115 dias consecutivos sem casos COVID-19 em Macau

115 dias consecutivos sem casos COVID-19 em Macau

O Médico-Adjunto da Direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), Dr. Lo Iek Long na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus fez nota, quarta-feira, 22 de Julho, que já não é registada qualquer transmissão na comunidade de COVID-19, há 115 dias e já passaram 26 dias sem diagnósticos de casos importados.

Macau diagnosticou, até à data quarenta e seis (46) casos, dos quais, quarenta e quatro (44) são casos importados e só dois (2) são relativos a casos importados. Quarenta e seis (46) pessoas já tiveram alta. Não há registo de qualquer infecção entre os profissionais de saúde nem casos mortais. Actualmente, no Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane, há um doente em tratamento de convalescença. 45 pacientes recuperados concluíram o isolamento do período de convalescença, não há nenhum caso de contacto próximo em observação médica.

Nos dias 20 e 21 de Julho, foram realizados 27.537 testes de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em Macau.

Durante a conferência de imprensa foi anunciado que as autoridades aumentaram o número de testes de ácido nucleico e até ao momento, a implementação das medidas tem estado a correr bem, hoje, o número testes aumentou para 11.000 e provavelmente este número irá satisfazer, as necessidades transfronteiriças dos residentes de Macau.

Relativamente à situação do menino de 7 anos suspeito de ingerir uma parte da zaragatoa durante a recolha de amostra de orofaringe o Dr. Lo Iek Long referiu que a zaragatoa nasofaríngea, que os Serviços de Saúde estão a usar, tem mais vantagens do que zaragatoa orofaríngea, quer pela sua taxa positiva, quer pela segurança, no entanto, os residentes têm suas próprias preferências pelos dois métodos de teste, sendo assim, os Serviços de Saúde vão mantê-los. Em relação a este caso, a situação ocorrida está prevista nas possíveis complicações contudo, ainda, não há informação clara que indique a existência da culpa do operador, portanto, não parece preliminarmente constituir um erro médico.

As autoridades já solicitaram à Companhia de Higiene Exame Kuok Kim (Macau) Limitada a apresentação de um relatório sobre o incidente, o que irá ser analisado de forma concreta e, caso se verifique algum erro, será tratado de forma imparcial.

O Dr. Alvis Lo referiu, ainda, que os Serviços de Saúde e Companhia de Higiene Exame Kuok Kim já efectuaram, durante o período de epidemia, um grande número de testes de ácido nucleico. Se ocorrer alguma complicação dentro do que é considerada uma situação normal, ou controlada, isso não pode ser considerado como erro médico. “Não é justo para os esforços feitos pelos funcionários responsáveis pela recolha de amostra. Ao mesmo tempo, o Governo da RAEM dispõe de mecanismos para que os residentes possam exercer o seu direito de exigir responsabilidades e solicitar um relatório de perícia à Comissão de Perícia do Erro Médico, ou utilizar os serviços do Centro de Mediação de Litígios Médicos, caso os residentes queiram seguir os procedimentos judiciais, podem também exercer os respectivos direitos. “

Sobre a eventual adequação organizacional do processo de triagem dos testes de ácido nucleico, o Dr. Alvis Lo afirmou que “o constante aumento diário do número de marcação de testes de ácido nucleico, se todos os requerentes fossem submetidos a testes no posto de teste em Pac On, existiria uma grande possibilidade de ocorrerem multidões. Com o objectivo de atender às necessidades dos idosos, alunos do ensino primário e secundário, bebés e crianças, bem como portadores do cartão de deficiência ou portadores de doenças do cartão de assistência médica foi previsto que estas situações sejam especialmente atendidas no Fórum de Macau. Esse é um ajuste dinâmico feito em resposta às necessidades reais. Como exemplo, terça-feira, dia 21, as autoridades fizeram triagem de algumas pessoas que não pertencem às quatro categorias destinadas ao Fórum de Macau.

O Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, explicou, ainda, que não é necessário rever a capacidade de teste da região. Essa capacidade não se deve basear em números absolutos, mas sim em proporções demográficas, actualmente, em Hong Kong, há uma capacidade diária de testes de verça de 105 pessoas por cada 100.000 habitantes. Em Pequim essa capacidade diária é de 1.400 pessoas. Em Macau, actualmente, há uma capacidade de cerca de 2.400 testes diários por 100.000 habitantes. Talvez seja possível, no futuro, criarem-se mais parceiros para a realização de testes de ácidos nucleicos virais de modo a aumentar o número de teste .

O actual volume de testes já pode satisfazer as necessidades transfronteiriças dos residentes e basicamente, aqueles que necessitam atravessar a fronteira já conseguem fazer a marcação. Para responder a possíveis mudanças epidémicas, as autoridades, também, têm de manter a capacidade e recursos para as necessidades médicas básicas. Caso alguns indivíduos com necessidades urgentes ainda não consigam fazer a marcação, os 8 locais subordinados ao IAS poderão prestar assistência.

Em termos de observação médica realizada em Macau, a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infeciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde, Dr.ª Leong Iek Hou, disse que entre os dias 20 e 21 de Julho, mais 96 e 59 indivíduos, respectivamente, foram submetidos à observação médica, 74 dos quais são residentes de Macau e 81 não residentes de Macau. No total, foram enviados para a observação médica 8.923 indivíduos. Há, ainda 1.522 indivíduos em observação médica dos quais 1.508 em hotel designado, treze (13) em embarcações de pesca, um (1) no domicílio.

A Dr.ª Leong Iek Hou, referiu, ainda, que face às actuais políticas de entrada do Interior da China, as pessoas munidas com passaporte estrangeiro ainda não podem entrar, temporariamente, no Interior da China. Estes indivíduos que eventualmente permaneçam no Interior da China só podem entrar em Macau se possuírem documento comprovativo de residente de Macau (não é aceite passaporte de nacionalidade estrangeira).

Em relação ao assunto do menino ter trincado a zaragatoa durante o processo de recolha de amostra por via de orofaringe, a Dr.ª Leong Iek Hou disse que devido ao desenvolvimento mental imaturo das crianças, ao seu estado nervoso e desconforto aquando da recolha de amostra nasofaríngea ou orofaríngea, é fácil uma criança manifestar resistência ou barafustar, pelo que apelou aos pais que devem acalmar as crianças no local onde se realizam as recolhas de amostras e colaborar com o trabalho do pessoal no local. O trabalho de recolha de amostras tem sido aplicado de forma pediátrica, sendo todo o processo realizado num curto período de tempo e não causa grande desconforto.

A Dra. Lau Fong Chi dos Serviços de Turismo relatou o número de pessoas em observação médica em hotéis designados. Adiantou ainda que já foram abertas as inscrições para o programa da segunda fase “Macao Ready Go! Local Tours”, entre os novos itinerários, o “Passeio de experiência de helicóptero” foi muito popular, o que levou a uma avaria do sistema informático, pelo que a inscrição, para este itinerário, teve de ser temporariamente suspensa, por esse motivo nenhum residente teve a sua inscrição validada. As autoridades estão a negociar com a empresa de serviços de helicóptero a possibilidade de aumentar o número de vagas ou de excursões, bem como rever e optimizar o projecto do sistema e o processo de inscrição. A inscrição para este itinerário estará novamente aberta ao público amanhã.

O Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong relatou a actual situação da cidade, a situação de entradas e saídas de Macau, referindo que tem havido um aumento do número de pessoas que passam a fronteira e a maioria das quais optaram por sair das Portas do Cerco, pelo que a polícia vai enviar mais pessoal para manter a ordem. Quando a multidão atingir a um certo número, serão implementadas medidas de controlo de multidões. Se existir uma subida contínua no número de pessoas, as companhias de transporte público serão notificadas a deixar os passageiros, com antecedência, numa paragem de autocarros anterior ao Terminal de Autocarros das Portas do Cerco, para evitar que muitas pessoas se reúnam no mesmo local, organizando também alguns autocarros gratuitos para transportar os indivíduos que pretendem passar a fronteira para Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau. O Dr. Ma Chio Hong relembrou as pessoas que queiram passar a fronteira devem converter o Código de Saúde com antecedência para evitar obstruções de acesso às fronteiras. Relativamente ao grande fluxo de pessoas no local de realização de testes do ácido nucleico no Fórum de Macau, o mesmo responsável referiu que, além de enviar pessoal para manter a ordem, as autoridades têm dado atenção à situação dos idosos, grávidas ou dos indivíduos com dificuldade de movimentação, prestando-lhes ajuda, para que estes possam concluir, o mais rápido possível, o teste de ácido nucleico.

Estiveram presentes na conferência de imprensa o Médico-Adjunto da Direcção do CHCSJ, Dr. Lo Iek Long, o Chefe da Divisão de Operações e Comunicações do Corpo de Polícia de Segurança Pública, Dr. Ma Chio Hong, a Chefe da Divisão de Relações Públicas da Direcção dos Serviços de Turismo, Dr.ª Lau Fong Chi, e a Coordenadora do Núcleo de Prevenção de Doenças Infecciosas e Vigilância de Doença do Centro de Prevenção e Controlo da Doença, Dr.ª Leong Iek Hou.

Ver galeria


Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar