“Código de Saúde de Macau” distingue estado de saúde em três cores: vermelho, verde e amarelo a partir de 3 de Maio – Mais dois doentes diagnosticados com COVID-19 tiveram alta hospitalar

Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus realizou uma conferência de imprensa regular no dia 1 de Maio

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou divulgou durante a conferencia de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, que o Governo da RAEM irá activar às 09h00 do dia 3 de Maio de 2020 “Código de Saúde de Macau”. Este código é uma versão actualizadada “Declaração de saúde” e ainda integra e substitui o sistema de “Sistema electrónico para Declaração de Saúde em postos fronteiriços de entrada” que tem sido utilizado até agora.

O código de saúde pode apoiar de forma eficaz a implementação de gestão regular da Pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, realizar a “gestão do confinamento” à entrada em Macau e na comunidade de Macau. A característica do “Código de Saúde de Macau” é o “registo de nome verdadeiro”, o sistema irá efetcuar a conjugação de dados com os casos suspeitos, casos confirmados e contactos próximos, história de viajem e residência nos países/regiões de alta incidência, e lista de indivíduos que devem ter a observação médica domiciliária ou observação médica nos hoteis designados. Os residentes fazem a declaração voluntária nas circulações na comunidade de Macau, e a declaração obrigatória nas entradas a Macau e a saída de Macau.

O “Código de Saúde de Macau” tem 4 idiomas disponíveis: língua chinesa tradicional, língua chinesa simplificada, língua inglesa e língua portuguesa. A operação deste código de saúde de Macau é semelhante à Declaração de saúde. Os procedimentos são:

  1. Fazer o scan do código para entrar no sistema de “Código de saúde de Macau”;
  2. Preencher os dados pessoais na forma verdadeira, e responder a três (3) perguntas com escolhas múltiplas sobre os sintomas, história de contacto e de viajem;
  3. O sistema operará automaticamente para fazer a verificação e conjugação com as listas de casos relativos à Pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus dos Serviços de Saúde;
  4. Criar um Código de Saúde de Macau individual, sendo que o código vermelho representa a proibição de entrada de estabelecimentos, o código verde representa a permissão de entrada de estabelecimentos, o código amarelo representa a necessidade de realização de auto-gestão de saúde, para mais detalhes, pode consulta as orientações dos Serviços de Saúde “Precauções sobre autogestão da saúde”.

O código de saúde aplica-se à entrada em Macau e à entrada de estabelecimentos locais de Macau. Os estabelecimentos podem determinar a permissão ou recusa à entrada, de acordo com os três significados de códigos de saúde de residentes.

Por seu turno o médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, revelou que passaram vinte e três (23) dias desde que foi diagnosticado o último caso de COVID-19. Por trinta e quatro (34) dias consecutivos não é registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Registou-se um total de quarenta e quatro (44) casos classificados como sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

Sexta-feira, 1 de Maio, mais dois (2) doentes diagnosticados com Covid-19 tiveram alta hospitalar após o tratamento, um deles é o 18º paciente diagnosticado e considerado como caso grave. No total dos 45 doentes diagnosticados em Macau, trinta e sete (37) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, oito (8) doentes internados, todos em boas condições, sem dificuldades respiratórias e não necessitam respirar oxigénio. Todos os indivíduos contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Oito (8) doentes internados, quatro (4) doentes estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Hospitalar Conde de São Januário e quatro (4) doentes na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública, respectivamente, vinte e duas (22) pessoas estão sujeitas a isolamento de recuperação no Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane; não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. Nas últimas 24 horas, foram analisadas, pelo Laboratório de Saúde Pública, 1.283 amostras.

O Dr. Lo Iek Long também apresentou a situação clínica dos dois pacientes diagnosticados que tiveram alta hospitalar hoje. O 36.o paciente com alta, o 18.o paciente confirmado em Macau, uma mulher de 50 anos de idade, residente de Macau, sendo a mãe do 19.o paciente confirmado em Macau. Visitou o filho que estuda nos Estados Unidos da América entre 28 de Fevereiro e 20 de Março; Em 21 de Março, partiu de Nova Iorque Estados Unidos de América com destino a Hong Kong e apanhou a viatura especial organizada pelo Gabinete de Gestão de Crises do Turismo via da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau para voltar a Macau. Na inspecção no posto fronteiriço de Macau foi detectada febre e foi imediatamente encaminhada à Urgência Especial do Centro Hospitalar Conde de São Januário. O teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea também deu positivo e a imagem do tórax mostrou pneumonia, sendo confirmada a pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Foi internada na enfermaria de isolamento, administrado tratamento antiviral, de interferon, hormona e suporte. A condição clinica da paciente agravou-se. O exame de imagem do tórax de pneumonia piorou e desenvolveu dispnéia e diminuição dos níveis de oxigénio no sangue, o que correspondeu aos padrões de pneumonia grave causada pelo novo tipo de coronavírus. Ela foi sujeita à inserção de tubo traqueal e terapia respiratória assistida por ventilador de 30 de Março a 8 de Abril. Esteve internada por 42 dias, agora a condição clínica é estável, sem febre, nem sintomas do tracto respiratório e a imagem do tórax mostrou óbvia absorção de pneumonia. Nos dias 28 e 30 de Abril, o teste de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea foi negativo, daí tudo corresponder aos critérios de alta hospitalar e dada no dia 1 de Maio, mas irá sujeitar-se a isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública para reabilitação por 14 dias.

O 37.o doente que teve alta hospitalar é o 41.o caso confirmado em Macau, 20 anos de idade, sexo masculino, residente de Macau, estudante no Reino Unido, sendo o filho dos 40.o e 44.o pacientes diagnosticados em Macau. No dia 27 de Março, o doente partiu de Londres, Reino Unido, tendo chegado ao Aeroporto Internacional de Hong Kong, e viajado até Macau através da viatura organizada pelo Gabinete de Gestão de Crises do Turismo via da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau. Em seguida, esteve em observação médica noHotel Dragão Royal. Sofreu de dores abdominais no dia 30 mas sem diarreia; No dia 31, o teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea deu positivo e a imagem do tórax mostrou pneumonia, sendo confirmada a pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Esteve internado por 32 dias, sujeito ao tratamento de suporte antiviral e sintomático. Agora a condição clínica é estável, sem febre, nem sintomas do tracto respiratório e a imagem do tórax mostrou óbvia absorção de pneumonia. Nos dias 28 e 30 de Abril, o teste de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea foi negativo, daí tudo corresponder aos critérios de alta hospitalar e dada no dia 1 de Maio, mas irá sujeitar-se a isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública para reabilitação por 14 dias.

O Dr. Lo Iek Long divulgou, ainda, que dois pacientes isolados durante o período de recuperação tiveram uma recaída com resultado positivo de teste: um dos doentos é o décimo sexto paciente, que teve alta do hospital em 15 de Abril e foi encaminhado para ser submetido a 14 dias de isolamento de recuperação no Centro Clínico de Saúde Pública. O plano original previa terminar o isolamento durante a reabilitação em 29 de Abril, no entanto, os resultados do teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea e de amostra da saliva foram inconclusivos no dia 28 de Abril. Os resultados do teste do dia 30 de abril foram negativos. É necessário aguardar os próximos testes com resultados negativos antes de libertar este doente do isolamento. O outro doente com recaída é o décimo sétimo pacinte, que teve alta do hospital em 17 de Abril e foi encaminhado para ser submetido a 14 dias de isolamento de recuperação no Centro Clínico de Saúde Pública. O plano original terminaria o isolamento durante a reabilitação no dia 1 de Maio. No entanto, o resultado do teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea foi positivo e o resultado do teste de amostra da saliva foi inconclusivo no dia 28 de Abril. Os resultados dos testes de zaragatoa nasofaríngea e de amostra da saliva e de fezes foram negativos no dia 30 de abril. É necessário aguardar os próximos testes com resultados negativos antes de libertar o isolamento. O Dr. Lo Iek Long acrescentou que o resultado do teste de ácido nucleico é inconclusivo, o que significa que ainda há uma pequena quantidade de vírus ou restos de vírus no corpo do paciente, mas por razões de segurança, ainda será tratado como a recaída do resultado positivo de teste.

O Dr. Lo Iek Long disse que os Serviços de Saúde começaram a realizar os testes de ácido nucleico para populações-chave em Macau no mês passado. Na primeira fase, foram testados os estudantes transfronteiriços, pessoal docente e não docente no ensino secundário complementar para início de aulas, pescadores e funcionários do serviço social. Até ao dia 30 de Abril, um total de 4.726 pessoas incluindo os estudantes transfronteiriços, pessoal docente e não docente no ensino secundário complementar e pescadores foram testados e todos os resultados foram negativos. A partir de sábado, 2 de Maio, os Serviços de Saúde continuam a realizar testes para funcionários do serviço social e o pessoal docente e não docente no ensino secundário. Prevê-se que no total sejam testadas cerca de 7.000 pessoas. O Dr. Lo Iek Long em resposta aos jornalistas apontou que os estudantes de Macau que moram em Zhuhai e Zhongshan, ou aqueles que moram em Macau que precisam ir a escolas nos locais acima mencionados, serão apoiados pela Direcção dos Serviços de Educação e Juventude para serem sujeitos ao teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea em hospitais designados do Interior da China ou no Hospitalar Conde de São Januário Hospital. Ao mesmo tempo, o Governo da RAEM continuará a adquirir os instrumentos e equipamentos de teste de ácido nucleico e chegou a um acordo com uma agência de inspecção terceirizada, que é a Companhia de Higiene Exame Kuok Kim (Macau) Limitada.

A capacidade de detecção de ácido nucleico será gradualmente expandida e a detecção em larga escala de ácido nucleico será realizada. A capacidade de detecção geral em Macau aumentará para 6.000 pessoas por dia. Nesta fase, alguns detalhes ainda estão em discussão e serão anunciados após a implementação.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 30 de Abril, houve mais doze (12) indivíduos submetidos à observação médica, oito (8) são residentes de Macau, quatro (4) não residentes de Macau. Até ao dia 30 de Abril, foram enviados, no total, para a observação médica 4.126 indivíduos. 80 indivíduos estão ainda em observação médica, 70 dos quais em hotéis designados, sete (7) dos quais emembarcações de pesca, três (3) dos quais em instalações dos Serviços de Saúde.

A Dr.ª Leong Iek Hou, informou ainda, que terá início no dia 2 de Maio, o 11.º plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau. O meio de implementação, os locais de venda e o horário do 11.º plano são idênticos ao 10.º plano ( ver o comunicado publicado sobre este assunto), e foi emitido mais um apelo aos residentes para que devem agendar o momento de compra das máscaras de acordo com suas necessidades e de acordo com o número de máscaras que ainda possua, não é necessário recorrer à compra nos primeiros dias, para que evite aglomerações de pessoas e devem reduzir os tempos de espera.

Relativamente à pergunta sobre a necessidade de implementação de observação médica aos pescadores que exercem actividades no mar por um período longo, apresentada pelos jornalistas, a Dra. Leong Iek Ho indicou que há desembarque quando os pescadores exercem actividades no mar e nessas ocasiões podem ter contacto com diferentes grupos de pessoas, por isso é recomendado que os pescadores devem ser sujeitos à observação médica durante 14 dias, após regresso a Macau, de modo a reduzir o risco de transmissão social e proteger a população de Macau.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo.

O Chefe de Divisão da CPSP, Dr. Ma Chio Hong relatou que, dado que as escolas de Macau retomam as aulas gradualmente a partir de 4 de Maio, o Governo de Zhuhai não implementará temporariamente a observação médica centralizada ao respetivo pessoal que passa via o posto fronteiriço entre Macau e Zhuhai para a frequência de aulas, estas medidas vão entrar em vigor em 3 de Maio, às 06h00; o Dr. Ma Chio Hong ainda referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, entre outros.

Estiveram presentes na conferência de imprensa, o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe do Departamento de Ensino da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Wong Ka Ki, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar