Residentes e turistas provenientes do Interior da China devem antecipadamente efectuar teste de ácido nucleico antes de entrar em Macau / 40 dias sem registo de novos casos

Macau regista 40 dias consecutivos sem novos casos importados de COVID-19

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long fez nota na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que passaram quarenta (40) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Por cinquenta e um (51) dias consecutivos não foi registado nenhum caso relacionado com casos importados.

Macau tem um total de quarenta e cinco (45) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e três (43) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo nem ocorrência de transmissão comunitária em Macau. Quarenta e quatro (44) casos são classificados com sintomas ligeiros e um (1) como caso foi considerado grave. Até ao momento não foram registados em Macau casos mortais.

No total quarenta e quatro (44) doentes recuperaram e tiveram alta hospitalar.

Há, ainda, um (1) doente internado, que é considerado caso ligeiro, encontrando-se em estado estável, sem dificuldade respiratória, não necessitando de oxigénio. Todos os indivíduos considerados contactos próximos em vigilância concluíram as medidas de isolamento. Um (1) doentes internados está a receber tratamentos na enfermaria de isolamento do Centro Clínico de Saúde Pública. Sete (7) pessoas estão sujeitas a isolamento de convalescença no Centro Clínico de Saúde Pública; neste momento, não está ninguém internado no Centro de Isolamento Provisório, situado no Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas.

O número total de testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus realizados em Macau no dia 17 de Maio foi de 1.861.

Relativamente à questão de um jornalista sobre a venda on-line de um certificado de amostragem de teste de ácido nucleico carimbado em Zhuhai ontem, o Dr. Lo Iek Long respondeu que de acordo com o Departamento Municipal de Saúde e Bem-Estar da Cidade de Zhuhai, o caso suspeito na Internet está relacionado com o Hospital de Zhuhai combinado de Medicina Tradicional Chinesa e Ocidental. Esse hospital desenvolveu imediatamente uma investigação, incluindo monitorização de videovigilância, inspecção dos profissionais de saúde no local e verificação de segurança, mas nenhuma situação relevante foi encontrada. Além disso, após a identificação pelo hospital, algumas das fotos que circulam na Internet não foram tiradas nesse hospital. O hospital também entrou em contacto com a pessoa que revelou a foto em circulação e que era portador do certificado de amostragem de teste de ácido nucleico. Essa pessoa esclareceu que ele obteve o certificado através do procedimento normal de teste de ácido nucleico e não sabia a razão pela qual a foto do seu certificado tinha sido divulgada.

A este propósito o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ salientou que, quando os residentes tenham conhecimento de situações anómalas devem, imediatamente, apresentar queixa ao hospital ou ao Departamento Municipal de Saúde e Bem-Estar da Cidade de Zhuhai para que seja aberta uma investigação e a situação seja devidamente acompanhada. Se os factos são apenas de circulação na internet é difícil julgar a autenticidade do incidente e também será muito difícil a sua resolução. Quer seja em Macau ou em Zhuhai, o teste de ácido nucleico é fornecido por instituições designadas. A supervisão e a garantia de qualidade são relativamente controláveis.

Desde as 06h00 do dia 17 de Maio, todos os indivíduos que chegam a Macau provenientes do Interior da China devem apresentar certificado de colheita de amostra para o teste de ácido nucleico com resultado negativo ou certificado de colheita de amostra válido, emitido por instituições qualificadas, reconhecidas pelos Serviços de Saúde ou pelo Interior da China, que se reporte aos últimos sete (7) dias. Na sua falta, os trabalhadores não residentes do Interior da China não podem entrar em Macau. Os residentes de Macau e visitantes serão, por seu turno, submetidos à realização de um teste de ácido nucleico no Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa.

Dr. Lo Iek Long indicou, ainda, que as autoridades competentes não recomendam que os indivíduos adoptem este meio para realização do teste de ácido nucleico, apesar de este tipo de teste ser mesma técnica tal como o exame geral mediante a marcação prévia, mas a natureza dos exames é diferente. Os indivíduos que são encaminhados para a realização do teste de ácido nucleico devido ao não cumprimento de um dos requisitos atravessam procedimentos diferentes dos indivíduos que marquem previamente a realização do teste de ácido nucleico por necessidade de atravessar a fronteira. Os individuos que antecipadamente marcaram o exame, tendo em conta factores como a justiça, têm prioridade na realização do teste de ácido nucleico.

Acresce que quem não marcou antecipadamente o exame tem de preencher todos os formulários necessários e dados associados, sendo impossível obterem um resultado imediato in loco devendo, ainda, efectuar uma deslocação ao Centro Hospitalar Conde de São Januário para levantamento do resultado do teste de ácido nucleico através do pedido de um relatório médico. Este procedimento leva vários dias. Desta maneira, apelou que, os indivíduos que entram em Macau provenientes do Interior da China devem antecipadamente marcar a realização do teste de ácido nucleico para atender às necessidades na prevenção epidémica, sendo que na cidade de Zhuhai também há muitos locais designados para realização do teste de ácido nucleico, o que é muito conveniente.

No que diz respeito às perguntas sobre+ medidas favoráveis transfronteiriças entre Macau e as regiões vizinhas, o Dr. Lo Iek Long acrescentou que, tal como o Chefe do Executivo referiu, quer a promoção das medidas favoráveis transfronteiriças, quer o pedido ao Governo Central para reabrir as viagens individuais, o pressuposto é que a situação epidémica em Macau, quer nas regiões nas quais planeada a circulação seja estável o que envolve a comunicação e coordenação persistentes. Cada política e medida, desde a comunicação, implementação até publicação, implica muitos factores e ajustamento pormenorizado, pois é muito difícil conter uma calendarização clara ou definir os indicadores concretos, enfatizando que, os actuais trabalhos também são direcionados à retoma da passagem de fronteira e a autoridade competente irá divulgar ao público, em tempo atempado, quando estas referidas medidas forem concretizadas.

A Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou, informou que, no dia 17 de Maio, houve mais vinte e três (23) indivíduos submetidos à observação médica, dez (10) dos quais são residentes de Macau e treze (13) não residentes de Macau. Até ao dia 17 de Maio, foram enviados, no total, para a observação médica 4.441 indivíduos, há 302 indivíduos estão ainda em observação médica, dos quais, 301 em hotel designado e um (1) em embarcação de pesca.

A Chefe de Departamento dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, informou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados pelo Governo.

O Chefe da Divisão de Ensino Secundário e Técnico-Profissional da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Leong I On respondeu a perguntas relacionadas com o uso de máscara e a providência de almoço dos estudantes após a o reínicio das aulas, acrescentando ainda que serão realizados teste de ácido nucleico aos estudantes e encarregados de educação transfronteiriços, etc.

O Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai, referiu a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau, etc.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe do Departamento de Licenciamento e Inspecção da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Inês Chan, o Chefe da Divisão de Ensino Secundário e Técnico-Profissional da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Dr. Leong I On, o Chefe da Divisão de Ligação entre Polícia e Comunidade e Relações Públicas, Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar