entrada em alguns países, nenhum cidadão solicitou qualquer atestado médico junto do Centro Hospitalar Conde de São Januário. Por fim, o mesmo reiterou que a prevenção da epidemia é uma responsabilidade de todos os residentes e apela aos residentes que para entrada devem preencher a declaração de saúde, para não tentarem infringir a lei, caso contrário, terão de assumir responsabilidade criminal.

A Coordenadora do Centro de Controlo de Doenças de Macau, Dr.ª Leong Iek Hou, reportou que, nas últimas 24 horas, deram entrada na RAEM mais indivíduos que necessitam de ser submetidos a 14 dias de observação médica dado terem estado em regiões de alta incidência 14 dias antes da entrada em Macau. Doze (12) residentes de Macau regressaram e foram submetidas a observação médica, dos quais três (3) regressavam da Alemanha, três (3) de Espanha, quatro (4) do Japão, e outros dois (2) regressavam da Itália. Desde a implementação desta medida até hoje de manhã, 104 pessoas estão em observação médica, de entre as quais, 89 são residentes de Macau, quatro (4) turistas de nacionalidade sul-coreana, quatro (4) turistas de nacionalidade italiana, um (1) trabalhador não residente de nacionalidade filipina, um (1) turista do Japão, quarto (4) turistas do Interior da China, e um (1) turista de Hong Kong.

Actualmente, 85 pessoas ainda estão a ser submetidas a observação clínica, 64 residentes de Macau escolheram efectuar a observação no domicílio e 21 estão em local designado. A mesma responsável referiu que notou que há muitos residentes de Macau que viajaram para o exterior no início de Março. Apela-se aos cidadãos para que, não sendo necessário, devem suspender as viagens para o exterior, e evitar, em particular, a deslocação as zonas de alta incidência. Ao mesmo tempo, as autoridades estão a envidar todos os esforços para adquirir máscaras para crianças antes do reinício das aulas, e a proceder a bons arranjos conforme armazenamento real na altura do regresso às aulas. Caso haja um programa específico, tal será anunciado oportunamente.

A Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, referiu que neste momento estão ainda na província de Hubei 123 residentes de Macau e familiares que os acompanham, 273 pessoas estão a ser submetidas a isolamento no Hotel “Pousada Marina Infante”, das quais 248 são trabalhadores não residentes, e 25 residentes de Macau e de outras nacionalidades. Entre 7 e 13 de Março, 43 trabalhadores não residentes da RAEM concluíram o isolamento por 14 dias e entraram no mercado de trabalho de Macau.

O Gabinete de Gestão de Crises do Turismo (GGCT) recebeu uma notificação relativa aos 25 estudantes de Macau que estudam em Portugal, esses partiram na noite do dia 12 e chegam ao aeroporto de Hong Kong às 21: 05 de hoje, regressando depois a Macau. Como Portugal não está classificado como uma região de alta incidência, o seu regresso a Macau deve ser bem sucedido. Essas 25 pessoas são estudantes que estão a participar num programa de estudos em Portugal através da Fundação de Educação de Instituições de Ensino Superior e da Fundação Macau.

O Chefe do Departamento, Wong Kin Mou, referiu que, após estudo e análise, o Governo da RAEM elaborou um plano de regresso às aulas do ensino não superior por várias etapas, sendo: no dia 30 de Março reiniciam as aulas os alunos finalistas do ensino secundário complementar (regresso não oficial, estudo voluntário de apoio para entrada nas universidades); no dia 13 de Abril reiniciam as aulas para o ensino secundário complementar; no dia 20 de Abril reiniciam as aulas para o ensino secundário geral; no dia 27 de Abril reiniciam as aulas para o 6.º, 5.º e 4.º anos do ensino primário; no dia 4 de Maio reiniciam as aulas para todo 3.º, 2.º e 1.º anos do ensino primário, o ensino infantil, e o ensino especial. Wong Kin Mou indicou que as escolas podem preparar o regresso às aulas conforme o seu calendário escolar.

Depois do reinício das aulas no dia 13 de Abril, os campus das escolas serão abertos para prestação de medidas amigáveis. Caso necessitem de trabalhar, os pais podem apresentar um pedido à escola. Para os estudantes ainda sem aulas, como estudantes (do 1.º, 2.º e 3.º anos do ensino primário, ensino infantil e ensino especial), que ainda não necessitem de voltar à escola oficialmente, mas tenham regressado voluntariamente, as escolas devem tomar os cuidados necessários para com os mesmos, em conformidade com os princípios de prevenção de epidemia dos serviços de saúde competentes. Salientou ainda que para esses alunos as aulas não podem ser oficiais.

O mesmo responsável agradeceu ainda aos professores das escolas pela organização, com responsabilidade, dos trabalhos de casa ou do ensino por vídeo conferência, durante a suspensão das aulas, para que os alunos pudessem manter bons hábitos de aprendizagem. Sublinhou que a DSEJ tem mantido uma boa comunicação com os responsáveis das escolas, as associações educativas ou os professores. Por fim, o mesmo responsável reiterou o seu apelo para que os professores e alunos que ainda se encontram fora do território de Macau, com excepção dos que residem habitualmente na cidade de Zhuhai e na cidade de Zhongshan, para regressarem a Macau o mais rapidamente possível. Os professores transfronteiriços devem regressar ao seu local de residência com a maior brevidade possível para realizarem trabalhos preparativos. Na reunião, o chefe de departamento, Chan Iok Wai, apresentou também as respectivas orientações para estudantes do ensino superior que estudam no exterior.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai relatou a situação geral sobre a segurança da sociedade, a ordem nos postos de venda de máscaras, a entrada e saída de Macau, entre outras.

Nos termos da Lei de prevenção, controlo e tratamento de doenças transmissíveis e respectivas orientações, no dia 12 de Março, até à meia-noite, dos 2.491 visitantes provenientes das áreas de alta incidência, 1.543 visitantes foram encaminhados pela CPSP para dois postos temporários, Fórum de Macau e Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa, para serem submetidos a exames médicos. Desses 292 visitantes recusaram exames e optaram por regressar ao Interior da China. 1 residente de Macau foi encaminhado para exames médicos devido a deslocações diárias frequentes e fora do normal entre Macau e o Interior da China.

Referiu ainda que na sexta ronda do plano de fornecimento de máscaras, houve muitos residentes em fila para aquisição de máscaras, tal como nos cincos planos anteriores, e que os residentes devem evitar adquirir máscaras nos primeiros dois dias, de modo a evitar a concentração de pessoas. O Corpo de Polícia de Segurança Pública continuará dar atenção à ordem da sociedade e a garantir uma boa segurança social. A CPSP apela à população para continuarem a reduzir saídas para fora e viagens, de modo a reduzir o risco propagação da doença. Estiveram presentes na conferência de imprensa o médico adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da DSEJ, Wong Kin Mou, o chefe do Departamento de Estudantes das Instituições do Ensino Superior da Direcção dos Serviços do Ensino Superior, Dr. Chan Iok Wai, a chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Dr. Lei Tak Fai e a coordenadora do Centro de Prevenção e Controlo da doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar