Macau regista 37 dias consecutivos sem casos de COVID-19

Macau regista 37 dias consecutivos sem novos casos importados de COVID-19

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que já passaram trinta e sete (37) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por quarenta e oito (48) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados. Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

No total quarenta e três (43) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar. Há, ainda, dois (2) doentes internados, que são considerados casos ligeiros, encontrando-se em estado estável, sem dificuldades respiratórias, não necessitando de oxigénio. Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Os dois (2) doentes internados estão a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Onze (11) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas.

O número total de testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus realizados em Macau, no dia 14 de Maio, foi de 1.410.

Relativamente à questão de um jornalista sobre a terapêutica com plasma de doentes recuperados, o Dr. Lo Iek Long afirmou que, a Comissão Nacional de Saúde elaborou um plano de diagnóstico e tratamento terapêutico com plasma de doentes recuperados, o qual foi actualizado numa segunda versão. Com efeito, explicou que a terapêutica com plasma é adequada para pacientes em estado grave. O Dr. Lok Iek Long acrescentou que, o Centro de Transfusões de Sangue de Macau está actualmente a levar a cabo os trabalhos relacionados e pergunta aos pacientes que estão em período de convalescença, se têm interesse em fazer a doação de sangue. Se a condição física deles atender aos critérios e manifestarem vontade, eles podem doar sangue para ajudar outras pessoas. O Dr. Lok Iek Long revelou que, havia um paciente recuperado de Macau que tinha manifestado interesse em fazer esta colheia de sangue, mas a concentração de anticorpos no sangue era insuficiente e, por conseguinte, o respectivo plasma não era adequado para efeitos de tratamento de pacientes em estado crítico.

O Dr. Lok Iek Long também indicou que, em relação aos dois pacientes confirmados que ainda estão internados, a situação clínica é estável ​​e não apresentam qualquer sintoma. As tomografias computorizadas do tórax são normais, mas os resultados do teste de ácido nucleico na zaragatoa nasofaríngea ainda foram positivos, tendo um deles registado resultado negativo num teste. Espera que esse paciente possa ter um segundo resultado negativo no próximo teste. Relativamente aos critérios de alta hospitalar fixados, os pacientes têm de apresentar dois testes de ácido nucleico consecutivos com resultados negativos. No que diz respeito ao incidente desta manhã, em que uma mulher de Macau tinha impedido a continuação da recolha de amostras de outros residentes no posto de teste de ácido nucleico no Terminal Marítimo de Passageiros daTaipa que se situa na ZonadeAterrosde PacOn, trata-se apenas de um episódio pontual. O Dr. Lok Iek Long salientou que, a maioria dos residentes de Macau cumpre rigorosamente as regras e as medidas de teste de ácido nucleico de acordo com as instruções transmitidas; Actualmente, o posto realiza diariamente testes de ácido nucleico para mais de 1.000 pessoas, e a situação é bastante satisfatória. Caso as pessoas que haviam feito a marcação prévia do teste, cheguem a tempo, todo o processo poderá ser concluído em 5 minutos. O Governo da RAEM optimizou activamente as instalações vizinhas do posto de teste de ácido nucleico no Terminal Marítimo de Passageiros daTaipa (Pac On), incluindo a instalação provisória de paragens de autocarros. Afirmou que, por ora o teste de ácido nucleico é uma medida normativa, sendo difícil de prever quanto tempo esta medida vai durar. Caso fossem instalados muitos locais de teste, por um lado, isso não favorece a organização dos recursos humanos e, por outro, os residentes poderiam deslocar-se ao local errado, sendo necessário ponderar a conjugação de diversos factores. Além disso, foram tidos em consideração diferentes locais de realização de teste para diversas pessoas: nas instituições médicas para as pessoas confirmadas, suspeitas, ou de contacto próximo, grupos-chave; no posto de teste no Terminal Marítimo de Passageiros daTaipa (Pac On) para pessoas que precisam de entrar e sair de Macau.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 14 de Maio, houve mais vinte e cinco (25) indivíduos submetidos à observação médica, catorze (14) dos quais são residentes de Macau e onze (11) não residentes de Macau. Até ao dia 14 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.372 indivíduos, há 246 indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais, 239 em hotel designado, sete (7) em embarcações de pesca.

Em resposta às perguntas levantadas pelos jornalistas, a Dr.ª Leong Iek Hou indicou que, de harmonia com as políticas de entrada em Macau vigentes, todos os indivíduos que vêm do exterior, de Hong Kong ou de Taiwan estão sujeitos à observação médica por um período de 14 dias, enquanto os do Interior da China têm que apresentar o certificado de teste de ácido nucleico com o prazo de validade de 7 dias. Entretanto, para as pessoas que tenham estado nos últimos 14 dias, na província de Hubei ou nas cidades de Jilin e Shulan da província de Jilin, aquando da sua entrada em Macau, os Serviços de Saúde irão inteirar-se do seu historial de viagem, e, caso seja necessário, serão encaminhadas para realizar o teste de despistagem e aplicar-se-ão outras medidas correspondentes no Centro Hospitalar Conde de São Januário.

No que diz respeito ao incidente da infecção colectiva por salmonelose, a Dra. Leong Iek Hou recomendou que, depois de os cidadãos comprarem os ovos, devem proceder à sua devida limpeza antes de colocá-los no frigorífico, e evitar a ingestão de ovos crus. Se as claras de ovos forem usadas na confecção de sobremesas, os cidadãos também devem evitar, o máximo possível, a sua utilização. Acredita que este incidente foi devido a que a loja em causa não tinha efectuado o tratamento adequado de desinfecção ou esterilização aquando da utilização das claras de ovo que estavam contaminadas com a salmonelose.

Além disso, em relação à preocupação dos jornalistas sobre a existência de vírus nas superfícies dos livros da biblioteca pública, indicou que, existe sempre a possibilidade dos objectos de uso público estarem contaminados com bactérias ou vírus. Por enquanto, já foram implementadas medidas de esterilização nas bibliotecas, mas isto não assegura a eliminação completa das bactérias ou vírus, pelo que apela a todos os cidadãos para adoptarem bons hábitos de higiene, manterem sempre as mãos limpas, e devem evitar o contacto com os seus olhos, nariz ou boca, depois de terem tocado nos objectos públicos, de forma a garantir a sua higiene.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, deu informações sobre o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, referiu a actual situação da cidade, a situação de entradas e saídas de Macau e a criação de uma passagem exclusiva para estudantes transfronteiriços nos postos fronteiriços de entrada e saída, etc..

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ensino Secundário e Técnico-Profissional da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Leong I On, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar