Registou-se em Macau mais um novo caso confirmado de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus Número de quotas diárias de isenção de observação médica de isolamento aumenta para 3.000 a partir de amanhã

Novo caso confirmado de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus em Macau

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long relatou, na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus que, até ao dia 26 de Junho, não há qualquer transmissão comunitária de COVID-19 em Macau. Já decorreram noventa (90) dias desde que foi diagnosticado o último caso de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus (também não foi registado nenhum caso de infecção assintomática), mas ontem foi diagnosticado um caso importado. Macau tem um total de quarenta e seis (46) casos diagnosticados, dos quais, quarenta e quatro (44) são casos importados e dois (2) são casos relativos a casos importados. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais. Todos os doentes recuperados concluíram as medidas de isolamento de convalescença. Neste momento, não há nenhum contacto próximo em observação médica.

Nos dias 24 e 25 de Junho, foram realizados um número total de 5.541 testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em Macau.

Desde 21 de Janeiro até 25 de Junho, foram realizados um número total de 133.331 testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em Macau.

O Médico-Adjunto da Direcção referiu que o paciente do 46.º caso é um residente de de Macau, de nacionalidade filipina, com 57 anos de idade e histórico da diabetes. No presente momento, o paciente não apresenta febre nem sintomas respiratórios. O exame de tomografia computadorizada mostra a existência de pneumonia em dois pulmões. O Centro Hospitalar Conde de São Januário já forneceu tratamento antiviral ao paciente, encontrado-se o mesmo numa condição clínica estável.

O médico adjunto referiu que o paciente do 46.º caso é um residente de nacionalidade filipina de Macau, 57 anos, com histórico de diabetes. No momento, o paciente não apresenta febre nem sintomas respiratórios. Os exames computadorizados mostram a pneumonia em dois lados de pulmões. O Centro Hospitalar Conde de São Januário já forneceu tratamento antiviral para o paciente, tendo o mesmo estado numa condição estável.

Ao mesmo tempo, relativamente ao pedido de isenção da observação médica de isolamento por 14 dias para os residentes de Macau que entrem em Zhuhai, após várias comunicações entre Macau, Zhuhai e Província de Guangdong, bem como os esforços levados a cabo pelo Governo da RAEM, anunciou que, a partir de amanhã (27 de Junho), o número de quotas diárias de isenção de observação médica de isolamento será aumentado de 1.000 para 3.000, de forma a atender às necessidades de mais residentes de Macau em actividades transfronteiriças.

Em resposta a um jornalista sobre se este novo caso de infecção irá a afectar as actuais medidas de flexibilização na passagem transfronteiriços entre os três locais, o Médico-Adjunto da Direcção apontou que Macau lançou, a partir de 17 de Junho, um serviço marítimo especial pelo período de um (1) mês, e já se antecipava a ocorrência de novos casos de infecção. Contudo, sublinhou que a ênfase do trabalho de prevenção da epidemia é mitigar o risco de transmissão comunitária através da delineação de planos e procedimentos de contingência, e que este caso importado também veio confirmar a eficácia das medidas de prevenção da epidemia preconizadas em Macau.

O paciente foi imediatamente sujeito ao teste do ácido nucleico viral no posto fronteiriço de Macau e foi-lhe confirmado o resultado positivo durante o período de isolamento. Em seguida, foi submetido ao tratamento médico, pelo que não há risco de transmissão comunitária em Macau. Por conseguinte, este caso não afectará as políticas e medidas de flexibilização transfronteiriça que as autoridades de Macau e doutros locais estão a negociar. Mencionou ainda que, a taxa de infecção da segunda fase de surto da epidemia em Macau foi cerca de 0,9%, mas como a situação epidémica a nível mundial está em constante mudança, os dados históricos não podem ser usados para inferir futuras taxas de infecção.

Durante os primeiros 10 dias desde o lançamento do serviço marítimo especial, os resultados de testes de ácido nucleico dos primeiros 9 dias indicam que há uma (1) infecção em cada 620 pessoas diagnosticadas, o que equivale a uma taxa de infecção de 0,16%, sendo uma boa situação provisória. O Médico-Adjunto da Direcção acredita que desde que o Governo de Macau elaborou os planos de contingência e trabalhos preparatórios suficientes, os residentes não precisam de estar muito preocupados.

