Cheong Weng Chon: fornecimento de porcos vivos tende a estabilizar e espera-se que o preço volte a ser razoável

O Secretário para a Administração e Justiça, Cheong Weng Chon, reuniu hoje, dia 18, com a Sociedade Nam Kuong, a Sociedade Nam Yue, a China Products & Special Production Co., a Associação dos Comerciantes de Carne Verde Iong Hap Tong de Macau e os proprietários de lojas de venda de carne de porco dos nove mercados, no sentido de transmitir o entendimento que o Governo tem sobre o fornecimento de porcos vivos e o respectivo preço de retalho e de auscultar as opiniões do sector.

O Secretário para a Administração e Justiça, Cheong Weng Chon, reuniu hoje, dia 18, com a Sociedade Nam Kuong, a Sociedade Nam Yue, a China Products & Special Production Co., a Associação dos Comerciantes de Carne Verde Iong Hap Tong de Macau eos proprietáriosde lojasde venda decarnede porco dos nove mercados, com o objectivo não só de transmitir a posição que o Governo tem sobre o fornecimento de porcos vivos e o respectivo preço de retalho, como também de auscultar as opiniões do sector. O Secretário indicou que nos últimos dias o fornecimento de porcos vivos tem vindo a ser mais regular e que a entrada em funcionamento, no corrente mês, do ponto de trânsito de animais vivos, em Doumen, contribuirá para o fornecimento abundante de porcos vivos, pelo que, solicitou ao sector que reduza o preço de retalho para um nível razoável, assumindo, assim, a devida responsabilidade social.

O Secretário adiantou, ainda, que sendo os mercados recursos públicos disponibilizados para a venda de carnes, vegetais e outros produtos fundamentais para a vida da população, o Governo, como administrador desses mercados, tem a responsabilidade de regular a ordem durante o seu funcionamento e de promover o preço justo e transparente dos produtos. Ao envidar esforços para garantir o fornecimento regular, o Governo combate empenhadamente o aumento exorbitante do preço de produtos alimentares frescos e outros comportamentos que prejudiquem os direitos e interesses legais dos consumidores.

O Secretário referiu também que desde o início do presente mês que o fornecimento de porcos vivos, a Macau, tem vindo a aumentar, atingindo um nível razoável, sublinhando que na semana passada registou-se a venda diária de cerca de duzentos porcos, o que correspondeu a um aumento de 20% em comparação com o início do mês. Com a entrada em funcionamento do ponto de trânsito de Doumen é possível encontrar fontes de abastecimento fora da Província de Guangdong, o que contribuirá para a estabilidade e, até, aumento do fornecimento. A razão alegada, pelo sector, sobre o aumento do preço de retalho prende-se com o fornecimento insuficiente de animais, motivo que embora já não se verifique, não se reflecte, porém, no preço de retalho de porcos vivos praticado nos mercados, o qual encontra-se ainda muito elevado, não tendo, pois, baixado a um valor razoável.

Ainda no que concerne à venda de porcos vivos nos mercados, o Governo tomou, recentemente, uma série de medidas, como, por exemplo, exigir que os proprietários fixem claramente os preços e que sejam accionadas rigorosas verificações dos actos de distribuição de produtos sem loja ou da venda parcial dos produtos recepcionados por parte dos comerciantes. O Secretário sublinhou que o Governo irá estudar a revisão do regime de distribuição de porcos vivos, por forma a que este promova o aumento da justiça e da transparência dos procedimentos e salvaguarde os direitos e interesses dos consumidores e do sector.

A Sociedade Nam Kuong e a Sociedade Nam Yue afirmaram que o fornecimento de porcos vivos, em Macau, em Maio tem continuado a aumentar, prevendo-se que o fornecimento diário desta semana seja de duzentos e trinta porcos. Concluída que está a construção de infraestruturas do ponto de trânsito de Doumen, esperam que entre, em breve, em funcionamento. Ao mesmo tempo, alargaram a origem dos fornecedores à Província de Hunan. A Associação dos Comerciantes de Carne Verde Iong Hap Tong de Macau eos proprietáriosde lojasdos mercados corroboram o entendimento de que os comerciantes foram afectados, nos últimos tempos, devido ao parco fornecimento de carne suína, o qual se repercutiu na instabilidade do preço. Agora todos esperam que o fornecimento possa manter-se adequado, tendo manifestado a sua intenção de colaborarem para o sucesso dos trabalhos promovidos pelo Governo da RAEM.

A peste suína africana tem tido negativo impacto no fornecimento de carne de porco em todo o País, conduzindo à instabilidade no fornecimento de carne a Macau. Apesar de se ter mantido inalterado, a partir de 11 de Janeiro do corrente ano, o preço de venda a grosso de porcos vivos, MOP 3.090,00 por picul, o preço de venda a retalho da carne suína fresca tem continuado a aumentar, o que chamou progressivamente a atenção da comunidade. O Governo da RAEM para além de solicitar às duas supra mencionadas sociedades que encontrem soluções que garantam o aumento do fornecimento, acelerem a articulação com o ponto de trânsito de Doumen e mantenham o fornecimento regular, irá reforçar medidas de controlo dos preços, divulgando diariamente o preço mais baixo e o mais elevado da carne suína fresca, de modo promover a transparência do mercado. Para isso recorrerá aos meios de comunicação electrónica, bem como a aplicações de telemóvel.

Participaram também na reunião o presidente do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais do Instituto para os Assuntos Municipais, José Maria da Fonseca Tavares e a Administradora, Ung Sau Hong.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar