Aeroporto realiza exercício de segurança para simular a emergência da ameaça de bomba

O " Exercício de Segurança no Aeroporto 2020 sobre Ameaça de Bomba " foi realizado no Aeroporto Internacional de Macau na tarde de 23 de Julho de 2020 para simular a activação do Plano de Emergência do Aeroporto em resposta à descoberta de uma suspeita de bomba numa bagagem registada durante o rastreio de segurança no terminal de passageiros.

Para testar a capacidade dos planos de emergência e dos planos de acção das entidades e a competência do pessoal no tratamento de emergências de segurança da aviação, as entidades governamentais e os operadores de aviação envolvidos na segurança aeroportuária realizaram conjuntamente o "Exercício de Segurança no Aeroporto 2020 sobre Ameaça de Bomba" no Aeroporto Internacional de Macau em 23 de Julho de 2020 para simular a activação do Plano de Emergência do Aeroporto em resposta à descoberta de uma suspeita de bomba numa bagagem registada durante o rastreio de segurança no terminal de passageiros.

O exercício teve lugar entre as 14h30 e as 17h00 de ontem, que simulou o cenário da descoberta de uma suspeita de bagagem pelo inspector de segurança durante os procedimentos de rastreio no terminal de passageiros. O inspector de segurança do aeroporto solicitou ao passageiro da bagagem suspeita que passasse pela segunda ronda de rastreio que depois fugiu. Os inspectores de segurança revistaram a bagagem e encontraram nela uma bomba suspeita, tendo imediatamente denunciado o caso à superior e à polícia. O Centro de Operação de Emergência do Aeroporto foi activado e os representantes de todas as entidades envolvidas chegaram ao centro para lidar com a crise. A polícia e os inspectores de segurança isolaram a área e evacuaram as pessoas, durante a qual encontraram o suspeito e o prenderam. O grupo de análise e avaliação de ameaças de bomba foi chamado ao aeroporto para examinar a bomba suspeita e confirmou que a mesma era genuína. A bomba foi cuidadosamente removida para a área de protecção no aeroporto e detonada. O suspeito foi entrevistado e descoberto a contrabandear a bomba para Macau por conduzir ataques no território. O grupo de análise e avaliação de ameaças de bomba efectuou uma busca exaustiva no terminal de passageiros e confirmou que não havia outras bombas suspeitas na área. O comandante acabou por remover o cordão no terminal de passageiros.

O exercício foi coordenado pelo Corpo de Polícia de Segurança Pública, o exercício da ameaça de bomba envolveu a participação dos Serviços de Polícia Unitários, dos Serviços de Alfândega, da Polícia Judiciária, do Corpo de Bombeiros,dos Serviços de Saúde, da Direcção dos Serviços de Assuntos Marítimos e de Água, da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfegos, da Autoridade de Aviação Civil, da CAM - Sociedade do Aeroporto Internacional de Macau, S.A.R.L., de Macau Security Company Ltd. (segurança do aeroporto), de Menzies Macao Airport Services Ltd, da Air Macau Company Ltd, da AirAsia, da EVA Airways, de Starlux Airlines e entre outros. Cerca de 120 participantes tomaram parte no exercício que foi considerado sucesso.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar