Serviços de Saúde apelam a grupos de alto risco que administrem vacina antigripe no mais curto espaço de tempo possível


O Director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion, em resposta a questões dos jornalistas à margem de um evento afirmou que até à data e desde que iniciou o programa de vacinação antigripe deste ano cerca de 70.000 residentes já foram vacinados o que representa um aumento entre 10 % a 20%, comparativamente ao mesmo período do ano passado. Os Serviços de Saúde adquiriram este ano 180 mil doses de vacinas, uma quantidade superior ao ano passado (160 mil), daí que a actual situação seja positiva em Macau fruto das campanhas de sensibilização. O público entende a importância da vacinação e o incidente registado na Coreia do Sul com a vacina antigripe não causou impacto em Macau.

Residentes de alto risco devem ser vacinados o mais rápido possível

O director dos Serviços de Saúde enfatizou que os Serviços de Saúde têm estado a acompanhar de forma muito próxima e atenta a situação na Coreia do Sul e de acordo com os dados recentes, das autoridades sul-coreanas, foi detectado que as vacinas que estão relacionadas com os incidentes envolvem 37 lotes produzidos por 7 fabricantes, ou seja não estão exclusivamente concentradas a uma vacina de determinada instituição médica ou relacionadas com um único lote de vacinas.

Especialistas coreanos já concluíram que a possibilidade de morte causada por uma qualidade anormal de vacinas ou procedimentos de vacinação incorrectos é baixa. A este propósito o director dos Serviços de Saúde de Macau acrescentou que os problemas relacionados com vacinas podem envolver diferentes factores e algumas pessoas com doenças crónicas podem morrer independentemente de serem vacinadas ou não. Pacientes com doenças crónicas têm um sistema imunológico enfraquecido e apresentam maior risco de complicações e morte após a infecção.

Os lotes de vacinas contra influenza disponíveis em Macau são diferentes da Coreia do Sul, e o fabricante dessas vacinas responde por mais de 50% do mercado global. Muitos países desenvolvidos também estão a disponibilizar essa vacina. As vacinas foram descontinuadas em Singapura, mas nesta região a prevalência da gripe é baixa e não há Inverno, daí a necessidade de vacinação ser inferior às regiões onde há Inverno. De qualquer forma, o Dr. Lei Chin Ion apelou aos residentes de Macau para que procedam à vacinação já que essas é a melhor forma de prevenir complicações e riscos de morte por gripe tendo recomendado que os indivíduos de alto risco sejam vacinados o mais rápidamente possível.

Medidas preventivas da COVID-19 não podem ser levantadas completamente

Quanto ao ajuste de medidas preventivas contra a COVID-19, o Lei Chin Ion explicou que a situação da epidemia na Europa nas últimas semanas ainda é grave e a situação epidémica no Interior da China está estável, mas após consideração cuidadosa, foi estabelecido que as medidas não podem ser levantadas de um modo total em Macau, só medidas mais flexíveis destinadas a regiões ou países de baixo risco (como por exemplo, o Interior da China).

O dr. Lei Chin Ion divulgou que está a ser considerada a autorização para pedidos de isenção efectuados por trabalhadores não residentes, de acordo com as circunstâncias reais. Ao analisar os pedidos destes indivíduos, as autoridades irão avaliar a sua necessidade e riscos para Macau sendo que caso sejam autorizados estes devem cumprir com as medidas de observação médica após a entrada em Macau.

Em termos de aquisição de vacinas para prevenir a COVID-19 o director dos Serviços de Saúde sublinhou que todos os países do mundo estão à espera dos resultados da 3ª fase do teste de várias empresas farmacêuticas. O Governo de Macau está negociar com seis (6) empresas farmacêuticas sobre a aquisição de 1,4 milhão de doses da nova vacina contra a COVID-19, mas o preço não está estável porque a maioria dos fornecedores de vacinas ainda não conseguiu determinar o preço.

Até ao momento, cada dose da vacina custa cerca de 300 MOP.

Segundo a OMS e o Programa Global de Imunização com Vacina a distribuição de vacinas será feita por população e níveis económicos dos diferentes países e regiões, portanto, os países e regiões pobres ou de alto risco têm prioridade na recepção das vacinas. A chegada das vacinas a Macau pode ser relativamente mais tarde.

O Dr. Lei Chin Ion, ainda explicou que o orçamento antiepidémico da RAEM é uma despesa extra, com o objectivo de adquirir vacinas suficientes para a protecção do público. Disse, ainda, que desde a implementação do Plano de Fornecimento de Máscaras aos Residentes de Macau, foram vendidas cerca de 150 milhões de máscaras com um custo de cerca de 300 milhões sendo que foram obtidos aproximadamente 100 milhões de patacas com a venda das máscaras.

Corte de despesas orçamentais não afecta residentes

Em resposta à questão sobre eventuais cortes e redução das despesas orçamentais para o próximo ano, o Dr. Lei Chin Ion salientou que os Serviços de Saúde procederam a um corte de despesas em cerca de 3%, principalmente, com a redução de missões oficiais ao exterior e de despesas não essenciais. Uma vez que as despesas de medicamentos sempre representam a maior parte do orçamento da saúde e a procura de serviços médicos pelos residentes tem aumentado, a redução orçamental será baseada com o princípio de não afectar os preços dos medicamentos e serviços disponíveis actuais, a fim de garantir não ter impacto ao público.

Construção de instalações de saúde decorrem de modo ordenado

Relativamente aos procedimentos contratuais e de construção das actuais de instalações médicas, o director dos Serviços de Saúde, Dr. Lei Chin Ion explicou que o valor total do investimento no Centro de Saúde da Praia do Manduco é cerca de 400 milhões MOP e que durante o ano de 2021 não será inaugurado nenhum novo centro de saúde. O futuro Centro de Saúde Seac Pai Van está em obras e a sua inauguração está prevista para o ano de 2022. Antes da entrada em funcionamento desse centro, o Posto de Saúde Provisório Seac Pai Van irá aumentar as valências na lógica da procura dos residentes. Consoante haja necessidades elas serão disponibilizadas

O director dos Serviços de Saúde explicou que tem havido um acompanhamento do programa de construção do Hospital das Ilhas. Actualmente, todos os trabalhos estão a decorrer conforme o programa e a conclusão está prevista para os finais de 2022, bem está previsto que o hospital seja inaugurado em 2023. Uma parte dos trabalhos preliminares estão em preparação de forma dinâmica, incluindo a aquisição de aparelhos e reforço de formação dos funcionários, entre outros.



Há algo de errado com esta página?

Ajude-nos a melhorar o GOV.MO

* Campo obrigatório

Enviar