Além disso, a partir de amanhã, o Centro de Coordenação de Contingência exige que as pessoas com partida de países com grave situação epidémica apresentem um certificado de ácido nucleico antes de apanharem o barco especial para Macau. O Médico- Adjunto da Direcção afirmou que quando as autoridades definiram a lista de países e regiões relevantes, teve como pressupostos principais: (i) a evolução da epidemia, e (ii) as medidas de prevenção da epidemia desses locais. Relativamente à inclusão de pessoas com partida de outros países para apresentação de um certificado no futuro, reiterou que a situação epidémica a nível global está em constante mudança, e o Governo da RAEM ajustará dinamicamente as medidas consoante a situação epidémica mais recente de todos os países.

Por fim, relativamente à questão sobre se o Centro de Coordenação de Contingência tem capacidade de detecção suficiente ou não, respondeu que, desde o início da epidemia global, as capacidades de prevenção e controlo de Macau têm sido continuamente consolidadas. Inicialmente, Macau conseguia realizar o teste de ácido nucleico a 6 mil pessoas por dia. Com a aquisição contínua de instrumentos de testes e reagentes pelas autoridades e o aumento de pessoal qualificado para a testagem e a amostragem, a actual capacidade de teste de ácido nucleico ascende a 16 mil pessoas por dia. Apelou uma vez mais àqueles que vão efectuar o teste de ácido nucleico para se dirigirem ao local de testagem no horário marcado, de forma a evitar a concentração de pessoas.

Em termos de observação médica realizada em Macau, a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou disse que entre os dias 24 e 25 de Junho, houve 94 e 70 indivíduos, respectivamente. No total, foram enviados para a observação médica 6.177 indivíduos. Há, ainda, 1.126 indivíduos em observação médica, dos quais 1.114 indivíduos num hotel designado, onze (11) indivíduos em embarcação de pesca e onze (11) indivíduos nas instalações dos Serviços de Saúde.

Ao mesmo tempo, fez a apresentação do 46.º caso confirmado de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus, que é um doente, nacional das Filipinas, com 57 anos de idade, residente de Macau e técnico de engenharia. Presentemente, o doente alega que não tem qualquer sintoma de desconforto. Em finais de Janeiro, saiu de Macau para as Filipinas, e morava com a esposa na sua residência em Manila.

Durante esse período, na maioria das vezes ambos ficavam na sua residência em Manila devido à ordem de confinamento (Stay-at-home order); o doente alegou que a esposa tinha apresentado sintomas como tosse, em meados de Junho. A 20 de Junho, o doente levou a esposa de carro à clínica para consulta médica e só ela tinha saído do carro para aquisição de material de uso corrente. O doente ficou à espera no carro e alegou usar sempre a máscara quando saiu à rua.

No dia 25 de Junho, o doente partiu do Aeroporto Internacional de Malina (voo CX906 da Cathay Pacific, hora de partida: 10h45, assento 42A) para o Aeroporto Internacional de Hong Kong e, à tarde apanhou o barco especial (assento 31D, hora de partida: 14h00) para Terminal Marítimo de Passageiros da Taipa. O doente alegou que usava máscara durante todo o voo e no barco e não apresentou sintomas de febre nem de desconforto aquando da entrada;

Após a colheita da amostra no Terminal referido, o mesmo foi enviado ao hotel Sheraton Grand Macao, para observação médica em isolamento. O doente nunca teve contacto no seio da comunidade de Macau. A amostra do teste de zaragatoa nasofaríngea mostrou resultado positivo e foi diagnosticado com pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus. Presentemente, o estado de saúde do doente é considerado normal, encontrando-se internado na enfermaria de isolamento do CHCSJ para tratamento.

A esposa, e os passageiros que estiveram no mesmo voo, nos assentos dianteiros e traseiros de 3 filas são classificados como indivíduos de contacto próximo. Após investigação, não há registo de residentes de Macau ou de pessoas que haviam regressado a Macau. Os Serviços de Saúde já enviaram para o Centro da Protecçãp de Saúde do Departamento de Hong Kong as informações relacionadas com o voo para efeitos de notificação.

Os passageiros dos assentos dianteiros e traseiros de 3 filas que estiveram no mesmo barco especial com o doente, já foram enviados para observação médica por 14 dias em hotéis designados. O primeiro teste de ácido nucleico foi negativo. Os Serviços de Saúde irão proporcionar aos passageiros envolvidos um teste adicional de ácido nucleico.

Relativamente às pessoas oriundas de países com grave situação epidémica devem apresentar o comprovativo teste de ácido nucleico para apanhar o barco especial, no entanto, esta lista não inclui regiões ou países de alto risco como os Estados Unidos de América (EUA), a Dr.ª Leong Iek Hou explicou que o número de casos confirmados nos EUA é elevado devido à realização de muitos testes de ácido nucleico, daí um grande número de doentes detectados precocemente.

A elaboração de lista pela autoridade, teve em conta principalmente as regiões ou países de onde vieram os doentes diagnosticados que regressaram a Macau ou a Hong Kong recentemente, e tomando como referência Hong Kong, a maioria dos novos casos são casos importados, oriundos sobretudo de países do sul ou sudeste asiático, e não da Europa nem dos Estados Unidos da América. Com base nas políticas de detecção e diagnóstico desses países, observa-se que o número divulgado de diagnósticos confirmados é baixo e o número total de detecções não é muito elevado, o que pode levar a que muitos casos não tenham sido encontrados. De modo a assegurar que as pessoas que entram em Macau não são portadoras do vírus, e proteger a segurança das pessoas que regressam a Macau, quer em aviões, quer em embarcações, é necessário haver requisitos mais rigorosos para as pessoas provenientes dessas regiões ou países. As autoridades irão fazer a monitorização de perto e proceder ao ajustamento da lista a qualquer momento, em consonância com o desenvolvimento da epidemia a nível mundial.

Além disso, em relação a um eventual risco de contágio do novo caso aos passageiros e trabalhadores do barco especial, a Dr.ª Leong Iek Hou explicou que o risco de infecção aos passageiros do barco especial é mais alto, comparativamente aos passageiros das embarcações normais, deste modo, os Serviços de Saúde proporcionaram aos trabalhadores do barco espacial vários regulamentos, orientações e formações sobre o controlo da infecção, bem como todos os trabalhadores usam equipamentos de protecção individual, segundo a natureza da prestação de serviços a bordo.

Após a ocorrência do novo caso confirmado, os Serviços de Saúde acompanham de perto a situação desses trabalhadores, e todos os trabalhadores que estiveram no mesmo barco com o doente já implementaram as medidas de protecção de acordo com as diretrizes emitidas. A par disso, os trabalhadores do barco especial são obrigados a realizar testes de ácido nucleico a cada 7 dias e os Serviços de Saúde irão proporcioná-los um teste adicional de ácido nucleico passados alguns dias.

Lau Fong Chi relatou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados, o número total de pessoas inscritas que regressaram ao Terminal Marítimo Pac On do Aeroporto Internacional de Hong Kong e o número total de bilhetes de barco vendidos do Terminal Marítimo Pac On para o Aeroporto Internacional de Hong Kong e deu as respostas relevantes.

O Chefe, Lei Tak Fai relatou a actual situação da cidade e a situação de entradas e saídas de Macau. Informou ainda que, a partir do dia 26 de Junho, foi iniciado a medida de apoio a idosos com 65 anos de idade para o pedido de isenção da observação médica de isolamento por 14 dias em Zhuhai, no Edifício de Serviços de Migração do Corpo de Polícia de Segurança Pública, e que essa medida é destinada apenas à ajuda dos idosos que não dominam o uso do computador para inserção de dados no sistema electrónico, sem haver lugar a qualquer prioridade, e que o pedido carece da devida autorização após o seu registo.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, a Chefe da a Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lau Fong Chi, o Chefe da Divisão de Relações Públicas do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Lei Tak Fai e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar