Conselho Consultivo de Cultura realiza Reunião Plenária Ordinária

Conselho Consultivo de Cultura realiza Reunião Plenária Ordinária

No passado dia 17 de Março, realizou-se no Centro Cultural a Reunião Plenária Ordinária do Conselho Consultivo de Cultura, presidida pela Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura do Governo da RAEM e Presidente do Conselho Consultivo de Cultura, Ao Ieong U. A ordem de trabalhos incluiu o Reconhecimento do Pedido da Pessoa Colectiva do Sector Cultural e uma apresentação do Instituto Cultural (IC) relativa ao trabalho de resposta ao surto do novo coronavírus.

Ao Ieong U referiu que Macau denota a essência da cultura chinesa e características da multiculturalidade, resultando numa aura urbana singular e num conjunto de recursos culturais de grande valor, os quais devem ser preservados e desenvolvidos, a fim de potenciar a aura cultural da cidade e promover o desenvolvimento sustentável de Macau. Ao Ieong U expressou ainda a esperança de que a reunião permitisse auscultar as opiniões dos membros do Conselho Consultivo sobre a acção governativa no âmbito cultural.

Os membros manifestaram o seu profundo reconhecimento pelo trabalho desenvolvido no domínio cultural, na expectativa de que o Governo da RAEM possa, no futuro, potenciar as vantagens da Região, aprofundar e reforçar o papel de Macau como “base de intercâmbio e cooperação onde coexistem diferentes culturas predominando a cultura chinesa”, continuar a desenvolver festivais culturais de marca, introduzir manifestações notáveis de cultura tradicional chinesa em Macau, aumentar o intercâmbio e a cooperação entre os profissionais das artes de Macau e do Interior da China e formar talentos no sentido de uma maior internacionalização. Os membros atribuíram igualmente importância ao reforço da formação cultural e artística dos jovens, os quais devem ser incentivados a desenvolver trabalho criativo com base nos recursos culturais e históricos de Macau, e ao expandir cada vez mais o espaço de realização de eventos culturais.

Durante a reunião, o IC apresentou o respectivo trabalho de resposta ao surto do novo coronavírus, incluindo o cancelamento de eventos durante o Ano Novo Chinês, o encerramento temporário dos vários espaços culturais, o apelo às associações para evitarem a realização de actividades que levem a grande concentração de pessoas, a promoção de uma campanha de divulgação intitulada “Combate à Epidemia com a Cultura”, o lançamento de uma plataforma de leitura electrónica, a organização de exposições e espectáculos online, bem como uma campanha intitulada “Combate à Epidemia com a Poesia”, com o objectivo de proporcionar ao público a oportunidade te ter experiências culturais no conforto da sua casa, combatendo a epidemia com o poder da arte e da cultura, em conjunto com os residentes. O IC foi acompanhando a evolução da epidemia e as necessidades do público, procedendo à abertura dos espaços culturais de modo ordenado e faseado, com vista a prestar serviços culturais de forma adequada.

Desde o início do surto, o IC tem vindo a acompanhar de perto a situação das artes e da cultura em Macau, tendo providenciado, mediante o cancelamento dos eventos previstos no âmbito do Programa de Apoio Financeiro para Actividades/Projectos Culturais das Associações Locais por motivos de força maior (incluindo tufão, epidemia, etc.), um mecanismo de isenção discricionária: após a verificação dos dados e documentos comprovativos de que os projectos recaem no âmbito abrangido pelo apoio financeiro do IC, as despesas incorridas até ao valor do subsídio já concedido são passíveis de ser reembolsadas. Neste momento, o IC está a comunicar, de forma activa, com as associações afectadas para se inteirar da sua situação e prestar a devida assistência. Além disso, no sentido de contribuir para a recuperação social e económica, o IC oferece três meses de isenção de renda aos operadores dos imóveis sob a sua alçada, dando prioridade ao trabalho de restauro de edifícios históricos e a vários projectos de intervenção nas instalações culturais.

No âmbito do apoio à realização de eventos artísticos e culturais e com vista a implementar a medida de “Trabalho Sim, Caridade Não” criada pelo Governo da RAEM, o IC criará condições, após a mitigação do surto, para proporcionar mais oportunidades de prática aos grupos e profissionais das artes locais envolvidos na realização de eventos artísticos e culturais, no sentido de dinamizar o mercado, promover o desenvolvimento do sector e injectar, persistentemente, em conjunto, vitalidade cultural na sociedade em prol do seu desenvolvimento.

Na reunião estiveram presentes a Presidente do IC, Mok Ian Ian; a Assessora do Gabinete do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Lam Wan Nei; a Directora dos Serviços de Turismo, Maria Helena de Senna Fernandes; o Director dos Serviços de Educação e Juventude, Lou Pak Sang; o representante do Presidente do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais do Instituto para os Assuntos Municipais, Au Chan Weng; os membros do Conselho Consultivo Lok Po, Lui Yiu Tung Francis, Lao Nga Wong, José Luís de Sales Marques, Siu Pei Tak, Ieong Hoi Keng, Yao Jing Ming, Lei I Leong, Kuok Keng Man, Ieong Sao Leng, Ieng Weng Fat, Chiang Siu Ling Samanth, Li Zisong, Tam Kai Cho Alan, Dai Baisheng, Wong Cheng Pou Jaime e Lin Guangzhi; e os Vice-Presidentes do IC, Leong Wai Man e Chan Kai Chon.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar