A DSPA realizou um simulacro de incidentes de emergência nas infra-estruturas ambientais

A DSPA realizou um simulacro de incidentes de emergência nas infra-estruturas ambientais.

A Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) realizou hoje (dia 5) um simulacro nas infra-estruturas ambientais, com vista a elevar a sua capacidade de resposta a emergências em caso de passagem de tufões ou outras situações de emergência.

O exercício simulou a passagem de um super tufão por Macau, provocando cortes de electricidade, de água e inundações. A DSPA activou o plano de contingência, ajustando, com a colaboração da empresa operadora, o funcionamento da Central de Incineração de Resíduos Sólidos de Macau (CIRSM) e utilizando os recursos de backup para assegurar o funcionamento normal das instalações. No decorrer do exercício foi simulado o corte da ligação da rede pública de energia por parte da CIRSM uma vez que a rede se encontrou instável e, neste sentido, a CIRSM adoptou o modo de “ilha isolada” para garantir o normal funcionamento da Central aquando do apagão. O simulacro incluiu, por outro lado, a instalação prévia de comportas, em situação de inundação, no posto de transformação da Estação de Tratamento de Águas Residuais do Parque Industrial Transfronteiriço de Macau, a fim de assegurar o seu normal funcionamento. Para além disso, foi simulado ainda o cenário de surgimento da grande quantidade de resíduos resultantes da passagem do tufão e, para fazer face à acumulação destes resíduos, a CIRSM operou, sob a coordenação da DSPA, todos os incineradores, reforçando os recursos humanos de forma a coordenar a entrada dos camiões na CIRSM e, simultaneamente, colocou placas com avisos sobre a triagem de deposição de resíduos, tratando com prioridade os resíduos sólidos, nomeadamente resíduos domésticos e resíduos que se degradam facilmente, tendo os de madeira sido desviados para o Aterro para Resíduos de Materiais de Construção. Foi também reforçada a mão-de-obra junto da plataforma de despejo de resíduos de modo a facilitar a descarga de resíduos, e foram determinadas entradas específicas para camiões de carga e para a CSR - Companhia de Sistemas de Resíduos, Limitada, para acelerar o despejo de resíduos. Ao mesmo tempo, o horário de funcionamento do Aterro para Resíduos de Materiais de Construção passou a ser de 24 horas com vista a receber e tratar de forma atempada os resíduos acumulados.

O simulacro correu bem e, posteriormente, a DSPA realizou uma reunião de balanço com a empresa operadora para efeitos de revisão e aperfeiçoamento dos procedimentos. Espera-se que, através do simulacro, se possa elevar a capacidade de resposta a emergências, quer do pessoal quer das instalações, bem como minimizar o impacto derivado do tratamento de resíduos em caso de incidentes de emergência.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar