Não marcação de teste de ácido nucleico implica a não obtenção imediata do relatório – Macau regista 33 dias consecutivos sem casos de COVID-19

Conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long, fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que as políticas de entrada e saída entre Macau e Zhuhai para os residentes de Macau e as medidas complementares de um modo geral mantêm-se inalteradas e salientou que caso um Residente de Macau queira entrar em Zhuhai, deve primeiro verificar se cumpre as condições de isenção de isolamento estabelecidas pelas entidades competentes de Zhuhai.

“Mesmo que tenha um relatório de teste de ácido nucleico negativo, isso não significa que esteja isenta de observação médica por 14 dias; por outro lado, é necessário realizar um marcação on-line para teste de ácido nucleico e apresentar o código de saúde”, disse. O Dr. Lo Iek Long reiterou que os residentes que marcaram a realização de exame devem chegar ao local de teste de acordo com o horário da marcação e não necessitam de chegar mais cedo, evitando longos tempos de espera e aglomeração de pessoas. A realização do teste demora cerca de 10 minutos.

Por outro lado, caso os Residentes de Macau pretendam regressar ao território provenientes de Zhuhai, devem primeiro realizar o teste de ácido nucleico em Zhuhai e munir-se do certificado do teste para entrar em Macau. Caso os Residentes de Macau não realizem o teste de ácido nucleico com antecedência, serão encaminhados para o Terminal Marítimo de Passageiros daTaipa na ZonadeAterrosde PacOn onde será realizado o teste para teste de ácido nucleico. No entanto, como essas pessoas não efectuaram a marcação on-line, vão ter de aguradr no local pela realização do teste, será necessário verificar todas as informações, e os relatórios não serão emitidos imediatamente. Quem pretenda o relatório terá depois de se deslocar ao Centro Hospitalar Conde de São Januário para pedir o relatório de teste.

Por seu turno os trabalhadores não residentes provenientes do Interior da China não podem entrar em Macau sem teste prévio de ácido nucleico realizado com a devida antecedência.

O O Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ disse ainda que devido ao grande número de pessoas que necessitam de testes de ácidos nucleicos, o Governo irá dinamicamente ajustar as vagas de marcação prévia de acordo com a procura e vai alargar, gradualmente, os testes de ácido nucleico a outras pessoas.

O teste que o Governo disponibiliza é efectuado com a colaboração da “Companhia de Higiene Exame Kuok Kim (Macau) Limitada, sendo fornecidas 6.000 vagas / testes diários com um custo de 180 patacas.

O Fórum de Macau, um dos postos de exames médicos temporários, foi encerrado.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou explicou, também, que relativamente às novas medidas implementadas na manhã de segunda‑feira, 11 de Maio, que os trabalhadores não residentes do Interior da China não necessitam de realizar observação médica, a Dra. Leong Iek Hou reiterou que as medidas em causa são apenas destinadas aos trabalhadores não residentes que possuem autorização de residência de Zhuhai.

As políticas de entrada e saída de trabalhadores não residentes anteriormente aplicadas permanecem inalteradas, ou seja, os trabalhadores não residentes continuam proibidos de entrar em Macau e os trabalhadores não residentes de Taiwan, Hong Kong e outras regiões do Interior da China, se nunca estiveram no exterior, podem entrar em Macau, através do aeroporto e após a chegada a Macau serão submetidos a observação médica durante 14 dias.

A Dra. Leong Iek Hou explicou, ainda, que qualquer individuo titular de bilhete de identidade de residente de Macau ou de um documento de viagem, pode gerar o “Código de Saúde de Macau ”, no entanto, para gerar o “Código de Saúde da Província de Cantão (Guangdong)”, é necessário que este possua um Salvo-conduto para Deslocação ao Interior para os Residentes de Hong Kong e Macau (vulgarmente conhecido por Salvo-conduto para Deslocação à China).

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long divulgou, ainda que já passaram trinta e três (33) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por quarenta e quatro (44) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

Esta segunda-feira (dia 11 de Maio), mais um (1) doente diagnosticado com COVID-19 teve alta hospitalar após tratamento. No total quarenta e dois (42) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, três (3) doentes internados, que são considerados casos ligeiros, encontrando-se em estado estável, sem dificuldades respiratórias, não necessitando de oxigénio.Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Os três (3) doentes internados estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Doze (12) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. O número total de teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em Macau no dia 10 de Maio foi de 4.892.

O 42.o paciente teve alta hospitalar é o 27.o paciente confirmado em Macau, 28 anos de idade, masculino, residente de Macau, que esteve em Londres, Reino Unido, entre 8 e 20 de Março. Na noite do dia 20 de Março partiu de Londres, Reino Unido com o destino Hong Kong; no dia 22 de Março, entrou em Macau pelo Posto Fronteiriçoda Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, através de um veículo específico disponibilizado pelo Gabinete de Gestão de Crises do Turismo, tendo sido alojado no Hotel Tesouro para observação médica. No dia 23 de Março, foi realizada a amostragem para o teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus através de zaragatoa nasofaríngea e o resultado laboratorial deu positivo no dia 24. Durante o periodo, o doente manifestou tosse leve, a TAC do tórax mostrou pneumonia tendo sido confirmada a pneumonia causada pelo COVID-19, tendo sido isolado para tratamento antiviral e sintomático. Esteve hospitalizado por 49 dias. Actualmente, a situação clínica do doente é considerada estável, sem febre, nem sintomas do tracto respiratório, O exame de imagem do tórax mostra absorção óbvia de pneumonia. Os resultados dos testes de ácido nucleico do vírus da zaragatoa nasofaríngeo foram negativos respetivamente em 8 de Maio e 10 de Maio, o que corresponde aos critérios de alta hospitalar. O paciente teve alta segunda-feira, 11 de Maio e continuará a receber isolamento de reabilitação por 14 dias no Centro Clínico de Saúde Pública de Ká-Hó.

Por seu turno a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 10 de Maio, houve mais vinte e seis (26) indivíduos submetidos à observação médica, treze (13) dos quais são residentes de Macau e treze (13) não residentes de Macau. Até ao dia 10 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.265 indivíduos. Cento e oitenta e oito (188) indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais cento e setenta e cinco (175) em hotéis designados, onze (11) em embarcações de pesca e dois (2) nas instalações dos Serviços de Saúde.

A Dr.ª Leong Iek Hou, apresentou, ainda, o 12.º plano de fornecimento de máscaras aos residentes de Macau que terá início na terça-feira (12 de Maio). A implementação, os locais de venda e o horário deste plano são idênticos ao 11.º plano (para mais informações, ver outro comunicado). O Governo assegura que o número de máscaras disponíveis serve todas as necessidades da população, apelando aos residentes que comprem as máscaras, tendo em conta as suas necessidades e a quantidade restante de máscaras. Não há necessidade de comprarem máscaras nos primeiros dias, os residentes devem evitar aglomerações de pessoas e devem reduzir os tempos de espera.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo, e o número de utilizadores de autocarro dourado que liga Hong Kong e Macau após retoma das operações.

O Chefe do Departamento de Ensino da DSEJ, Dr. Wong Ka Ki, anunciou o reinício das actividades lectivas presenciais do Ensino Primário e a prestação total de serviços por Salas de Explicações e Instituições de Educação Contínua, bem como respondeu as perguntas relacionadas com o reinício das aulas.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, referiu o encaminhamento dos visitantes provenientes de áreas de alta incidência para os postos de exame médico temporários, a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, assim como respondendo às perguntas sobre o número de entrada e saíde por parte dos trabalhadores não residentes de Macau, oriundos do Interior da China.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe do Departamento de Ensino da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Wong Ka Ki, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar